Linda. É assim que Leonardo Temoteo (34) descreve a filha, Alice. Mas não é só no sentido de beleza física. “É no sentido geral da palavra. Tudo o que ela traz e representa para mim hoje é o que há de mais belo. Quando eu a olho, penso: cara, agora eu realmente sou feliz”, diz o especialista em vendas externas da Cobli.

E não poderia ser diferente. Ontem (12), a comemoração do primeiro dia dos pais foi ainda mais especial com a pequena completando 9 meses.

A vontade de ser pai veio cedo, mas, para Timas – como é conhecido pelos amigos – ainda faltavam algumas coisas para que tudo desse certo. “Eu e a Renata (esposa) tínhamos projetos em andamento. Queríamos finalizar a construção da casa e estabilizar em um emprego”, explica.

E não demorou para o destino dar um empurrãozinho. “Quando eu entrei na Cobli, senti que eles confiavam no meu trabalho e também vi que aqui poderia desenvolver projetos a longo prazo”, diz Temoteo que está há 1 ano e 6 meses na startup.

Com a vida nos trilhos e vontade de sobra, veio a notícia tão esperada: ele teria uma filha. “Foi muito especial. Sempre pensei muito como seria o momento de ser pai”, comenta.

Foi aí que Leonardo mergulhou cada vez mais fundo no universo paterno. Se preparou, montou o quarto, mudou a casa, hábitos e esperava ansiosamente para ver o rosto da bebê. “Você sabe que vai ser pai, mas, diferente da mulher, acho que você só sente mesmo depois que a criança nasce”.

O “estalo” aconteceu em casa. “Quando chamei e ela (a filha) sem conseguir falar, sorriu para mim, senti que eu realmente era pai. É bem complexo e especial isso”.

Para ele, não deveria ser assim. “Acho que o homem deveria ser preparado um pouco mais para ser pai durante a vida. O impacto seria menor e ele seria mais responsável em alguns atos”. Apesar de acreditar que a sociedade ainda está um pouco atrasada nesse sentido, ele reconhece que já melhorou muito.

“Hoje sinto que as coisas estão mudando. Assim como amigos que foram pais recentemente, tento ao máximo dividir os afazeres com a minha esposa. Até porque, ela trabalha muito, assim como eu. O homem tem um papel fundamental na criação e precisa estar cada vez mais participativo”, comenta Temoteo.

Pai de menina

“É algo que eu queria. Tenho uma irmã, sempre me dei muito bem com ela e tenho uma afinidade muito grande com a minha mãe. Acho que existe uma afinidade maior entre pai e filha e quero cultivar isso desde cedo”, diz Timas.

Ao responder meu questionamento sobre como ele descreveria o que sente pela filha, Leonardo não titubeou e disse com certeza: AMOR. “O amor é inexplicável. Acho que é um conjunto de sentimentos que afloram e que são inexplicáveis. É muito bom e gostoso de sentir”.

Monitoramento de Frota

 

badge primary - Ser pai
Cobli

euquero@cobli.co
(11) 4810-2200

Escreva um Comentário