Tudo sobre carro autônomo: funcionamento, segurança e mais!

Há alguns anos, carro autônomo era coisa de filme de ficção científica, algo que parecia extremamente distante de nós. No entanto, com o avanço da tecnologia, estamos nos aproximando cada vez mais dessa realidade.

Já imaginou poder realizar outras atividades enquanto “dirige”, como responder e-mails, ler um livro ou até tirar um cochilo? Será que estamos próximos disso? Como fica a segurança e a legislação?

Continue a leitura para saber mais sobre os carros autônomos, como funciona, se são realmente seguros, além das suas vantagens e desvantagens. Vamos conhecer melhor essa tecnologia que promete mudar a mobilidade?

O que é um carro autônomo?

Um carro autônomo é aquele que realiza todas ou parte das suas atividades sem intervenção humana. Trata-se de um tipo de veículo um tanto quanto diferente dos convencionais, que necessitam da atenção constante dos motoristas.

Eles são classificados em 05 categorias diferentes, de acordo com o nível de automação, acompanhe:

Nível 01: direção assistida

Os carros autônomos de nível 1 são capazes de realizar alguns movimentos sozinhos, como fazer curvas e acelerar. Entretanto, esses recursos são apenas facilidades na condução e não substituem o motorista.

Nível 02: automação parcial

No nível 2, os veículos são dotados de uma função conhecida como piloto automático que mantém a velocidade, usada principalmente em estradas. Porém, assim como no nível 1, o condutor deve estar atento constantemente.

Nível 03: automatização condicionada

No terceiro nível de autonomia, o veículo consegue realizar mais funções, até mesmo dentro das cidades. Mas a atenção do motorista continua sendo necessária.

Nível 04: automatização avançada

A partir do quarto nível, o papel do motorista é reduzido. Nos carros autônomos dessa categoria, a direção é realizada sem interferência na maior parte do tempo.

O condutor apenas precisa intervir em áreas ainda não mapeadas pela tecnologia do veículo e em eventos climáticos intensos, como: chuva muito forte, neve e outros.

Nível 05: automatização total

Por fim, temos os carros autônomos de nível 5, que se locomovem com total independência. O motorista pode realizar qualquer outra atividade, até mesmo dormir.

Aproveite e saiba mais sobre carros autônomos neste vídeo que a Cobli preparou:

Como funciona o veículo autônomo?

Carros autônomos, inteligência artificial e tecnologia são conceitos totalmente conectados. É através das duas últimas que esses veículos conseguem realizar curvas, acelerar, frear, entre outros movimentos.

São muitos os componentes necessários para que um carro se locomova total ou parcialmente sozinho. Entre os principais podemos citar: sensores, câmeras, radares e sistemas de segurança.

Os carros autônomos foram planejados para reduzir quatro problemas: acidentes, poluição sonora, engarrafamentos e a alta emissão de gases.

Um bom exemplo é um tipo de sensor chamado “LiDAR”, encontrado também em celulares e robôs aspiradores. Seu nome é um acrônimo para “Light Detection and Ranging”, traduzindo “detecção de luz e alcance”.

Através da luz, este sensor consegue mensurar distâncias e identificar obstáculos. Dessa forma, assim como evita que o robô aspirador bata em um objeto no meio da casa, assume a mesma função em um carro autônomo.

Esses recursos atuam como a visão do motorista, obtendo informações sobre o local em que o carro se encontra e realizando os movimentos necessários para conduzir o veículo em segurança até o seu destino.

O que garante a segurança de um veículo autônomo?

Dúvidas relacionadas à segurança do carro autônomo sempre surgem quando esse assunto é discutido.

Esses questionamentos são totalmente naturais, afinal, passamos a vida toda vendo veículos sendo conduzidos por pessoas e é realmente estranho imaginar carros se dirigindo sozinhos.

A garantia da segurança dos veículos autônomos vem da tecnologia. Os seres humanos, por mais atentos que possam ser ao volante, estão sujeitos a desvios de atenção, oscilações das emoções geradas pelo estresse no trânsito e outros problemas capazes de gerar acidentes.

Já os modelos autônomos são programados para realizar todos os comandos necessários para evitar acidentes. Mas, para isso, as empresas que os fabricam precisam aplicar uma infinidade de testes.

De qualquer maneira, esse é um tema ainda controverso e diversas pesquisas são realizadas a respeito. Um estudo feito pela Universidade da Califórnia apresentou outro lado sobre os carros autônomos.

Durante a pesquisa foi observado que acidentes com carros autônomos podem acontecer exatamente por conta do excesso de zelo que eles têm quando identificam objetos na pista.

Quais regras os carros autônomos precisam?

Assim como cada país tem as suas regras para a condução de veículos convencionais, o mesmo deve ser feito em relação aos modelos autônomos. Por ser algo totalmente novo, precisarão ser realizadas mudanças na legislação.

São muitas as questões envolvidas, especialmente nos modelos de nível 4 e 5, em que o condutor tem um papel pequeno ou nulo na condução.

Dependendo do nível da autonomia, os veículos são configurados sem itens como volante e pedal.

Se o veículo autônomo realiza um movimento para se desviar de um pedestre e atinge outro carro ou outra pessoa, quem irá se responsabilizar?

Para responder esses impasses os países precisarão considerar uma série de aspectos, que vão desde a infraestrutura das estradas até questões legais e éticas.

Carros autônomos: vantagens e desvantagens

Grandes inovações promovem mudanças compatíveis, que podem ter impactos positivos e negativos, e com o carro autônomo não é diferente. Saiba mais sobre esses dois lados a seguir!

Vantagens

  • São apontados como mais seguros por evitarem falhas humanas;
  • Poupam tempo por causa da roteirização inteligente e por permitirem que os condutores realizem outras atividades durante a viagem;
  • Como consequência da vantagem anterior, os carros autônomos são também mais econômicos e sustentáveis;
  • Quando os modelos de nível 5 estiverem circulando, as pessoas não precisarão saber dirigir para utilizá-los.

Desvantagens

  • O valor de um carro autônomo é bastante elevado, então nem todos terão acesso;
  • Serão necessárias grandes mudanças na legislação para adesão dos modelos de nível 4 e 5, o que pode complicar o processo;
  • Impasses sobre a responsabilização em caso de acidentes;
  • Risco de invasões ao sistema dos veículos;
  • Necessidade de profissionais altamente capacitados para realizar as manutenções.

Quando teremos carros autônomos?

Se tem dúvidas sobre quando veremos esses veículos nas ruas, saiba que os carros autônomos já existem e há vários modelos em circulação, inclusive no Brasil. No entanto, até o momento, apenas aqueles classificados nos níveis 1 e 2.

Em relação aos veículos autônomos no mundo, em alguns países eles já são permitidos de circular, como em alguns estados dos Estados Unidos e na Alemanha. Entretanto, é preciso haver um condutor habilitado para acompanhar e assumir o controle caso necessário.

Como foi possível ver, apesar dos avanços, parece que ainda levará alguns anos até vermos carros totalmente autônomos em circulação. Por outro lado, os modelos semi autônomos estão se tornando cada vez mais uma realidade.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.