Estresse no trânsito: como lidar com ele na gestão de frota?

Você já pensou nos efeitos que o estresse no trânsito pode gerar entre os motoristas da sua frota? Esse é um assunto importante porque interfere diretamente no bem-estar e, consequentemente, no desempenho dos profissionais.

Se a condução já se mostra desgastante para condutores comuns, imagine para quem passa horas seguidas trafegando de um ponto a outro, lidando com engarrafamentos, pessoas impacientes e até discussões.

Neste texto vamos falar mais sobre o problema, suas causas, consequências e conferir dicas para amenizá-lo. Vamos começar?

O que é o estresse no trânsito?

O estresse é uma resposta natural do corpo humano a situações que geram pressão emocional, geralmente são aquelas que não temos como controlar.

Cada indivíduo reage a experiências estressantes de uma maneira diferente, assim como se diferem também os níveis de tolerância.

O trânsito é um cenário que reúne pessoas com diferentes temperamentos e comportamentos conduzindo seus veículos, muitas desejando chegar rapidamente ao mesmo lugar, em espaços que não comportam todas de uma vez.

As consequências dessa mistura são: engarrafamentos, buzinas em excesso, fechadas, disputa por vagas para estacionar, discussões, batidas e, em alguns casos, até atos de violência.

Independentemente do temperamento de cada um, não dá para passar ileso de uma situação com tantos estímulos com potencial estressante, especialmente quando se cumpre a jornada de trabalho do motorista diariamente.

Quais as razões para tanto estresse no trânsito?

As razões para o estresse no trânsito envolvem tanto os estímulos do próprio ambiente quanto a falta de controle emocional na direção do veículo, resultando em uma combinação perigosa.

Muitas pessoas já estão sob um alto nível de estresse por questões pessoais, do trabalho, pela rotina corrida, além dos impactos que a sociedade brasileira vem sofrendo por conta da crise econômica.

Em se tratando dos motoristas profissionais, ainda há a pressão por resultados e, para os autônomos, a necessidade de dirigir mais rápido para concluir mais tarefas e obter maiores ganhos.

Nesse emaranhado de pessoas e veículos que formam o trânsito, as causas se entrelaçam e todos acabam sendo afetados de alguma maneira.

Estresse no trânsito: dados do Brasil

Os números sobre o trânsito brasileiro espelham a realidade citada anteriormente. De acordo com um levantamento do Observatório Nacional de Segurança Viária, uma pessoa morre no trânsito a cada 12 minutos no país.

Somente em 2021 o Detran-SP aplicou 1,5 milhão de multas no estado. Embora um quarto delas esteja relacionada ao atraso para transferir o veículo, as demais refletem comportamentos inadequados que tornam o trânsito mais perigoso e estressante.

Na lista das infrações mais aplicadas pelo departamento estão:

  • Usar o celular enquanto dirige;
  • Não usar cinto de segurança;
  • Dirigir sem habilitação ou estar com a CNH vencida;
  • Conduzir veículo sob efeito de álcool;

Vale dizer que o Detran é um órgão estadual que gerencia apenas as multas administrativas. As penalizações ligadas a infrações como excesso de velocidade e desrespeito ao semáforo são responsabilidade das prefeituras.

Quais as características de um condutor com estresse no trânsito?

Estresse no trânsito e psicologia são dois assuntos totalmente conectados. Afinal, o comportamento humano influencia diretamente na forma como as pessoas conduzem os veículos.

Veja quais são as principais características que condutores com estresse no trânsito costumam apresentar:

  • Impaciência;
  • Age sem pensar nas consequências;
  • Expressa sua frustração através de gritos e xingamentos;
  • Está sempre com pressa;
  • Excesso de confiança ao volante;
  • Dificuldade para identificar e controlar as emoções.
Impaciência, agir sem pensar, estar sempre com pressa e ter dificuldade para controlar suas emoções são uma das características de um condutor estressado.

Consequências do estresse no trânsito

As consequências do estresse no trânsito são bastante abrangentes, incluindo desde a saúde dos motoristas até aspectos ligados ao desempenho da frota e a segurança da sociedade, observe!

Saúde dos motoristas

Por mais que o estresse seja uma resposta natural do corpo, seu excesso pode causar diversos danos à saúde, como:

  • Aumento da pressão arterial;
  • Insônia;
  • Irritabilidade frequente;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Ansiedade;
  • Depressão.

Desempenho da frota

Quando os motoristas de uma frota experimentam o estresse no trânsito constantemente, isso pode impactar a forma como eles dirigem e, como consequência, aumentar o volume de multas e acidentes.

O engarrafamento é uma das maiores causas do estresse no trânsito, principalmente em grandes cidades.

Inclusive, é importante que o gestor de frotas tenha controle sobre essas ocorrências para identificar um aumento repentino ou gradual. Sem um acompanhamento, o problema pode passar despercebido e ser notado apenas após muito tempo (e muitos custos) depois.

A Cobli disponibiliza gratuitamente materiais bastante úteis nesse sentido, que são: a Planilha de controle de acidentes de trabalho e a Planilha de controle de multas. Acesse e receba as ferramentas no seu e-mail!

Segurança da sociedade

Toda a sociedade perde com o estresse no trânsito, as principais consequências são:

  • Pessoas cada vez mais estressadas não apenas no trânsito, mas em qualquer situação;
  • Aumento do número de acidentes;
  • Violência.

Como amenizar o estresse no trânsito?

Até aqui falamos sobre diversos pontos relacionados ao estresse no trânsito. Mas como resolver o problema e amenizar os efeitos que a rotina diária ao volante pode causar?

A verdade é que uma empresa sozinha não tem o poder de solucionar todas as questões do trânsito. No entanto, ao orientar e treinar os seus motoristas é possível contribuir para uma melhora e proporcionar mais qualidade de vida a eles.

Confira a seguir algumas ações que podem auxiliar.

Promover cursos de direção defensiva

Os cursos de direção defensiva contam com módulos teóricos e práticos. Eles têm como objetivo instruir os motoristas profissionais para uma condução mais segura e que respeite a legislação.

Durante a formação são identificados e eliminados certos vícios relacionados ao estresse no trânsito, como: excesso de uso da buzina, ultrapassagens perigosas, dirigir usando o celular ou fumando, com o braço para fora etc.

Montamos um kit completo de segurança de frotas com 05 ferramentas e 01 guia para que seja possível acompanhar indicadores de segurança e melhorar a proteção dos motoristas!

Atenção ao conforto do veículo

Os motoristas passam boa parte do dia nos veículos, se eles estiverem se sentindo desconfortáveis isso irá intensificar os efeitos do estresse no trânsito.

Alguns detalhes que valem a pena ser observados são: conforto dos bancos, funcionamento do ar condicionado (importante em dias de calor intenso) e conservação geral do veículo.

Utilizar um roteirizador

Já pensou em usar a tecnologia para reduzir o estresse no trânsito? Com um roteirizador de frotas é possível definir trajetos evitando os picos de congestionamento.

Assim, os motoristas serão direcionados para rotas com trânsito mais fluido, sem aquele “acelera e freia” entediante que também aumenta os custos com combustível.

O estresse no trânsito é um assunto muito importante que deve ser visto com seriedade pelas autoridades e também pelas empresas que possuem frotas.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.