Black November Cobli: Confira a promoção do melhor sistema de gestão de frotas!

Tempo de leitura: 6 minutos

Para muitas pequenas empresas, usar carros adesivados é uma forma barata e fácil de fazer propaganda de seus serviços. 

Em período eleitoral, circular com carros adesivados também é uma tática bastante popular para ajudar um candidato a se tornar conhecido. 

No entanto, usar um carro adesivado não é algo exatamente simples – tanto do ponto de vista estético quanto para obedecer a lei. 

Isso porque existem uma série de regras na legislação de trânsito brasileira para quem quiser adesivar seu carro. 

Neste texto, vamos explicar porque carros adesivados podem ser uma boa prática, o que a lei diz sobre eles e quais são as multas para quem cometer irregularidades. 

Também vamos explicar como adesivar carros e qual é o passo a passo para quem quiser fazer isso sozinho. Vamos lá? 

Por que adesivar carros? 

Prática bastante comum desde os anos 1990, adesivar um carro é algo que pode ser usado por vários motivos. Entre eles, estão: 

  • Fazer propaganda da própria empresa;
  • Fazer propaganda para empresa de outra pessoa;
  • Divulgar um candidato político em época de eleição;
  • Ou simplesmente personalizar o veículo ao gosto do dono

Como os carros adesivados podem ser usados como estratégia de marketing? 

Uma das maiores dificuldades de qualquer empresa pequena é conseguir divulgar seus serviços. 

Adesivar o carro utilizado para prestar os serviços – seja com vendas, manutenção ou simplesmente o veículo de passeio usado pelo empreendedor – é uma forma barata de fazer marketing. 

É fácil entender porque: normalmente, o carro circula na mesma região em que os serviços são prestados. 

Além disso, o trânsito é hoje um dos lugares onde as pessoas mais passam tempo, de maneira que um veículo adesivado chama a atenção de muita gente ao mesmo tempo. 

Mas para usar carros adesivados, é preciso obedecer a uma série de regras de trânsito. 

O que diz a lei sobre carros adesivados? 

Para ter um carro adesivado é preciso seguir algumas regras. A primeira delas é que o adesivamento não pode descaracterizar o veículo de seus traços originais. 

Isso significa, em outras palavras, que o adesivo não pode ser superior a 50% da área do veículo, excluindo as áreas envidraçadas – é o que diz a resolução 292/08 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran)

Caso o adesivamento ultrapasse 50% da área do veículo, o dono terá de fazer um novo registro do carro – indo até o Detran local e mudando a cor, por exemplo. 

Já a prática de adesivar as partes envidraçadas é um pouco mais complicada. 

Ela é proibida, a não ser nos casos em que o veículo tenha os dois retrovisores externos (direito e esquerdo) e em que a transparência não seja comprometida. 

É por isso que muita gente utiliza adesivos “furados”, que deixam o motorista ter visão do que acontece fora do carro, mas permitem quem está de fora ver apenas o adesivo. 

As mesmas regras são válidas para quem quiser plotar um veículo – isto é, envelopá-lo. 

usar carros adesivados

Qual a diferença entre adesivar um veículo ou plotar? 

A diferença, como se pode perceber, está no nome: um veículo adesivado recebe apenas alguns adesivos ao longo de sua superfície. 

Já o veículo plotado recebe um envelopamento completo de vinil em toda a superfície – se o envelopamento for diferente da cor original, será necessário alterar o documento no Detran

Além do novo visual, a plotagem de veículos também protege a superfície e a lataria do carro ou caminhão. 

Mas é uma prática que requer cuidados: veículos envelopados, por exemplo, não podem ser limpos num lava jato convencional. 

Qual é a multa para quem estiver com carros adesivados de forma irregular? 

O motorista do veículo que estiver adesivado de forma irregular comete uma infração grave segundo o Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

Isso significa multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira – além disso, como medida administrativa, o carro será retido para a regularização.

E quais são as regras para carros adesivados para a eleição? 

Em cada eleição, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publica regras para propagandas em veículos. 

Em 2020, só são permitidos adesivos perfurados e dentro da medida do vigia no vidro traseiro, desde que sua área não exceda 0,5m² (meio metro quadrado). 

Em outras posições do veículo, como as laterais, podem ser colados adesivos de no máximo 40 cm por 50 cm. Já o envelopamento é proibido. 

Mais importante é o fato de que a propaganda eleitoral em veículos deve ser espontânea e gratuita, sendo vedado qualquer tipo de pagamento em troca de espaço. 

Como adesivar carros? Qual é o passo a passo correto? 

Adesivar um veículo não é uma tarefa das mais simples e o mais recomendado é que você procure o auxílio de um profissional

Se decidir fazer sozinho, porém, vale a pena prestar atenção nessa sequência de dicas: 

  1. Limpe bem a área onde vai aplicar o adesivo, removendo gorduras ou sujeiras que podem afetar a aderência. 
  2. Decida com calma onde vai aplicar o adesivo e, se possível, use fita adesiva de baixa aderência para marcar a posição correta
  3. Tente aplicar o adesivo de uma vez só, para evitar a formação de bolhas de ar
  4. Evite ao máximo colocar os dedos sobre a parte aderente, para evitar deixar gordura ou sujeira no adesivo. 
  5. Espere um tempo até usar o veículo com calma. 

Onde adesivar carros? 

O segredo aqui é procurar profissionais com referências e especializados na sua região. 

Fazer uma busca no Google ou buscar recomendações de colegas, clientes e amigos podem ser boas maneiras de achar dicas na sua cidade.

Acesse nosso site e descubra como o sistema de gestão da Cobli vai te ajudar a melhorar a qualidade do serviço da sua empresa.

Manutenção de frota - Carros adesivados: saiba o que fazer e o que não fazer
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário