Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 6 minutos

Na hora de fazer o transporte de cargas, a segurança é um dos quesitos mais importantes – e é por conta disso que a amarração de carga deve ser um tema no qual é preciso sempre prestar atenção. 

Regulada por normas do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a prática não é só obrigatória para determinados tipos de carga, mas também é um jeito simples e acessível de manter a segurança na estrada.

Uma amarração de carga bem feita pode evitar acidentes e danos à mercadoria, bem como deixar o motorista mais tranquilo para guiar com calma pelas estradas brasileiras – algo que é um desafio, visto que o país tem mais de 12 mil acidentes com caminhões por ano

Neste texto, você vai entender como a amarração de carga funciona, para o que ela serve e o que diz a lei – incluindo os materiais que são permitidos e quais os tipos de amarração devem mais utilizados. 

Também irá conhecer algumas práticas que podem ajudar a tornar sua amarração ainda mais segura. Vamos lá?

O que é a amarração de carga? Para que ela serve? 

A amarração de cargas é uma prática muito utilizada para evitar o deslocamento de objetos durante a viagem. 

No caso de uma freada brusca ou numa curva acentuada, a amarração servirá para garantir ao motorista que nada vai cair do caminhão. 

Além disso, garantem que a carga não vai se movimentar e alterar o equilíbrio do veículo – situação perigosa que pode fazer até o veículo tombar. 

Na hora de distribuir as cargas dentro do caminhão, é preciso distribuir bem o peso – além de evitar acidentes, isso também evita problemas na hora que o veículo passar pela balança de pesagem na estrada

O que diz a lei sobre sinalização e amarração de cargas? 

A regra que determina como a amarração de cargas deve ser feita é a Resolução 676 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). 

Ela atualizou, há alguns anos, a Resolução 552, que trouxe importantes inovações nas normas do setor – conhecer e por em prática essas mudanças é vital para um transporte seguro. 

Quais são os materiais adequados para a amarração de cargas? 

Há diversos tipos de materiais que podem ser utilizados para a amarração de cargas – já outros tem seu uso proibido, então é bom ficar atento. 

Se você está pensando em fazer a amarração de cargas com cordas, é melhor voltar atrás: desde a nova regulação, esse material pode ser usado apenas para prender a lona. 

Por que isso acontece? Porque apesar de bastante comuns, as cordas têm baixa elasticidade e resistência, o que poderia gerar um alto risco dos produtos se deslocarem durante as viagens e causarem acidentes. 

Assim, o ideal é que o caminhoneiro utilize cintas têxteis para fazer a amarração das cargas. 

Outros materiais que podem ser usados incluem cabos de aço e correntes que possuam, no mínimo, uma resistência com o dobro do peso da carga. 

Cintas com catracas, ganchos, cantoneiras, barras de contenção, trilhos, malhas e separadores para a amarração de cargas são outros equipamentos que podem ser utilizados.

Eles não são obrigatórios, de maneira que podem ser utilizados como dispositivos adicionais de segurança. 

Uma boa recomendação aos profissionais é que, na hora de comprar os equipamentos, seja verificado se eles têm na sua identificação algumas informações importantes de veracidade. São elas: 

  • Nome do fabricante;
  • Comprimento;
  • Carga máxima em tração direta;
  • Data de fabricação;
  • Número da norma brasileira (NBR);
  • Código de rastreabilidade

Como fazer amarração de cargas? Quais são os tipos de amarrações? 

Existem diversos tipos de amarração de cargas – cada uma delas tem uma finalidade e uma forma de ser feita. 

Segundo as últimas resoluções do Contran, porém, é preciso prestar atenção: não se pode utilizar dispositivos de amarração em pontos que estejam ligados a partes de madeira da carroceria, mesmo que essas partes sejam feitas de madeira ou até mesmo de metal. 

Assim, como no caso das cordas, a intenção é evitar que a falta de resistência dos materiais gere acidentes e coloque outros veículos em risco

Para quem transporta cargas indivisíveis, como máquinas, é preciso usar ao menos quatro pontos de amarração – recomenda-se ainda que a carga seja transportada deitada, para evitar desequilíbrio. 

No caso do transporte de cargas secas, se o material que está sendo levado ocupar toda a carroceria, a amarração deverá ser feita externamente. 

como fazer amarração de cargas

Confira abaixo os tipos principais de amarração de carga: 

  • Fixação envolvente (tie-down): aqui, aumenta-se o torque nos cabos e cintas, fazendo com que a carga seja forçada contra o piso da carroceria. Assim, aumenta o atrito da mercadoria com o caminhão, de maneira que ele fica mais resistente e não desliza. 
  • Fixação direta em contenedores específicos: aqui, a carga fica presa com ajuda da própria estrutura da carroceria, que por vezes é fabricadas para atender a necessidades específicas; é muito usada em tanques e carrocerias basculantes, por exemplo.
  • Fixação direta com o uso de bloqueadores: bastante comum, aqui a fixação da carga é feita diretamente na carroceria; pode acontecer tanto nos painéis dianteiro e traseiro quanto pelas grades laterais. 
  • Fixação direta com dispositivos de fixação: aqui, a carga é fixada na estrutura do caminhão ou na carroceria a partir de ganchos fixados no chassi; é usada para máquinas e blocos de materiais pesados, mas a carroceria precisa estar preparada já que os pontos de apoio serão bastante exigidos. 

Veja 5 dicas com as melhores práticas sobre amarração de cargas

Uma forma de saber exatamente qual o risco para a sua viagem e fazer bem a amarração de cargas é conhecer bem o trajeto – se você tem noção das curvas que fará, poderá reforçar bem a segurança das mercadorias. 

Ao fazer a distribuição das cargas pela carroceria, comece pela parte traseira, que oferece a maior chance de desequilíbrio para o veículo, já que está na ponta. 

Se você ficar com buracos ou vãos no meio da carroceria, utilize material de enchimento, como espuma, tecidos ou tapumes – além de amortecer, eles também evitam deslocamentos indesejados. 

Verifique a resistência da embalagem antes de iniciar a viagem – assim você evita surpresas desagradáveis no caso de um impacto inesperado. 

E busque sempre o travamento adequado: se a carga só parece bem presa com as cintas para amarração, é melhor revisar e começar tudo de novo. Segurança é uma prioridade!

Manutenção de frota - Como fazer uma amarração de carga que dê segurança para sua viagem?
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário