Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 8 minutos

Uma das funções de empresas de logística é saber como fazer o transporte de carga seca da melhor maneira, evitando danos à mercadoria e perda de qualidade de seus serviços.

Sabe-se que cada tipo de produto demanda um cuidado diferente e, por isso, as precauções relacionadas ao transporte de carga seca são tão importantes. 

Nesse pacote de cuidados estão inseridas as particularidades do caminhão, da carga, e também a segurança do translado. 

O Brasil é um dos países que mais dependem do setor rodoviário, mas que ainda sofre muito com o saque no meio das viagens e, consequentemente há uma perda não somente da mercadoria, mas de bilhões de reais

Por isso, nesse texto você poderá conferir como fazer o transporte de carga seca de maneira segura e otimizada, melhorando processos de entrega e oferecendo um serviço de alta qualidade. Vamos lá?

O que é carga seca

Antes de mais nada é preciso entender o conceito básico de o que é carga seca. 

Este tipo de mercadoria nada mais é do que produtos não perecíveis, ou seja, aqueles que não têm perigo de estragarem no meio do caminho. 

Além disso, outra característica da carga seca é que ela pode ser transportada em quaisquer condições climáticas, visto que esta categoria de produtos sofre pouca influência de eventos danosos provocados pelo mundo exterior.

Em outras palavras, isso quer dizer que a carga seca é mais resistente do que outros tipos de produtos quando se trata de exposição à chuva, sol, entre outras coisas.

Assim, podemos concluir que é muito mais fácil realizar o transporte de carga seca no Brasil do que de mercadorias que requerem mais cuidados, como carga viva, por exemplo.

Tipos de carga seca

Agora que você já sabe o que significa carga seca, não fica difícil imaginar quais produtos se enquadram nesta categoria. 

Dentre as mercadorias definidas como carga seca estão:

  • Alimentos não perecíveis (arroz, feijão, farinha, etc.);
  • Eletrodomésticos;
  • Móveis;
  • Produtos relacionados à higiene pessoal;
  • Ferramentas;
  • Madeira;
  • Peças automotivas;
  • Roupas;
  • Cimento;
  • Madeira.

É válido dizer que os alimentos que entram nos tipos de carga seca são aqueles que não requerem condições especiais, como refrigeração, por exemplo, para serem transportados.

Dessa forma, como é mais simples o seu translado, eles podem ser classificados como carga seca. 

Como transportar carga seca com segurança

Ainda que o transporte de carga seca não exija um zelo tão grande quanto outros produtos, isso não quer dizer que essas mercadorias podem ser levadas de um lugar a outro de qualquer maneira. 

Alguns cuidados básicos são essenciais até mesmo para fazer o translado e isso inclui todas as etapas: desde o produto armazenado até o momento da entrega.

Vejamos abaixo algumas precauções inerentes ao processo de logística dessa carga. 

A escolha do veículo mais apropriado

A escolha do caminhão de carga seca é fundamental para garantir que os produtos chegarão com qualidade ao seu destino. 

Existem algumas opções de caminhão carga seca que podem ser adotadas como a carreta que é ideal para mercadorias mais pesadas, superiores a 25 toneladas.

As carretas carga seca podem ser utilizadas para transportar eletrodomésticos, por exemplo. 

Outra opção é fazer uso do caminhão truck, que apesar de ser de grande porte, pode carregar até 12 toneladas de produtos. 

Uma terceira alternativa vem na contramão das carretas carga seca: o caminhão toco. 

Enquanto as carretas podem transportar mercadorias muito pesadas, o caminhão toco é um veículo mais curto e com capacidade média de 8 toneladas.

tipos de carroceria para carga seca

Tipos de carrocerias para carga seca

Outro ponto importante para o transporte de carga seca é a escolha da carroceria, afinal, as mercadorias serão alocadas neste espaço. 

As carrocerias para esse tipo de carga também são mais simples do que outras destinadas ao transporte de produtos perecíveis, por exemplo, afinal, não necessitam de uma estrutura refrigerada.

É comum, por exemplo, ver nas ruas o caminhão com baú da Iveco para carga seca, mas ele pode até ser o mais conhecido, porém não é o único. 

Basicamente existem três modelos de carrocerias ideais para o translado de mercadorias secas. São elas:

  • Grade baixa: carroceria aberta na qual as grades laterais são, justamente, mais baixas, o que facilita na hora de carregar e descarregar o caminhão de carga seca. A carroceria de grade baixa pode ser acoplada em qualquer um dos três tipos de veículos citados anteriormente, mas é mais indicada para viagens curtas nas quais a mercadoria não fica tanto tempo exposta às condições climáticas adversas.
  • Grade alta: possui as mesmas particularidades da grade baixa, porém, com as laterais mais elevadas. O modelo é perfeito para carregar produtos embalados em caixas, cereais e outras mercadorias. 
  • Sider: este é o famoso baú para carga seca. Completamente fechado, este modelo é indicado no caso de transporte de mercadorias que ocupam muito espaço, ou seja, que são volumosas e que podem fazer uso de empilhadeiras. Produtos de higiene pessoal, alimentos não perecíveis e peças automotivas são alguns exemplos que podem ser carregados em um baú. 

Armazenamento dentro da carroceria

Todo motorista de caminhão sabe que não podemos simplesmente colocar as cargas de qualquer maneira dentro do veículo.

As mercadorias consideradas secas devem estar devidamente embaladas e armazenadas em caixas, que por sua vez, devem ser vedadas. 

É possível sim transportar diferentes tipos de carga seca em um mesmo veículo, porém, estes produtos precisam estar com etiquetas de identificação, nas quais inclusive deve-se mencionar seus riscos.

Isso só é possível visto que as cargas secas não correm perigo de contaminação.

Além disso, é necessário tomar cuidado também com o empilhamento da mercadoria para que o espaço da carroceria do caminhão seja utilizado da melhor maneira.

Invista em segurança

Já deu para perceber que quando o assunto é segurança de transporte de cargas, não dá para marcar bobeira, certo?

Então, invista em tecnologias que irão proteger o veículo, a carga e o motorista. 

Uma das alternativas é escolher um sistema de rastreamento, que irá te mostrar a localização exata do seu veículo. 

A própria Cobli oferece o monitoramento de frota completo, no qual você fica sabendo não somente onde está o veículo, mas também pode extrair dados de modo de condução dos motoristas, além de ter detalhes diários, sinalizar locais de interesse e muito mais!

O erro de muitos gestores do setor logístico é perceber a importância da segurança de sua frota depois que algo mais grave aconteceu. 

Conte com a Cobli e esteja mais preparado!

Peso e dimensões do veículo

É preciso ficar atento às dimensões das carrocerias e os pesos os quais elas suportam por viagens. 

Essas informações são definidas pelo Contran e são importantes porque podem interferir na tabela de frete, estipulada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Dessa forma, fica mais fácil entender o motivo pelo qual o frete para carga, por exemplo, pode variar de acordo com a mercadoria transportada. 

Para saber exatamente o quanto será necessário desembolsar no pagamento do frete, é preciso primeiro entender o que é cubagem e como fazer esse cálculo matemático.

Vale lembrar que estes gastos devem estar inclusos no planejamento financeiro da empresa.

Documentos necessários para o transporte de carga seca

Assim como qualquer transporte de cargas no Brasil, as empresas de logísticas devem estar preparadas para separar uma série de documentações e estar em dia com o Fisco.

O documento mais conhecido é a NFe, a famosa nota fiscal, que precisa ser emitida e enviada ao destinatário a cada compra ou venda de um serviço ou um produto. 

Mas, o transporte de cargas também pode necessitar de alguns documentos mais específicos como o Conhecimento de Transporte Eletrônico (CTe) ou ainda os Manifestos Eletrônicos (MDFe).

O importante, neste caso, é sempre ficar atento aos documentos fiscais necessários para registrar e transportar a carga em questão e, assim, evitar gastos desnecessários e problemas com a lei.

Agora que você já sabe o que é transporte de carga seca, não deixe de seguir as recomendações da Cobli e ficar atento ao nosso blog para mais dicas!

Monitoramento de frota - Cuidados necessários para fazer o transporte de carga seca
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário