O transporte rodoviário é predominante no Brasil e movimenta a economia nacional realizando o deslocamento de cargas e pessoas

Transporte rodoviário: o que é, suas vantagens e desvantagens

O transporte rodoviário é o meio mais utilizado no País, seja para deslocamento de cargas ou de pessoas. De acordo com o Relatório Executivo do Plano Nacional de Logística 2025, cerca de 65% do transporte de cargas no Brasil são feitos nas estradas e rodovias

Este cenário impacta significativamente a economia brasileira, que se torna dependente do transporte rodoviário, gerando custos que chegam a 6% do PIB nacional, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). 

Para efeito de comparação, o transporte de cargas via marítima representa 9,4% do total realizado no País, enquanto 5,8% acontecem pelo modal aéreo e apenas 5,4% por meio do transporte ferroviário. 

Mas apesar da predominância, a manutenção do transporte de cargas rodoviário enfrenta diversos desafios, que vão desde estradas mal conservadas e fretes pouco atrativos, até o alto gasto que seus profissionais despendem a cada viagem realizada. 

Se você quer entender mais sobre como funciona o transporte rodoviário no Brasil, veio ao lugar certo. Acompanhe abaixo tudo sobre este tema. 

O que é transporte rodoviário?

O transporte rodoviário nada mais é do que o deslocamento de pessoas ou cargas feito em estradas, rodovias, avenidas e ruas, que podem ser asfaltadas ou não. 

Pelas rodovias que cortam todo o País, são transportados todos os tipos de produtos, desde cargas vivas como frangos e cavalos, até itens de limpeza e eletrodomésticos. 

Além disso, entre as características do transporte rodoviário está o uso de ônibus por boa parte da população nos quatro cantos do Brasil. 

Cerca de 60% dos deslocamentos de pessoas nas cidades são realizados por meio de transporte público urbano, o que representa aproximadamente 59 milhões de passageiros todos os dias. 

Já em relação ao transporte de cargas rodoviário, este modal é feito por caminhões provenientes de empresas transportadoras ou de cargas próprias, além de transportadores autônomos. 

Destes três operadores, os autônomos representam 70% da frota que circula pelo País, de acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logísticas. 

Evolução do transporte rodoviário

Ainda no século XIX, as primeiras rodovias brasileiras foram construídas. Mas foi somente a partir de 1920, durante a gestão de Washington Luís, que os investimentos no setor de transporte rodoviário começaram a ser mais volumosos. 

Nos anos 1930, fase que marcou a Era Vargas, teve início um plano de ampliação da malha rodoviária nacional. 

Sua consolidação ocorreu com o Plano de Metas, do governo Juscelino Kubitschek, entre 1956 e 1960, focado em melhorar a infra-estrutura do País. 

Nos últimos 50 anos, a malha rodoviária aumentou exponencialmente, crescendo 180% em quilômetros. Neste mesmo período, as ferrovias tiveram uma retração de 14,5% e a navegação também diminuiu. 

Entretanto, o baixo investimento nas décadas mais recentes resultou em rodovias degradadas, uma situação que se intensifica com o grande tráfego proveniente do transporte rodoviário.  

jinbei topic - consumo por km

Por que o transporte rodoviário é o mais utilizado no Brasil?

São vários os fatores que tornam o transporte rodoviário o modal mais utilizado no Brasil e as políticas públicas implementadas desde os anos 1920, como visto no tópico anterior, são algumas das responsáveis por este cenário. 

A abertura do País para a indústria automobilística é também um ponto relevante desta equação. Houve pressão deste setor para que o governo investisse na expansão das rodovias. 

Paralelamente, o Brasil foi se tornando uma nação cada vez mais industrial, o que criou uma cadeira produtiva que alimentou ainda mais a necessidade do transporte de cargas rodoviário. 

A construção de grandes e modernas rodovias, que interligam importantes centros urbanos, estados e até mesmo regiões, também foi determinante para a consolidação deste modal, bem como a criação da capital Brasília no interior do País. 

Por outro lado, as  ferrovias sofreram um forte sucateamento, especialmente pelo baixo investimento em sua manutenção. Isso também contribui para que as rodovias ganhassem mais representatividade.

Hoje em dia, a frota nacional de caminhões em circulação atinge 70% do total do transporte rodoviário e tem em média 15 anos de idade. 

Justamente esse grande volume de caminhões e outros tipos de veículos nas estradas é uma das causas dos problemas no transporte rodoviário. 

Além de acidentes de trânsito que culminam em cerca de seis mil mortes anualmente, segundo o Painel CNT de Consultas Dinâmicas de Acidentes Rodoviários, há um custo bastante elevado tanto para os caminhoneiros quanto para o próprio governo.

Características do transporte rodoviário

Algumas das principais características do transporte rodoviário brasileiro estão atreladas justamente ao trabalho exercido pelos motoristas de caminhões e carretas. 

Estes profissionais autônomos arcam com diversos custos para realizar o transporte das mais variadas cargas por todo o País. 

O elevado preço do óleo diesel, pedágios e a manutenção dos veículos oneram consideravelmente o bolso destes trabalhadores, que não conseguem adquirir modelos mais novos e modernos.

A tecnologia deste modal ainda é tímida, e apenas recentemente se tornou obrigatório o uso de rastreadores via GPS, o que contribui para uma maior segurança tanto para o motorista quanto para os donos das cargas. 

Contudo, o roubo de cargas ainda segue sendo uns dos maiores problemas do transporte rodoviário e causa prejuízos de cerca de R$ 150 milhões anualmente. 

Entre as cargas mais visadas pelos assaltantes estão os produtos têxteis e confecções, alimentos, eletroeletrônicos, além de itens de higiene e limpeza. 

Confira a seguir algumas das principais vantagens e desvantagens do transporte rodoviário nacional.

Vantagens do transporte rodoviário:

  • A carga é coletada e armazenada no veículo com mais facilidade, o que diminui o risco de danos;
  • Agilidade para entrega de cargas em curtas e médias distâncias;
  • O veículo se desloca até onde a carga está, diferente do que acontece com outros modais em que a mercadoria precisa ser transportada até eles;
  • Integração com todas as regiões e estados do País;
  • Entrega do produto é feita diretamente no ponto especificado, seja na casa do consumidor ou em empresas;
  • A operação do transporte rodoviário pode ser feita 07 dias por semana, 24 horas por dia porque há acesso permanente e liberado em todas as vias.

Desvantagens do transporte rodoviário:

  • Capacidade de carga baixa em comparação com outros meios de transporte;
  • Alto custo de manutenção de veículos e rodovias;
  • Fretes representam custos dúbios: podem ser elevados para as empresas e baixos para os profissionais de transporte;
  • Preços dos combustíveis pesam no bolso dos motoristas e empresas transportadoras e influenciam seus custos;
  • Maior risco de acidentes e roubos em relação aos demais modais;
  • Veículos promovem um grau elevado de poluição, impactando o meio ambiente.

Pronto! Agora, você já conhece melhor como funciona o transporte rodoviário no Brasil.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *