Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 9 minutos

O agronegócio é uma das bases da economia brasileira, mas para que ele possa exercer as suas plenas funções, existe toda uma estrutura por detrás que o mantém ativo e, dentre esses processos está o transporte de grãos.

Não é novidade que os caminhoneiros enfrentam diariamente diversos obstáculos no meio do caminho, seja por falta de estrutura nas estradas, exaustivas jornadas de trabalho e, muitas vezes, falta de segurança.

Contudo, ainda há uma preocupação a mais: tomar muito cuidado com a carga para que ela não seja desperdiçada ao longo da viagem e, é justamente por isso que a logística do transporte de grãos no Brasil é fundamental.

Dessa forma, ao longo deste texto você poderá conferir como funciona o transporte de grãos no Brasil, quais os tipos de carroceria são ideais para carregar essas mercadorias, como é o armazenamento e muito mais! 

Siga a leitura e confira!

Como funciona o transporte de grãos no Brasil?

Como dito anteriormente, o agronegócio é um dos motores da economia brasileira, tanto que para safra de 2019/ 2020 a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) estima que o País bata o recorde de produção de grãos em 251,4 milhões de toneladas.

A maior produção nacional é a de soja, mas ainda há a de trigo, milho e diversos cereais. 

Isso quer dizer que para o mercado funcionar, a logística de transporte de grãos no Brasil é essencial. 

O processo é longo e inclui preparos, planejamento, plantio, colheita para então chegar ao transporte da mercadoria. — Contudo, todas essas etapas estão interligadas.

É difícil precisar o tempo ideal de colheita e distribuição, visto que estes fatores dependem das condições climáticas de cada região e dos tipos de grãos utilizados.

No entanto, as chamadas cultivares, ou seja, essas plantas aprimoradas pelo homem, têm ciclos que giram em torno de 60 a 120 dias.

O agricultor, portanto, precisa ter um bom planejamento para que estes grãos estejam com qualidade de excelência para distribuição.

Depois disso, o grão ainda precisa passar pela secagem, armazenamento e então o transporte. Dessa forma, os próximos passos requerem muito cuidado, visto que é neste ponto onde encontram-se as maiores dificuldades.

Um escoamento da carga que não é feito corretamente acarreta em gastos mais altos com armazenagem, por exemplo. Por isso, escolher a máquina correta neste processo também é importante. 

Um modelo muito utilizado é a bazuca para transporte de grãos justamente por ser mais resistente.  Além disso, a máquina possui uma estrutura que foi elaborada para suprir as demandas deste setor.

Outra opção para escoar a mercadoria é o transporte de grãos por dutos — veremos mais à frente. — Primeiro é preciso entender o processo de armazenagem desses produtos.

Como é feito o armazenamento de grãos?

O armazenamento de grãos é feito por meio de silos e cumprem o papel de conservá-los até serem despejados no caminhão para o transporte de grãos.

É válido dizer que este tipo de depósito não melhora por mágica as propriedades dos grãos e sim, as preserva por um tempo maior:

  • Silo de bolsa

Popularmente chamados de bags, os silos de bolsa consistem em uma alternativa do mercado em relação às estruturas metálicas.

Um ponto crucial, neste caso, é que os grãos estejam bem secos para não se deteriorarem dentro do armazenamento com a criação de pragas. 

Os silos de bolsa costumam ser mais em conta, porém é preciso colocar na balança se os custos com secagem, por exemplo, não encarecem o processo, ou se vale a pena correr o risco de esperar essa secagem em locais abertos.
Lembre-se que, às vezes, o barato sai caro.

  • Silo armazenador

Cumpre a função de guardar os grãos já higienizados e secos. Pode haver aeração com o objetivo de reduzir a umidade e temperatura desses grãos.

  • Silo secador

Tem abertura para entrada de ar ou sistema de aquecimento para deixar os grãos bem sequinhos. 

  • Silo de espera

É como e fosse um recipiente transitório, no qual armazena os grãos já limpos, porém que esperam para serem destinados ao processo de secagem. Também possui entrada para ventilação natural, visto que tem altos níveis de umidade neste armazenamento.

  • Silo de expedição

Suspensos, os silos de expedição obtêm os grãos dos silos armazenadores por meio de transportadores. Este material é liberado e, pela lei da gravidade caem sobre o caminhão para o transporte dos grãos.

É importante ressaltar que os silos, independentemente do modelo, devem ser construídos em locais planos, preferencialmente abertos e bem arejados. Além disso, é fundamental manter o local limpo, afinal, a poeira pode causar explosões e incêndios.

Agora que você sabe os tipos de armazenamento, é hora de entender como é feito o transporte de grãos.

transporte de grãos - do silo para o caminhão

Como deve ser feito o transporte de grãos?

Depois de passar por todos os processos mencionados acima, é preciso ficar atento a mais uma etapa: como é feito o transporte de grãos e isso envolve diretamente na escolha do caminhão para carregar a carga.

Segundo o Contran, órgão regulador do setor no Brasil, o translado desse tipo de carga deve ser feito em veículos com carrocerias cujas guardas laterais sejam fechadas ou com telas metálicas com malhas de dimensões que impeçam o desperdício do material durante a viagem.

Além disso, a carga precisa estar coberta por uma lona ancorada à carroceria do veículo e, claro, em bom estado. 

Outro ponto importante está relacionado às dimensões dos veículos. Os dados relacionados aos tipos de carrocerias também são organizados pelo Contran e os motoristas devem seguir à risca para evitarem penalidades.

Um modelo muito utilizado é o graneleiro para transporte de grãos

Este tipo de carroceria possui grades laterais altas, o que ajuda no armazenamento da mercadoria durante a viagem.

Outra possibilidade para este tipo de carga é a caçamba basculante. Apesar de ser mais utilizada para transportar areia e terra, por exemplo, ela também pode ser eficiente no translado de produtos a granel.

Mas ainda assim, o graneleiro para transporte de grãos continua sendo a carroceria mais aderida do setor.

De acordo com a Conab, o Brasil perde muito no transporte de grãos seja pelas más condições das rodovias, por frotas mal preparadas ou ainda por descuido dos motoristas dos caminhões.

Ao escolher o melhor sistema de transporte de grãos, contudo, as chances de ocorrer perdas durante o processo de translado são reduzidas.  

Escolhida a carroceria, então, utiliza-se a bazuca para o transporte de grãos dos silos até os caminhões que, por sua vez, seguem viagem.

Outra opção seria o transporte de grãos por dutos, que por sua vez, realizam o escoamento do material até o veículo de carga.

Abaixo seguem algumas recomendações para alguns tipos de transporte de grãos:

 Transporte de soja

Para que o grão de soja não seja comprometido no meio do caminho com o calor ou umidade, é essencial que a carroceria seja bem vedada. 

Em momento nenhum do trajeto a soja pode ter contato com chuva ou água proveniente de qualquer fonte, pois tal fato aumenta a probabilidade de surgimento de microrganismos prejudiciais à carga. 

Transporte de trigo

O trigo não pode ficar muito tempo em trânsito, o que torna um desafio transportá-lo de um local ao outro. 

Por isso, um bom roterizador, como os que a Cobli oferece, são essenciais no planejamento do translado da carga. 

Assim, é possível diminuir o tempo de estrada com trajetos mais eficientes e ainda aumentar a segurança, evitando locais perigosos.

Transporte de milho

Neste caso tanto os caminhões graneleiros como os basculantes servem para o transporte da carga. Contudo é preciso ficar atento para não armazenar os grãos de milho em sacos, porque isso pode afetar o carregamento e descarregamento do mesmo.

E-book: 8 passos para controlar a manutenção dos seus veículos

Normas do transporte de cargas

Existem diversos documentos fiscais relacionados ao transporte de cargas no Brasil

O não cumprimento das normas pode resultar em multas e até mesmo apreensão do veículo. 

Por isso, é importante entender o que são os Conhecimentos Eletrônicos de Transporte (CTe), bem como os Manifestos Eletrônicos e Notas Fiscais. 

Estar em dia com o Fisco te ajuda a economizar e ainda oferece mais segurança para a sua empresa.

Como a Cobli pode te ajudar no transporte de grãos?

Muito além de um simples rastreamento, o Sistema da Cobli ajuda transportadoras o monitoramento e gestão da frota como um todo.

Com ele, o controle da sua frota é feito com muito mais transparência, tranquilidade e eficiência, reduzindo custos e tendo maior visibilidade da sua operação.

Gostou de saber sobre o sistema de transporte de grãos? Acompanhe o blog da Cobli e fique por dentro de tudo sobre o setor de cargas no Brasil!

Monitoramento de frota - Transporte de grãos no Brasil: Como funciona? Quais as normas?
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário