Black November Cobli: Confira a promoção do melhor sistema de gestão de frotas!

Tempo de leitura: 5 minutos

A Duimp é a Declaração Única de Importação que está vindo aí para substituir a Declaração Simplificada de Importação (DSI) e a Declaração de Importação (DI) e facilitar a vida do importador.

A Duimp, que está sendo integrada ao Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), agiliza as importações porque permite que uma mercadoria seja registrada no momento em que são solicitadas as licenças de importação, ou seja, antes mesmo que o produto importado aporte no país.

Na prática, a Duimp passa a funcionar como uma licença única, válida para diferentes operações de importação.

Banner Blog Desktop - Duimp: o que é e como funciona esse tipo de declaração

Além de facilitar a vida do importador, a Duimp dificulta a ação de quem tenta burlar regras na hora de comprar produtos estrangeiros, porque é um documento eletrônico que reúne diversas informações (aduaneiras, administrativas, comerciais, financeira, fiscais e tributárias) que auxiliam a burocracia estatal a controlar as importações.

Como o assunto é novo, não se preocupe se você tiver dúvidas. Nós vamos te ajudar!

Neste texto, vamos explicar o que muda com a DUIMP, se é necessário fazer algum curso para entender como fazer declaração e a quantas a anda o processo de implementação do novo sistema. 

Siga a leitura e confira!

Duimp: o que mudou 

Desde outubro de 2018, a Duimp está disponível no Siscomex em uma versão piloto.

A Duimp permite que empresas certificadas como OEA (Operador Econômico Autorizado) antecipem os despachos aduaneiros.

Os despachos aduaneiros, portanto, passam a ocorrer enquanto a mercadoria importada ainda está em trânsito. Quando ela chega ao país, toda a burocracia já está resolvida (desembaraçada, como dizem os técnicos), evitando assim perda de tempo e redução de gastos com armazenamento.

A Duimp também diferencia carga e mercadoria. A carga, em algumas situações, pode ser parcialmente desembaraçada, o que permite que ela seja retirada de zonas primárias ou secundárias sem a necessidade de uma Declaração de Trânsito Aduaneiro (DTA).

Além disso, a implementação da Duimp também possibilita registrar vários embarques futuros em um único Licenciamento de Importação (LI).

Empresas certificadas como OEA nível 2 também podem recolher tributos uma vez por mês. As outras, podem fazê-lo entre o desembaraço aduaneiro e o registro da certificação.

A Duimp também se apoia na integração de sistemas públicos, como o Siscomex e sistemas privados de gestão empresário, os ERPs (Enterprise Resource Planning), com vistas a automação das operações de comércio exterior.

Duimp: como fazer

Se você já entendeu os benefícios da Duimp mas ainda não sabe direito como navegar o sistema, dê uma olhada no guia abaixo que preparamos para você:

Passo 1: Acesso Siscomex tendo em mãos o certificado digital do despachante aduaneiro ou do dirigente da empresa importadora. Ao acessar Siscomex, você vai dar de cara com diferentes opções de módulos. Escolha o módulo “Importação”.

Passo 2: Abriu a Tela de Elaboração da Duimp, certo? Na aba “Identificação”, preencha as “Informações básicas”: “Tipo de importador” e “CNPJ do importador”. Também dá para incluir o endereço do importador e informações complementares.

Passo 3: Siga para a aba “Carga” e lá digite o número de identificação da carga a ser importada. Ao identificar a carga, todas as demais informações (com exceção do valor do seguro) serão preenchidas automaticamente pelo sistema. Prático, não?

Passo 4: Siga para a aba “Documentos” e inclua as informações referentes aos documentos instrutivos do despacho a eventuais processos (judiciais ou administrativos).

Passo 5: Siga para a aba “Item”. Inclua as informações do item a ser importado. Se ele já tiver cadastrado no Catálogo de Produtos, fica mais fácil. Do contrário, aproveite para cadastrá-lo.

Passo 6: Siga para a aba” Resumo”. Confira se todas as informações estão corretas e clique em “Salvar”. Pronto!

Os prazos da Duimp

A Duimp começou a ser implementada em outubro de 2018.

Segundo o cronograma divulgado pelo governo, para dezembro de 2020 estão previstas: a inclusão do Controle de Cargas e Trânsito de Importação no modal aéreo, integração com a atual Declaração de Importação (DI) e o fim do sistema Mantra (que atualmente regula as importações feitas pelo modal aéreo).

Também está prevista a expansão do escopo da Duimp para importações sujeitas a licenciamento de importação (LPCO), mas, neste primeiro momento, apenas para o modal marítimo e para quem é OEA.

Segundo o governo, os “próximos passos” e as “prioridades de evolução do Novo Processo de Importação” são: utilização da Duimp para importadores não OEA, inspeção física pelos Órgãos Anuentes, alterações nos regimes aduaneiros e integração da Duimp com “CCT Importação – Modal Aéreo”.

Duimp: cursos para aprender mais

Se você quer aprender mais para não fazer feio, saiba que existem cursos cujo objetivo é preparar gestores para a implantação da Duimp.

Plataforma de ensino como a SimulaComex e a Aduaneiras, por exemplo, oferecem cursos on-line e práticos que tiram dúvidas sobre a Duimp 

A Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) também já ofereceu cursos sobre o assunto. 

Se optar por fazer um curso para aprofundar seus conhecimentos, não se esqueça de pesquisar bastante antes de se matricular, entendido? Boa sorte! 

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Monitoramento de frota - Duimp: o que é e como funciona esse tipo de declaração
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário