Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 8 minutos

Fazer o agregamento de caminhão – seja ele um caminhão 3/4, truck ou baú – é uma oportunidade para ganhar uma renda extra quando os tempos estiverem difíceis e os fretes mais escassos. 

A demanda por agregamento de caminhão é boa: grandes transportadoras ou mesmos as empresas que têm frotas próprias, costumam distribuir parte de seus fretes aos agregados.

Parece um bom negócio, certo?

Mas vamos com calma. Neste texto, você vai aprender se vale a pena ou não agregar seu caminhão, quais as vantagens e desvantagens desse tipo de negócio e também qual a documentação e a qualificação necessárias para se tornar uma agregado.

Siga a leitura e confira!

O que é agregamento de caminhão

Se você é um caminhoneiro autônomo ou um proprietário de uma pequena frota ou transportadora já deve ter cogitado o agregamento de caminhão para ajudar a cobrir os custos de manutenção e aumentar sua renda.

Quem trabalha com transportes aprende a se acostumar a trabalhar com certezas dentro das incerteza. Justamente porque o caminhão pode ficar bastante tempo parado na garagem, doendo no bolso.

Às vezes, você até faz uma entrega vantajosa em algum canto mais distante do país, mas não consegue nenhum frete de retorno e volta para a casa com o baú do seu caminhão vazio e menos dinheiro do bolso do que imaginava inicialmente.

Para driblar esse tipo de situação (e ganhar um dinheiro extra), é comum que motoristas e donos de pequenas transportadoras agreguem seus veículos ou suas frotas a empresas grandes, ou seja, usem seus próprios caminhões para fazer entregas de transportadoras maiores.

Como avaliar se o agregamento de caminhão vale a pena?

O agregamento de caminhão talvez não seja ideal para todos os tipos de motoristas.

Há quem se dê melhor trabalhando diretamente para uma transportadora, com vínculo CLT.

Mas há quem goste de ser autônomo e agregue seu caminhão ocasionalmente, para garantir um dinheiro a mais no final do mês.

Além destes, ainda existem os proprietários de pequenas transportadoras que preferem agregar seus caminhões a deixá-los ociosos.

Seja qual for o seu caso, é importante checar algumas coisas antes de topar agregar seu caminhão.

Preste muita atenção na hora de assinar o contrato com a transportadora a qual vai agregar seu caminhão. Informe-se sobre o que é esperado de você e quais as contrapartidas que a empresa está disposta a oferecer.

Em alguns casos, as empresas redigem uma carta na qual afirmam estar agregando o determinado caminhão e descrevem o tipo de serviço a ser prestado pelo caminhoneiro.

Esse tipo de documento – a carta ou o contrato – costuma servir para indicar a ausência de vínculo empregatício entre o motorista e a transportadora.

Antes de assinar qualquer coisa, certifique-se de algumas coisas:

  • Como funciona o pagamento? O valor é fixo ou varia conforme a quilometragem rodada? Em que dia do mês o pagamento cai na sua conta?
  • Quem vai arcar com o combustível, os pedágios e eventuais despesas que o motorista tiver na estrada, como uma visita não planejada à oficina: o dono do veículo ou a empresa que o agregou?
  • A empresa também paga o frete de retorno?
  • Se foi acordado o agregamento do caminhão por determinado período de tempo, o motorista precisa cumprir uma carga horária na empresa ainda que não tenha nenhuma viagem a fazer?

Não se esqueça de botar tudo na ponta do lápis, fazer as contas com atenção e avaliar bem a proposta da empresa para concluir se agregar seu caminhão será ou não vantajoso.

Qualificação e documentação necessária para o agregamento de caminhão?

Para agregar seu veículo a uma transportadora é indispensável que você seja um bom motorista e que dirija um veículo em boas condições.

Obviamente, as transportadoras preferem agregar caminhões mais novos, que tenham menos de 10 anos de estrada e estejam com a manutenção em dia.

Ainda que a manutenção do veículo costume ser responsabilidade do motorista, as transportadoras também podem perder negócios se, no meio de uma viagem, ocorrer uma pane no caminhão ou ele perder muito tempo em uma oficina mecânica. Por isso, antes de agregar seu caminhão, certifique-se se ele está nas melhores condições possíveis.

As transportadoras também costumam exigir que os caminhões agregados sejam equipados com rastreadores veiculares e estejam com o seguro em dia. Em alguns casos, a própria transportadora cuida dos papéis do seguro, mas quem paga é o dono do caminhão.

Na hora de selecionar um caminheiro agregado, as empresas dão prioridade a quem tem experiência na estrada e tenha concluído determinados cursos, como de direção defensiva e, em alguns casos, de transporte de produtos perigosos.

Depois de ser aprovado no processo de seleção, prepare-se para separar os documentos necessários e, enfim, formalizar o agregamento do seu caminhão:

  • RG e CPF;
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC);
  • Comprovante de residência;
  • Documentação do veículo;
  • Informações bancárias para depósito do pagamento;
  • Se você for pessoa jurídica (PJ), também será necessário apresentar uma cópia do contrato social e um comprovante de endereço da empresa;
  • Se você for o proprietário de uma pequena transportadora e estiver agregando os veículos de sua frota, deverá apresentar toda a documentação dos motoristas.

Atenção: a lista de documentos pode variar de acordo com a transportadora. Fique atento!

Quais as vantagens do agregamento de caminhão?

Agora que você entende como funciona o agregamento de caminhão, conheça as vantagens desse negócio. 

Não fique parado

Motoristas autônomos correm o risco de ficar sem frete por algum por algum tempo – o que pode ser desesperador.

Quem agrega caminhão corre menos esse risco, porque, ao fechar um contrato com uma empresa, é comum que o motorista já receba uma estimativa de quantas e quais rotas vai fazer e do quanto vai ganhar.

Ao estabelecer contato e prestar serviços periódicos a uma transportadora, um caminhoneiro fica com a certeza de que, mais cedo ou mais tarde, vai ser chamado para uma ou outra entrega.

Aumente seus rendimentos

O caminhoneiro autônomo que passa a agregar seu veículo a uma transportadora costuma ver sua renda aumentar.

Isso ocorre porque ele passa menos tempo parado, é sempre chamado para um ou outro serviço e, consequentemente, vê mais dinheiro caindo na sua conta – e com mais frequência.

O agregamento de caminhão é uma prática comum entre motoristas autônomos e pequenas transportadoras.

Quais as desvantagens do agregamento de caminhão?

Tudo o que tem vantagens também tem desvantagens. Confira abaixo algumas das desvantagens do agregamento de caminhão

A rotina pode ser maçante e a autonomia ilusória

Muitos caminhoneiros optam pelo trabalho autônomo porque gostam de autonomia para aceitar e rejeitar os fretes que quiserem e também porque rejeitam a rotina e têm prazer em desbravar as estradas e conhecer os cantos mais distantes do país.

Pois tanto essa autonomia quanto essa liberdade podem diminuir consideravelmente se você agregar seu caminhão.

As empresas geralmente deixam cada caminhoneiro agregado responsável por uma rota, que talvez permaneça a mesma por muito tempo. Esse tipo de situação pode ser um pouco monótona para condutores que prezam por sua autonomia.

Ausência de direitos trabalhistas

Você se lembra de quando falamos que as empresas podem redigir uma carta na qual descrevem o serviço prestado pelo caminhoneiro agregado e afirmam a inexistência de vínculo empregatício?

Pois é: caminhoneiros agregados não recebem hora extra, férias, décimo-terceiro salário, vale-refeição ou plano de saúde, não contribuem para o INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), não recolhem FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e não têm direito a nenhum dos benefícios garantido a quem trabalha com carteira assinada, como o seguro-desemprego

Por não terem direitos trabalhistas, caminheiros agregados precisam ser mais disciplinados e saber administrar bem seus rendimentos, deixando sempre um pouquinho guardado na poupança para a aposentadoria ou algum imprevisto.

Como dissemos lá atrás, agregar de caminhão pode não ser um bom negócio para todo mundo. Agora que você já conhece as vantagens e desvantagens do agregamento de caminhão, conclua se esse é um bom negócio para você boa sorte! 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

clique e tenha visibilidade e controle da sua operação com a Cobli
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário