Black November Cobli: Confira a promoção do melhor sistema de gestão de frotas!

Tempo de leitura: 9 minutos

Na hora de adquirir um veículo, você certamente já se questionou se valia a pena investir no modelo mecânico ou naquele automatizado. Mas você sabe quais são as vantagens e diferenças? E, afinal, o que é transmissão automática?

Se no passado era considerado luxo um veículo possuir tal tecnologia, hoje em dia o câmbio automático é quase um requisito básico para o consumidor. Então, já passou da hora de entender o que é transmissão automática e, por isso, a Cobli traz todas as respostas!

Baixe um guia completo sobre como reduzir o consumo de combustível da sua frota!

Segundo a projeção que a Bright Consulting fez para o portal Exame, os veículos com transmissão automática deveriam somar cerca de 51% do total emplacado no ano de 2020. 

Em uma comparação com 10 anos atrás, o mercado automobilístico estava dominado pelos modelos mecânicos, que representavam, na época, 90% das vendas do setor.

Isso só comprova que o perfil e os interesses do consumidor vêm se transformando ao longo do tempo e pautas como conforto, praticidade e segurança tornaram-se primordiais.

Dito tudo isso, vamos entender o que é transmissão automática e manual, suas principais diferenças, vantagens e muito mais! Confira!

Como funciona a transmissão automática?

Quando falamos sobre o que é transmissão automática no veículo, estamos nos referindo a um sistema independente de engrenagens, que utilizam a relação da velocidade e rotação do motor para poderem trocar automaticamente de marcha.

O sistema é bem parecido com a transmissão semiautomática.

Portanto, neste caso, a embreagem dá lugar a um conversor de torque (sistema hidráulico) que é acoplado ao motor.

Então, ao acelerar o carro, o motor responde por meio de um fluído ao conversor de torque, que por sua vez está conectado às engrenagens. 

Dessa forma, o veículo recebe a mensagem e faz uma escolha inteligente acerca de quais engrenagens são recomendadas para cada caso. 

É importante dizer que este tipo de câmbio trabalha com sistemas mecânicos, hidráulicos, elétricos e até mesmo controles de computador.

Em outras palavras, podemos dizer que isso é o que significa transmissão automática: uma escolha autônoma do veículo sobre qual marcha utilizar.

Assim, o motorista consegue manter as mãos no volante e dirigir com mais conforto e segurança.

É por este motivo, também, que a transmissão automática em carros dispensa o pedal da embreagem.

Nos veículos de quatro rodas, os únicos pedais existentes são os de acelerador e o do breque.

Transmissão automática CVT

O exemplo citado acima trata do sistema de transmissão automática mais comum. Porém, existem outros tipos de câmbios dentro desta categoria.

Dentre eles está o CVT – Continuous Variable Transmission ou Transmissão Continuamente Variável.

Neste caso, não existe a troca de marchas como no modelo convencional, afinal, ele não possui engrenagens de transmissão.

Pelo contrário, no modelo CVT a marcha está diretamente ligada à variação da correia, o que evita os famosos trancos.

Esta seria uma solução mais econômica do ponto de vista do combustível, porém o sistema em si é muito caro, o que eleva o preço dos produtos.

câmbio com transmissão automática

Qual é a melhor transmissão automática?

Antes de decidir qual a melhor transmissão automática, é preciso conhecer os sistemas oferecidos no mercado.

Além do convencional e do câmbio CVT, ainda existem dois outros tipos de transmissão automática no veículo. São eles:

  • MTA (Manual Transmission Automated): possui um sistema eletrônico para troca de marchas, mas existe a possibilidade de operar de forma manual também. Por ser um sistema automatizado, o motorista fica mais suscetível a engasgos do veículo.
  • DCT (Dual Clutch Transmission): parecido com o câmbio automatizado, o DCT possui duas embreagens, o disco e o platô. Assim, quando o veículo está sendo conduzido em segunda marcha, por exemplo, ele já deixa engrenada a terceira para mudar o mais rápido possível sempre que sentir a velocidade aumentando. O câmbio DCT, porém, tem um custo elevado.

Agora, com todas essas informações a respeito dos tipos de câmbios, cabe a cada um dos motoristas decidirem qual a melhor transmissão automática que lhes convém.

O que é transmissão automática em moto?

A transmissão automática em moto mais comum é a CVT e costuma vir, na verdade, em Scooters.

Segundo o blog Infomoto, do UOL, só em 2019, as vendas deste tipo de veículo cresceram 43,8% em relação ao ano anterior.

A grande vantagem da transmissão CVT para motociclistas é o fato de que não há pedal de câmbio e nem embreagem. 

Dessa forma, os condutores conseguem dirigir com muito mais tranquilidade e sem preocupações.

Mas, em termos técnicos, o que é transmissão automática em moto? O câmbio CVT é formado por uma correia, roletes e polias que visam controlar o movimento da roda traseira e, consequentemente, a aceleração do veículo.

Tudo isso é feito de forma automática, sem a necessidade de o condutor acionar a embreagem.

Agora que você já sabe o que é moto com transmissão automática, fica muito mais fácil de decidir se este sistema é imprescindível para você ou não.

Faça a gestão eficiente dos veículos da sua empresa e ainda reduza seus custos!

Quais são os tipos de marchas automáticas?

Em veículos manuais, o condutor se orienta com marchas que vão de 1ª a 5 ª, além da ré, é claro. 

Já nos veículos com transmissão automática, a nomenclatura é distinta. As marchas são identificadas por letras de palavras vindas do inglês. Veja abaixo:

  • D (drive): utiliza-se essa marcha para dirigir.
  • P (parking): o condutor coloca essa marcha quando vai estacionar e desligar o veículo.
  • N (neutro): essa marcha pode ser acionada quando o veículo está parado, porém continua ligado. Ideal para o trânsito das grandes cidades.
  • R (reverse): nada mais é do que a marcha à ré.

As principais diferenças entre transmissão automática e manual

Dentre as principais diferenças da transmissão automática e manual podemos destacar os seguintes pontos:

  • Nomenclatura: como foi visto, os nomes das marchas mudam do câmbio manual para o automático, mas nada que seja impossível de decorar ou entender.
  • Uso do pé esquerdo: como a transmissão automática em carros, caminhões e veículos de quatro rodas não requer embreagem, o pé esquerdo fica parado. Para acionar o acelerador e o breque usa-se sempre o pé direito.
  • Manutenção: por serem sistemas distintos, deve haver um cuidado maior na manutenção do veículo com transmissão automática, como o tipo do lubrificante utilizado, por exemplo.
  • Combustível: estima-se que veículos com câmbio automático possam gastar cerca de 15% mais combustível do que aqueles com transmissão manual. Isso acontece devido às trocas de marchas mais frequentes.

Descubra agora qual o carro ideal para o seu negócio! Use o comparador gratuito de veículos da Cobli

Vantagens da transmissão automática em carros, caminhões e motos

Como você pôde ver, entender o que é transmissão automática em carros, caminhões e motos não é um assunto difícil.

Aliás, este tipo de câmbio oferece uma série de vantagens. O primeiro benefício que podemos destacar é que a transmissão automática não maltrata o veículo

Isso quer dizer que como as marchas são trocadas sempre que há necessidade, o condutor não corre o risco de forçar o veículo a andar com uma determinada marcha a uma velocidade que, teoricamente, não é compatível.

Um segundo ponto positivo está relacionado ao fato de que o motorista não precisa tirar as mãos do volante e nem utilizar o pé esquerdo. Assim, a tendência é se cansar menos no trânsito.

Por fim, temos a comodidade. Que atire a primeira pedra quem nunca passou grandes sufocos tentando subir ladeiras com o câmbio manual.

Na transmissão automática, por sua vez, isso não acontece, porque o veículo se mantém estável, não pendendo para trás.

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na redução de custos da sua gestão de operação!

Como cuidar do veículo com transmissão automática

Carros, motos e caminhões com transmissão automática acabam sendo mais visados para roubos do que aqueles com câmbio manual.

Mas aqui estamos falando de roubos não somente do veículo inteiro como de partes dele para revenda.

Isso acontece justamente porque, como dissemos anteriormente, o perfil do consumidor tem mudado muito. 

Por isso, manter-se protegido é fundamental e os sistemas de rastreadores veiculares da Cobli cumprem bem essa função de ofertar segurança aos usuários e até mesmo donos de frotas.

O rastreador veicular da Cobli, ao contrário do que muitos podem imaginar, é uma tecnologia que abrange muito mais do que simplesmente dizer o local exato onde o veículo está.

Trata-se de uma solução integrada de gestão veicular em que é possível traçar as melhores rotas, evitando locais perigosos, mas também monitoramento de condutores e manutenção do veículo.

E você consegue acessar todas essas informações do seu celular. A Cobli dispõe de aplicativos tanto para o gestor como para o condutor, visando extrair de ambos sua melhor performance.

Então, a conclusão que podemos chegar é que não basta entender o que é transmissão automática no carro, moto ou caminhão, mas também é preciso saber como conservar aquilo que é seu e poder dirigir com o máximo de segurança não somente no volante.

Manutenção de frota - O que é transmissão automática? Veja as vantagens deste tipo de câmbio
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário