Redespacho: o que é e como funciona?

O redespacho é uma modalidade de transporte realizada por pelo menos duas empresas diferentes com o objetivo de ampliar a área de entrega dos produtos e acelerar a distribuição.

Apesar de bastante comum em países continentais como o Brasil, esse tipo de prática pode gerar muitas dúvidas, pois envolve uma documentação específica e tem uma série de peculiaridades.

Nesse artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre esse importante recurso logístico. Confira!

O que é o redespacho e como funciona?

Quanto uma empresa precisa realizar o transporte de determinada carga ou produto fora de sua área de atuação ou alcance é comum que ela contrate uma ou mais empresas para realizar uma parte do transporte.

Esse tipo de contratação é chamado redespacho e é mais comum do que você imagina e pode ser realizada no início, meio ou fim do trajeto, de acordo com a necessidade.

Em países continentais, como o Brasil, o redespacho pode ser uma excelente alternativa para ampliar a área de distribuição da sua empresa.

A empresa que contrata outra para fazer o transporte da carga em determinada área é a redespachante. A contratada para realizar o deslocamento é chamada de redespachada.

Quem mantém o vínculo com a pessoa física ou jurídica que contrata o transporte é a empresa redespachante, sendo responsável por todo o trajeto da carga até o destino combinado.

Quais são os tipos de redespacho?

Existem três tipos principais de redespacho. Entenda a seguir como funciona cada um deles.

1. Redespacho

Ocorre quando a empresa contratante precisa de ajuda para realizar a entrega fora de sua área de cobertura para o destinatário final. A empresa redespachada é responsável pelo último trecho da jornada de entrega.

2. Redespacho intermediário

Ocorre em três etapas, onde a empresa contratada realiza o transporte intermediário entre duas transportadoras.

A transportadora “A” coleta a carga e leva até um ponto onde o intermediário “B” faz leva a mercadoria para a empresa “C” finalizar a entrega no destino final.

3. Subcontratação

Nesse caso um motorista terceirizado é contratado para realizar a coleta e a entrega. O agendamento, roteirização do trajeto e pagamentos é de responsabilidade da empresa contratante do serviço.

Qual a documentação necessária para realizar este serviço?

Para que todas as fases do transporte ocorram de forma correta é necessário que a documentação seja realizada com cautela. O documento oficial, que deve ser emitido por todas as empresas envolvidas no redespacho, é chamado Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e).

O CT-e é um documento emitido digitalmente que funciona como uma comprovação fiscal das operações de transporte e frete. Cada modalidade de redespacho possui regras de emissão do documento, entenda:

Redespacho

  • Redespachante: emite o CT-e original;
  • Redespachada: emite o CT-e de redespacho.

Redespacho intermediário

  • Redespachante: emite o CT-e original;
  • Redespachada 1: emite o redespacho intermediário;
  • Redespachada 2: emite o redespacho.

Subcontratação

  • Contratante emite o CT-e;
  • Subcontratada emite outro CT-e.

Conheça as vantagens e desvantagens dessa modalidade

Como toda modalidade logística, o redespacho tem vantagens e desvantagens. O que determina se esse tipo de contratação é o modelo ideal para a sua empresa são as peculiaridades de cada negócio.

O redespacho aumentando a abrangência territorial da empresa, potencializando as oportunidades de negócio.

Vamos entender primeiro quais são as vantagens do redespacho:

Ampliação da rede de distribuição

Quem tem uma empresa de atuação regional pode aumentar a cobertura de entregas e atender lugares mais distantes por meio do redespacho.

Aumentando a abrangência territorial, as oportunidades de negócio também são potencializadas.

Otimização das entregas

Ao contratar uma empresa parceira para realizar um trecho ou todo o transporte da carga a redespachada não precisa dispor de muitos recursos físicos e humanos.

Além disso, vários trajetos podem ser realizados ao mesmo tempo, agilizando as entregas

Outra vantagem do redespacho é a possibilidade de otimizar os prazos e até mesmo a operação como um todo. Contratando outra empresa para realizar um trecho ou todo o trajeto do transporte da carga, a transportadora pode fazer mais em menos tempo e agilizar as entregas.

Redução de custos

A contratação de parceiros terceirizados podem ajudar a empresa redespachada a economizar com manutenção de frota, combustível e despesas trabalhistas com motoristas.

Maior competitividade

Com uma área de abrangência maior e prazos de entrega mais curtos, o redespacho é uma ferramenta importantíssima para aumentar a lucratividade e satisfação do seu cliente.

Para te ajudar, a Cobli preparou uma planilha para controlar as entregas realizadas pela sua frota, basta baixar e acessar!

Entenda agora quais são os pontos de atenção, que muitas vezes podem ser consideradas desvantagens da modalidade de redespacho:

Atrasos na entrega

Contando com um parceiro terceirizado é importante que a empresa contratada para realizar o transporte controle as rotas e prazos das entregas, para evitar atrasos e insatisfações.

Problemas com as condições do produto entregue

A carga deverá chegar em boas condições ao destino final, por isso é importante se certificar que a empresa parceira realize o transporte de forma adequada, utilizando todos os equipamentos necessários, para garantir a integridade da carga.

Falta de padronização dos processos

Ao contratar uma empresa parceira é essencial compartilhar os processos de trabalho para que as diferenças operacionais não representem um problema na entrega.

Lembre-se: a redespachada está representando a sua empresa durante um trajeto específico.

Certifique-se que ela esteja trabalhando dentro dos valores e objetivos do seu negócio.

Como funciona o seguro de transporte para este caso?

Tanto a empresa redespachante ou contratante, quanto a redespachada ou contratada, devem ter o Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário (RCTR C).

O RCTR-C é uma categoria de seguros que garante ao contratante uma indenização em caso de prejuízo (como capotagens, tombamentos, colisões, abalroamentos, choques, incêndios e explosões) durante o transporte de cargas, garantindo a proteção de bens e mercadorias. Leia mais sobre o Seguro de Cargas no blog da Cobli!

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) determina que este seguro é obrigatório para toda operação de prestação de serviço de transporte.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre gestão de frota em nosso blog.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.