Post atualizado em

Disso você já sabe: calibragem de pneu é dos hábitos mais importantes para quem dirige. Mas não é sempre que a tarefa é encarada com seriedade pelos motoristas.

Para dar uma ideia, estima-se que 45% deles trafeguem com uma pressão fora da recomendada. Em 20% desses casos, o nível é considerado perigoso.

Pensando nisso, criamos este post para que você possa esclarecer suas principais dúvidas sobre o assunto. Abaixo, você conhecerá quais são os cuidados que não podem ser deixados de lado e a frequência correta em que deverão ser realizados.

A importância da calibragem de pneus

Se você dirige, certamente já ouviu falar sobre a importância de calibrar o pneu. Os pneus, por si só, merecem uma atenção especial, pois eles são os pontos de contato diretos do veículo com a estrada. Sendo assim, é fundamental que eles estejam em bom estado de conservação.

Ao ajustar os pneus do veículo com a calibragem adequada, você garantirá que eles desempenhem sua função de maneira eficiente. Isso sem falar que esse cuidado é o primeiro passo para trafegar com mais segurança e, de quebra, fazer com que o conjunto de pneus dure por mais tempo.

A pressão ideal

Muitas pessoas ficam perdidas sobre qual é a calibragem correta para o seu veículo. Esta dúvida é comum, afinal, a pressão ideal pode variar conforme alguns fatores. O modelo do veículo, a carga que ele carrega e a geometria do pneu são alguns aspectos que contribuem para essa variação.

Ainda assim, é importante lembrar que cada modelo de automóvel traz consigo algumas especificações do fabricante. Para não errar, consulte essas orientações para saber quantas libras você deverá colocar em cada pneu, de acordo com as recomendações internacionais do INMETRO — Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

A frequência recomendada

O ideal é que o motorista se comprometa com a calibragem uma vez por semana. Caso não seja possível, ela deve ser feita de 15 em 15 dias — e sempre antes de pegar a estrada para viajar.

Além disso, não deixe de verificar nas orientações do fabricante se a pressão deve ser a mesma para os pneus da frente e de trás, pois costuma haver uma diferenciação nesse sentido (principalmente para quem viaja com muita bagagem).

Vantagens de manter a pressão correta

Veja agora alguns benefícios que a calibragem correta pode oferecer ao seu veículo.

Maior durabilidade

Como mencionamos, o pneu dura consideravelmente mais quando é calibrado de maneira adequada. Para você ter uma ideia melhor, é estimado que ele pode rodar (no mínimo) 8.000 quilômetros a mais quando é bem cuidado — uma parcela um tanto quanto considerável.

Economia no consumo de combustível

Seu veículo pode gastar ainda mais combustível se estiver com a calibragem errada. Da mesma forma, você pode ter boas economias se mantiver os pneus na pressão correta. Isso porque o carro tem que gastar mais “energia” e mais força para vencer a resistência do ar — uma tarefa que fica bem mais simples quando os pneus estão corretamente calibrados.

Riscos da pressão mais baixa

Além dos benefícios que você acabou de conhecer, existem outros motivos que podem fazer com que você aposte na manutenção da calibragem do pneu.

A seguir, conheça os principais riscos da má calibragem dos pneus.

Maiores chances de explosão

Andar com o pneu fora da calibragem recomendada provoca um aquecimento do pneu fora do normal, um fator que influencia na sua deformação exagerada. Isso faz com que ocorra o desgaste prematuro da banda de rodagem, aumentando os riscos de que o pneu estoure.

Amplia as probabilidade de acidentes

A baixa pressão ainda é responsável por diminuir as boas condições de direção do veículo. Por estar desregulado, há possibilidades de que o pneu tenha dificuldades em seguir a direção do motorista, sendo menos preciso. Como você deve imaginar, essa situação é um prato cheio para acidentes.

Além disso, a pouca aderência prejudica a capacidade de frenagem e altera o desempenho do veículo nas trajetórias em curvas (principalmente em altas velocidades).

Não poderíamos deixar de citar também o aumento da chance de aquaplanagem. Como não está da forma ideal, o veículo pode perder a estabilidade em velocidades mais baixas que as normais. Isso exigirá atenção e prudência redobradas do condutor na direção.

Reduz a durabilidade

Vale ressaltar também que a baixa pressão dos pneus interfere de forma direta na sua durabilidade. Ela chega a ser 30% menor que o ideal, mas o desgaste pode ser ainda maior. Quanto mais baixa a pressão estiver, maior o desgaste provocado ao pneu, pois existe uma “área” ainda maior sendo desgastada.

Outras dicas

Esteja atento e observe o que pode ser feito para melhorar as condições do seu veículo.

  1. Se perceber que seu pneu perde mais que 1,5 libra por mês, é bom ficar de olho. Neste caso, é provável que tenha uma fuga anormal da pressão, por isso, verifique o conjunto de pneu e roda com um profissional de sua confiança.
  2. Tenha tampas nas válvulas de todos os pneus. Muitos motoristas pensam que isso não é importante, porém, isso ajuda muito na tarefa de manter a calibragem por mais tempo (mesmo que aparentemente não esteja vazando sem a válvula).
  3. Fique de olho também na integridade do pneu — principalmente depois de rodar muito tempo com a calibragem incorreta. Calibrar o pneu depois de muito tempo nessa situação pode não ser a melhor alternativa, pois ele pode ter desenvolvido algum tipo de anomalia.

Agora que você entende melhor como a calibragem de pneus é importante, não deixe de adotar esse hábito com mais seriedade. Siga esses cuidados e garanta mais economia, tranquilidade e segurança ao trafegar com o seu veículo.

Se você gostou das dicas, o que acha de acompanhar outros conteúdos valiosos em nossas redes sociais? Estamos no FacebookInstagramLinkedIn e YouTube. Nos vemos lá!

Manutenção de Frotas

Escreva um Comentário