Transporte de carga a granel: o que é e como funciona? Confira tudo

O setor de transportes é responsável pelo deslocamento de diversos tipos de materiais, produtos e mercadorias e, dentre eles, está a carga a granel, um carregamento extremamente importante especialmente em regiões agrícolas no Brasil.

E por que é fundamental conhecer sobre?

A resposta é simples e direta: além de ser uma carga que movimenta a economia nacional tanto no transporte interno como na exportação, para carregar determinado item, você precisa entender como acomodá-lo e quais os melhores modais de transporte para aquele produto.

Só assim será possível garantir que as mercadorias cheguem em sua total integridade ao destino final.

Por isso, separamos as principais características dessa carga, desde suas especificações, tipos e muito mais. Siga a leitura e confira!

O que é a carga a granel?

Os produtos a granel são mercadorias transportadas sem uma embalagem própria. Esse tipo de carga não pode ser encaixotada, por exemplo.

As principais características da carga a granel é não possuir embalagens e ser transportada em seu estado bruto.

Além disso, os itens são transportados, em muitos casos, em seu estado natural e em grandes quantidades.

Por isso, essa carga é fracionada são diferentes, afinal, os produtos a granel não são divididos em pequenas parcelas para serem transportados.

E é por este motivo também que é preciso ter um transporte adequado para realizar o deslocamento dessa mercadoria.

Itens de cultivo agrícola são ótimos exemplos, como os grãos, as frutas, o arroz, o café, as verduras, entre outros.

Entretanto, não são só os alimentos que são classificados como carga a granel. A madeira, o ferro e diferentes tipos de pedra também entram nessa categoria.

Qual a diferença entre carga geral e granel?

Existe alguma diferença? Se sim, quais são elas?

O conceito de carga geral é justamente um produto ou mercadoria devidamente embalada e identificada na hora do transporte e com contagem de unidades.

A carga geral pode ser solta, ou seja, itens acondicionados em embalagens diversas e em tamanhos diferentes, como é o caso das caixas de papelão e madeira, ou unitizada, o que possibilita a sua movimentação e armazenagem mecanizadas em forma de unidades.

Já a carga a granel não possui uma embalagem própria, é transportada em seu estado bruto e em volumes maiores.

Os tipos de carga a granel

De modo geral, existem dois tipos: os sólidos e os líquidos e ambos são importantes para a economia brasileira.

Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) foram mais de um bilhão de toneladas de carga granel sólida e líquida transportadas durante o ano de 2021.

Bastante coisa, não é mesmo? Mas o que distingue essas duas categorias? Vejamos a seguir!

Carga sólida a granel

Chamamos de carga sólida a granel todos os produtos dessa categoria que podem ser mensurados em quilogramas.

Esse é o caso do arroz, do milho, do café, do trigo, dos minerais, do ferro, entre outros.

Carga líquida a granel

Se por um lado temos os sólidos, por outro há também a carga a granel líquida e que é tão importante quanto a anterior.

Sabe o caminhão pipa? Aquele que leva água para diversas regiões do país? Pois bem, ele é um veículo que transporta a carga líquida.

Além disso, se enquadram nessa categoria produtos como petróleo, gasolina e diesel, óleos e até sucos.

Como é feito o transporte de carga sólida a granel?

O transporte de carga sólida a granel pode ser realizado de diversas formas.

Existem os navios graneleiros, que possuem um convés em formato retangular a fim de melhorar a movimentação dessa carga.

Há também a possibilidade de transportar os produtos a granel com o modal ferroviário, já que ele comporta grandes quantidades de mercadorias.

Mas não podemos deixar de lado o fato do Brasil ser um país que ainda depende muito do transporte rodoviário e, por este motivo, esse é um dos meios de transporte de carga mais utilizados em solo nacional.

O transporte pode ser feito de diferentes formas, ainda que exista uma dependência da malha rodoviária no país.

O importante, contudo, é escolher o melhor tipo de carroceria para esse translado.

No transporte de carga sólida a granel podem ser utilizados caminhões truck, carretas e as próprias graneleiras.

Esta última é uma espécie de carreta, porém com grades altas, o que possibilita acomodar os produtos a granel mais facilmente.

Todavia, é importante ficar atento às regras estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito, o Contran.

A Resolução 441, elaborada pelo órgão, determina que o transporte de qualquer tipo de sólido a granel em carrocerias abertas deve ser protegido por uma lona bem ancorada no veículo e que cubra totalmente as mercadorias.

Essa determinação visa promover maior segurança nas vias públicas uma vez que o transporte de carga sólida a granel gera muitos desperdícios ao longo do trajeto.

Como é realizado o transporte de carga líquida a granel?

A carga líquida a granel precisa de compartimentos mais robustos e completamente fechados para não vazar no meio do caminho.

Portanto, os veículos que realizam esse tipo de transporte possuem grandes reservatórios, como é o caso dos caminhões-tanque nas malhas rodoviárias.

E assim como os sólidos, a carga líquida a granel também pode ser transportada em outros modais de transporte.

No caso dos navios, ela é acomodada em tanques preparados para receber esse tipo de produto. E isso inclui não só no quesito limpeza, mas também os sistemas de aquecimento e resfriamento que visam manter a pureza e conservação daquele líquido.

É válido dizer que um navio tanque consegue transportar mais de 40 mil toneladas de carga líquida a granel.

Outra maneira de realizar esse deslocamento também é pelas ferrovias. Os vagões possuem tanques que também podem acomodar esse tipo de carga por longos períodos.

Mas independentemente do modal escolhido, por levarem produtos perigosos e inflamáveis, como o diesel, a gasolina e o álcool, o transporte de carga líquida a granel exige uma documentação específica que atesta a inspeção destes itens, além da autorização ambiental.

Esta publicação te ajudou? Confira mais sobre cargas e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.