smart city como funciona na prática

Smart City: como funciona uma cidade inteligente?

*Artigo atualizado em 15/05/2024.

O conceito de smart city tem ganhado cada vez mais destaque na era da tecnologia e da busca por soluções sustentáveis.

Ao redor do mundo, um número crescente de municípios tem se comprometido com a implementação de soluções inovadoras e práticas que não apenas beneficiam o meio ambiente, como a mobilidade sustentável, mas também a qualidade de vida dos habitantes.

Entre as cidades inteligentes mais conhecidas temos Cingapura, Helsinque, Zurique, Oslo e Amsterdã.

Mas o Brasil também tem uma smart city de peso, é Curitiba, que ganhou o prêmio de cidade mais inteligente do mundo em 2023.

E, afinal, uma smart city? Quais são os seus objetivos, características e pilares?

A seguir, você poderá conhecer com mais detalhes as características das cidades inteligentes e como elas conseguem transformar o futuro da nossa sociedade. Siga com a leitura e confira!

O que é smart city?

Smart city é uma cidade que utiliza a tecnologia para otimizar o uso dos recursos, melhorar a gestão pública, aumentar a segurança, promover a participação de seus cidadãos e oferecer serviços de qualidade aos habitantes.

Uma smart city não é apenas uma cidade com muitos dispositivos eletrônicos, mas sim uma cidade que usa a informação e a comunicação para resolver os problemas urbanos e criar oportunidades de desenvolvimento.

06 tecnologias e infraestrutura de uma smart city

Para se tornar uma smart city, a cidade precisa investir em tecnologias e infraestrutura que possibilitem a coleta, o processamento e o compartilhamento de dados em tempo real, além de facilitar a integração entre os diferentes setores e agentes envolvidos na vida urbana.

Algumas das principais tecnologias e infraestrutura de uma smart city são:

01. Internet das Coisas (IoT) e sensores inteligentes

A Internet das Coisas (IoT) desempenha um papel fundamental em uma smart city, permitindo a conexão de dispositivos e sensores inteligentes em toda a cidade.

Esses sensores coletam uma grande variedade de dados em tempo real, desde informações sobre tráfego e qualidade do ar até o uso de energia em edifícios, iluminação pública e poluição, fornecendo insights valiosos para a gestão urbana.

02 . Redes de comunicação e conectividade

Uma infraestrutura de rede robusta e de alta velocidade é essencial para garantir a conectividade em uma smart city, especialmente para transmitir os dados coletados pelos sensores e dispositivos da IoT.

Redes 5G e Wi-Fi público são exemplos de tecnologias que permitem a comunicação rápida e confiável entre dispositivos, sistemas e cidadãos.

Por isso, as redes devem ser rápidas, seguras e abrangentes, cobrindo todo o território da cidade. Além disso, devem ser compatíveis com as diferentes tecnologias utilizadas na smart city.

03. Sistemas de energia inteligente

Os sistemas de energia inteligente são projetados para otimizar o consumo e a distribuição de energia da smart city.

Isso pode incluir a integração de fontes de energia renovável, como solar e eólica, a implementação de medidores inteligentes e a criação de redes de energia mais eficientes e resilientes.

Eles também possibilitam a interação entre os consumidores e os fornecedores de energia, permitindo ajustar a demanda e a oferta conforme as necessidades e as condições do mercado.

04. Gerenciamento de resíduos e sustentabilidade

O gerenciamento de resíduos envolve o uso da tecnologia para reduzir a produção de lixo, aumentar a reciclagem, otimizar a coleta e o transporte dos resíduos, monitorar os aterros sanitários e transformar o lixo em energia ou matéria-prima.

Atua ainda com medidas para preservar os recursos naturais, como a água e o ar, e mitigar os efeitos das mudanças climáticas, em um investimento contínuo que impacta diretamente na sustentabilidade da cidade.

05. Mobilidade urbana e transporte inteligente

A mobilidade urbana e o transporte inteligente estão conectados com a aplicação da tecnologia para melhorar o deslocamento das pessoas e das mercadorias na cidade, reduzindo o congestionamento, o tempo de viagem, os acidentes e a poluição.

Dessa maneira, o transporte é uma área-chave de foco para uma smart city, que atua na implementação de sistemas de transporte público eficientes, a expansão de ciclovias e a promoção de veículos elétricos e compartilhados.

Para isso, são usados sistemas de informação em tempo real, aplicativos de mobilidade compartilhada, veículos autônomos ou elétricos, bicicletas públicas, semáforos inteligentes, entre outros.

06. Infraestrutura digital e cidades digitais

Uma infraestrutura digital sólida é essencial para o funcionamento de uma smart city.

Este tipo de iniciativa inclui a criação de plataformas de dados abertos, aplicativos móveis para serviços públicos e a digitalização de processos governamentais para tornar os serviços mais acessíveis e eficientes para os cidadãos.

O intuito ainda é facilitar a comunicação entre os cidadãos e o governo, permitindo que eles expressem suas opiniões, demandas e sugestões sobre as questões da cidade.

smart city na prática.
Smart city é uma cidade inteligente, utilizando tecnologia para otimizar o uso de seus recursos.

Qual o objetivo das cidades inteligentes?

As cidades inteligentes têm como principal objetivo utilizar a tecnologia e a inovação para melhorar a eficiência dos serviços urbanos, promover o desenvolvimento sustentável e aprimorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Isso envolve a integração de sistemas de informação e comunicação, a adoção de práticas sustentáveis e a melhoria da infraestrutura urbana para tornar as cidades mais habitáveis, seguras e eficientes.

Para alcançar estes objetivos de forma prática, a smart city busca:

  • Otimizar o uso dos recursos naturais, energéticos e financeiros;
  • Aumentar a eficiência e a transparência da gestão pública;
  • Melhorar a mobilidade e a acessibilidade;
  • Garantir a segurança e a inclusão social;
  • Estimular a educação e a cultura;
  • Fomentar a criatividade e o empreendedorismo.

Quais as características de uma smart city?

Não há um modelo único ou uma definição padrão de cidade inteligente. Cada smart city pode adotar diferentes soluções e estratégias conforme as suas necessidades, potencialidades e desafios.

No entanto, algumas características comuns são:

  • Uso intensivo de tecnologias da informação e comunicação (TICs), como internet das coisas (IoT), big data e inteligência artificial;
  • Aplicação de soluções inovadoras e sustentáveis para melhorar a infraestrutura urbana, como redes inteligentes de energia, iluminação pública eficiente e edifícios verdes;
  • Promoção da participação cidadã na tomada de decisões e na cocriação de soluções para os problemas urbanos;
  • Valorização da diversidade cultural, social e econômica da cidade, respeitando os direitos humanos, a democracia e a equidade.
bonde elétrico, exemplo de aplicabilidade de smart city.
Bonde elétrico da Alemanha, exemplo de mobilidade sustentável, aplicabilidade de uma smart city.

Quais são os 04 pilares das cidades inteligentes?

As cidades inteligentes se apoiam em quatro pilares fundamentais que sustentam seu funcionamento e sua missão de criar ambientes urbanos mais sustentáveis e conectados. São eles:

Pilar n.º 01: conectividade

A conectividade é a espinha dorsal das cidades inteligentes. Ela se refere à capacidade de conectar pessoas, objetos, serviços e informações por meio de redes digitais.

Este pilar permite que os dados sejam coletados, compartilhados e processados em tempo real para gerar conhecimento e valor.

A conectividade também facilita a comunicação entre os diferentes atores urbanos: governo, empresas, organizações sociais e cidadãos, sendo essencial para promover a inovação aberta e colaborativa nas cidades.

Pilar n.º 02: mobilidade

A mobilidade urbana é um dos grandes desafios das cidades modernas. Na smart city, a mobilidade é repensada para torná-la mais eficiente, segura e sustentável.

Este processo envolve a integração de diferentes modos de transporte, como transporte público, bicicletas compartilhadas e veículos elétricos, além da implementação de sistemas de gestão de tráfego e de estacionamento inteligentes.

Pilar n.º 03: segurança

A segurança é um direito fundamental dos cidadãos e um requisito para o desenvolvimento das cidades.

Ela se refere à capacidade de proteger as pessoas, os bens e o patrimônio público de ameaças como violência, criminalidade, acidentes, desastres naturais e ciberataques.

A segurança também envolve a prevenção e a resposta a essas situações, por meio de medidas que englobam o uso de tecnologias para monitorar e controlar o espaço urbano, como câmeras de vigilância, sensores, drones, alarmes, por exemplo.

Pilar nº 04: sustentabilidade

A sustentabilidade é um princípio ético e estratégico para as cidades inteligentes. Ela se refere à capacidade de garantir o bem-estar das gerações presentes e futuras, preservando o meio ambiente e os recursos naturais.

Também implica em promover o desenvolvimento econômico e social de forma equilibrada e inclusiva.

De forma geral, a smart city investe em energias renováveis, gestão eficiente de resíduos, edifícios verdes e espaços públicos sustentáveis para criar ambientes urbanos mais saudáveis e ecológicos.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli!

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *