Black November Cobli: Confira a promoção do melhor sistema de gestão de frotas!

Tempo de leitura: 8 minutos

Todo gestor de empresa deveria conhecer a metodologia Six Sigma e se você ainda não sabe do que se trata, veio ao lugar certo!

Cada vez mais é exigido das empresas eficiência aliada a qualidade de produtos e serviços. Por isso, quando algo dentro da cadeia produtiva sai errado, pode impactar negativamente os negócios da companhia. 

Mas existe uma solução e ela é o Six Sigma, metodologia na qual visa atuar no foco do problema e trazer uma melhoria de performance e otimização dos processos produtivos.

Ficou curioso para saber o que é Six Sigma? Então, siga a leitura, porque nesse texto você verá:

O significado de Six Sigma

Em linhas gerais, o Six Sigma é um sistema de gestão que utiliza um conjunto de ações dentro de uma empresa a fim de erradicar falhas por meio de uma diminuição dos processos.

Parece complicado, certo? Mas você verá que o Seis Sigma é bem mais fácil de entender do que você imagina. 

Quando se trata de uma produção de sapatos, por exemplo, a inserção da sola faz parte de uma das diversas etapas as quais são importantes para ter a mercadoria final. 

O Six Sigma, portanto, diz que quanto menor forem as variações dentro deste processo de produção, mais qualificada ela estará. 

A metodologia, então, atua com o intuito de reduzir custos, otimizar serviços e produtos, além de, claro, deixar o cliente feliz e satisfeito. 

Entendendo o Six Sigma

A metodologia se embasa em um fundamento quase que utópico de perfeição relacionado ao desempenho no processo de produção.

O nome Sigma é originário de uma letra grega que significa desvio de padrão.

A lógica funciona da seguinte forma: quanto maior for o nível do Sigma, menores serão as variações do processo e, consequentemente há um desempenho melhor do produto.

Ao atingir o nível Seis Sigma, a empresa teria 3,4 defeitos para um milhão. O número de referência é considerado excelente, afinal, haveria uma redução em larga escala de erros dentro do processo.

Porém, estabeleceu-se também que a partir do nível quatro Sigma já existe uma qualidade razoável de produção.

Como surgiu a metodologia?

Na década de 1980, o engenheiro Bill Smith trabalhava na Motorola – empresa norte-americana de telecomunicações conhecida no mundo inteiro pela produção de telefones celulares – e foi o responsável pela criação do Six Sigma.

Em conjunto com o seu companheiro Mikel Harry e inspirado pelo grande sucesso de uma empresa japonesa, Bill Smith elaborou um relatório de pesquisa sobre um sistema de gerenciamento inovador que analisava o desempenho de um produto no mercado com as alterações que precisavam ser feitas na fabricação.

Posteriormente a metodologia foi adotada também pela General Motors (GE). 

Mas se vasculharmos ainda mais a história, encontramos o conceito de controle estatístico de qualidade desenvolvido pelo físico e engenheiro Walter S. Shewhart, que foi importante para dar o pontapé inicial nos estudos sobre o tema.

O intuito da pesquisa de Smith foi fomentar a satisfação de clientes por meio de um aperfeiçoamento dos processos de produção de mercadorias – a princípio industriais – e, consequentemente aprimorar a qualidade dos produtos que a empresa comercializava.

Porém, o sucesso da metodologia Six Sigma foi tão grande que conseguiu abranger outras áreas, dentre elas a logística.

Como funciona o Six Sigma

Para entender como funciona o Six Sigma, é importante compreender uma métrica fundamental que, inclusive, origina o nome da metodologia: o desvio de padrão.

O desvio de padrão nada mais é do que uma curva fora da média. Vamos à um exemplo prático:

Pense na produção de arroz, na qual a média de peso da embalagem é de 1kg. 

Porém, existe a possibilidade deste saco vir com um pouco mais ou um pouco menos de arroz.

O desvio de padrão, portanto, é uma métrica que calcula o grau de variação de peso destas embalagens. 

O método, contudo, procura deixar esse desvio de padrão o menor possível. E por que isso?

É bem simples a resposta. Quando você vai ao mercado comprar o seu saco de arroz, você busca encontrar todas as vezes a mesma qualidade naquele produto, certo?

Dessa forma, a média é uma referência necessária quando se trata do Seis Sigma e deixar os produtos sempre o mais próximo possível dela é fundamental para que a mercadoria atinja um nível de qualidade que se aproxima da perfeição.

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na redução de custos da sua gestão de operação!

Os objetivos do método

A empresa que consegue ascender ao nível 6 Sigma obtém diversos benefícios. Veja abaixo:

  • Maior lucro;
  • Satisfação de clientes;
  • Aumento de produtividade;
  • Uma melhor difusão da imagem da marca;
  • Redução de custos.
six sigma dmaic

Quais os métodos adotados no Six Sigma?

As ferramentas Six Sigma são baseadas no ciclo PDCA, idealizado por Walter A. Shenwhart, e seguem duas metodologias principais. Confira abaixo:

DMADV

Indicado em situações nas quais o produto e/ou serviço ainda está em fase de desenvolvimento. 

Cada letra da sigla possui um significado acerca de uma das etapas do processo. Veja a seguir:

  • Definir: o primeiro passo é traçar os objetivos que podem ser alcançados com base nas estratégias corporativas.
  • Medir: extrair o máximo de dados possíveis, entender os riscos e compreender os aspectos fundamentais que guiam a qualidade do produto.
  • Analisar: explorar todas as possibilidades levantadas e elencá-las por ordem de prioridade.
  • Desenhar: é neste momento em que o produto/serviço começa a ter uma identidade, mas só ficará pronto após uma incansável sequência de testes. 
  • Verificar: validação final antes do produto/serviço ser oficialmente lançado. 

DMAIC

Já o DMAIC carrega a proposta de melhoria para um produto já existente. As fases da metodologia são as seguintes:

  • Definição do problema: identificar a falha que necessita de uma solução.
  • Mensurar as condições principais do problema: relações de causa e feito do problema em questão.
  • Análise: depois de reunir todas as informações acerca do que necessita ser melhorado, é necessária uma análise detalhada para ver quais são os possíveis caminhos a serem seguidos.
  • Melhorar o processo: fundamentado nas análises anteriores, sugerir soluções plausíveis para resolver o problema.
  • Controle: após o processo ser implementado, o controle do mesmo é sempre requerido para que possíveis desvios sejam corrigidos o mais rápido possível.

Áreas de aplicação do Seis Sigma

A metodologia é bem versátil e se adapta às mais diversas áreas. O Six Sigma compreende tanto processos industriais, tais quais como nas circunstâncias em que foi criado, como também em âmbito administrativo (Lean Office), de saúde (Lean Healthcare) e de logística (Logística Lean).

O Lean Six Sigma faz parte de um conjunto de ferramentas que visam eliminar as etapas que são desnecessárias ao processo e que não carregam um valor agregado para os negócios. 

Então, como o Lean e Six Sigma atuam? Ambos são complementares. O Lean reúne seus esforços em reduzir ao máximo desperdícios no processo, enquanto o Six Sigma dedica toda a sua atenção à redução da variação.

Quando falamos sobre o que é Lean, estamos relacionando ferramentas menos técnicas e mais organização do ambiente de trabalho. 

Já o Six Sigma é fundamentado em análise de dados estatísticos. 

O Lean poderia ser definido como a primeira etapa do trabalho, na qual não é necessária uma abordagem tão robusta. 

Neste caso, a redução do desperdício pode tornar o local de trabalho mais produtivo e eficiente. 

Quando se percebe que os problemas ainda não foram erradicados, então o próximo passo é recorrer ao Six Sigma, no qual recursos técnicos e estatísticos serão aplicados.

Dicas para utilizar o Six Sigma em sua empresa

Para aplicar o método Seis Sigma em sua empresa, é necessário primeiro ter um conhecimento aprofundado sobre o tema e capacitar os seus funcionários para que eles também compreendam do que se trata. 

Existem certificações no mercado classificadas por cores, assim como no Jiu Jitsu. São elas: White Belt, Yellow Belt, Green Belt, Black Belt, Master Black Belt. 

Mas não é só isso! Ter um sistema que colete dados de maneira correta e confiável também é essencial. Afinal, como você pôde ver, o Six Sigma é fundamentado nesta coleta de informações.

Agora que você já sabe tudo sobre o que é Lean Six Sigma, é hora de colocar a teoria em prática! 

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário