direcao-perigosa

Direção perigosa: monitore segurança da sua frota com eficiência

Existe uma série de condutas no trânsito que colocam em risco a segurança da frota. São as infrações classificadas como direção perigosa. Como o seu nome já indica, esse é, de fato, um perigo que todo gestor deve monitorar e ficar atento.

As infrações por direção perigosa são consideradas de alto risco pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Pois se tratam de comportamentos que ameaçam a segurança dos condutores e das pessoas que circulam próximas.

Uma característica deste tipo de infração é a ação intencional do motorista. Ou seja, quando aquela manobra perigosa é feita de propósito.

Por isso, é papel primordial do gestor de frotas ter controle sobre a conduta dos seus motoristas.

Neste artigo, vamos mostrar como realizar um bom monitoramento da frota e prevenir quaisquer riscos que comprometam a sua segurança.

Quais casos são considerados direção perigosa?

Os artigos 173, 174 e 175 do CTB classificam como direção perigosa os seguintes casos:

Manobras perigosas: frenagem e aceleração bruscas

A infração por frenagem e aceleração brusca já é regulamentada pelo art. 42 do CTB. Mas muita atenção: ela contempla apenas casos onde não há intenção clara do motorista.

É o que diferencia frenagem e aceleração inesperadas no caso da direção perigosa. Essas manobras se identificam como perigosas quando o condutor tem a intenção de fazê-las.

Isto é, quando a manobra é realizada sem a real necessidade (como para evitar um acidente, por exemplo).

Nem sempre a intenção que leva a essa manobra é por má índole do motorista. Muitas vezes, se trata de desatenção, como o uso de celular ao volante — caso que ainda pode ser comum entre motoristas de frota.

Veja a seguinte situação:

Imagine o motorista parado em um semáforo. Ele aproveita para checar o celular e acaba não percebendo que o semáforo deu sinal verde. Ao perceber, percebe que está atrapalhando o trânsito e comete uma aceleração brusca.

Não houve uma intenção de causar perigo, mas certamente é uma situação que poderia ser evitada.

O uso de celular ao trânsito ainda é um potencial causador de manobras perigosas. Em 2021, mais de 246 mil motoristas foram multados por uso de celular, apenas em São Paulo.

Isso corresponde a quase 40% das multas aplicadas na cidade, segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET).

Este tipo de direção perigosa é considerado infração gravíssima e prevê suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo. Sua multa é de R$2.934,70. Em caso de reincidência, o valor passa a ser de R$ 5.869,40.

Exibição de manobras e disputa de “rachas”

A outra categoria classificada como direção perigosa se dá em casos de exibição de manobras ou disputa de corridas sem autorização.

Ambos os casos são proibidos no Brasil. Tanto a promoção quanto a participação em eventos do tipo são infrações gravíssimas. Também são casos que indicam intenção clara do condutor.

Assim como as manobras perigosas, a multa é de R$2.934,70 e passa a R$ 5.869,40 quando há reincidência. É também prevista a suspensão da CNH e a apreensão do veículo.

direcao-perigosa
Desatenção no trânsito é uma das principais causas da direção perigosa.

Os riscos da direção perigosa para a frota

Para a frota, a conduta perigosa de motoristas pode trazer sérios problemas e é importante que o gestor conheça quais são eles. Assim, será mais fácil planejar e implementar as medidas preventivas necessárias. Confira!

Segurança

Sem dúvidas, a segurança da frota é a que mais fica comprometida nessa situação. É o que própria infração por direção perigosa já aponta.

A gestão de frota é responsável pela integridade dos seus motoristas, assim como de seus veículos. E a condução perigosa aumenta chances de acidentes, o que já é um sinal de alerta e um problema grave quando acontece.

A ocorrência de acidentes coloca em risco tanto a segurança do motorista da frota e quanto a de outras pessoas envolvidas na situação.

Outro ponto de atenção é quanto aos possíveis danos ao veículo. Mesmo que não haja acidentes, frenagens e acelerações bruscas causam uma série de desgastes no sistema de freios e nos pneus.

Isso significa que o veículo utilizado já fica predisposto a falhas e, consequentemente, outras ocorrências arriscadas.

Então, a direção perigosa exige que o gestor se atente a segurança em diferentes aspectos:

  • Segurança do motorista;
  • Segurança de terceiros;
  • Segurança do veículo.

Melhor que lidar com a dor de cabeça de resolver essas situações, é ter um plano de prevenção para que elas não ocorram, concorda?

Prejuízo financeiro

Na gestão de frotas, problemas com segurança significa prejuízo financeiro. Por mais que já exista um orçamento separado para imprevistos, o ideal é que este gasto seja o menor possível.

A infração por direção perigosa pode demandar um custo alto para a frota. Principalmente quando essa ocorrência acontece com certa frequência.

E isso não diz respeito apenas ao valor da multa a ser paga — que já é um valor considerável. Os gastos podem ir de possíveis indenizações em casos de danos físicos ao motorista e a terceiros, até a manutenção dos veículos.

É importante perceber que este prejuízo não se limita apenas às consequências diretas da direção perigosa. A empresa de frotas pode, inclusive, ter sua reputação afetada com seus clientes.

Para um mercado cada vez mais competitivo, a frota que fica conhecida pela condução perigosa pode perder valor e reconhecimento.

Esse prejuízo é ainda mais grave que o financeiro, pois recuperar uma reputação manchada é ainda mais difícil.

Como identificar casos de direção perigosa?

Mesmo com todas as dificuldades que a direção perigosa pode desencadear, existem medidas e recursos que ajudam a frota a se prevenir. Separamos algumas soluções efetivas que a sua gestão pode utilizar:

Monitoramento de frotas em tempo real

O primeiro passo para lidar com as infrações é ter um monitoramento de frotas automático e em tempo real. A telemetria é a tecnologia mais indicada para isso.

A telemetria de frotas permite que o gestor consiga acompanhar todas as informações de rotas, motoristas e da condução. É um recurso que identifica e sinaliza em tempo real qualquer tipo de ocorrência não prevista.

Essa troca de informações automática acontece por meio da integração da rede CAN (Controller Area Network) ao software de gestão de frotas.

Assim, o gestor consegue acompanhar a rota feita pelo motorista, qual veículo está sendo utilizado e casos de frenagem e aceleração brusca.

A plataforma emite um alerta automático quando há casos de manobras perigosas. É possível verificar até mesmo o horário e o local onde a ocorrência aconteceu.

O monitoramento da frota é o que dá visibilidade ao gestor de como seus motoristas estão dirigindo. Ter essas informações em mãos ajuda a identificar possíveis causas e garante mais assertividade na decisão a ser tomada.

O sistema de gestão de frotas da Cobli utiliza a telemetria avançada para monitorar a frota. É possível até mesmo identificar casos de curvas perigosas ou de excesso de velocidade.

Lembre-se que a gestão de frotas precisa de dados precisos para garantir a excelência das suas entregas.

direcao-perigosa
Monitorar a segurança da frota aumenta eficiência e evita riscos.

Gestão de motoristas

Outra solução que pode evitar problemas em suas operações é uma gestão de motoristas eficiente. Sobretudo quando são eles, os motoristas, que estão diretamente envolvidos nos casos de direção perigosa.

O software da Cobli gera relatórios automáticos com informações geradas pela telemetria. É possível verificar qual motorista mais cometeu infrações perigosas em um determinado tempo, por exemplo.

Ter o indicador de desempenho de condução ajuda a gestão no planejamento de ações que capacitem o time de profissionais.

Um ótimo caminho para isso é promover uma rotina de treinamentos e cursos. Busque reforçar a importância de seguir os procedimentos padrões para evitar prejuízos e acidentes.

Além de aumentar o conhecimento dos profissionais, os treinamentos ajudam na conscientização de boas práticas. É essencial investir no desenvolvimento do seu time. No fim, a sua frota só tende a ganhar com isso.

Dica especial: conheça o curso gratuito de segurança no trânsito para frotas. São 5 módulos completos, sem pré-requisitos e com certificação gratuita.

Controle de revisão e manutenção preventiva

Além de monitorar a operação e os motoristas, é preciso ficar atento também aos veículos.

Revisões e manutenções preventivas são indispensáveis na gestão logística da frota. Se um veículo passou por uma frenagem brusca que não foi identificada, há chances de que o sistema de freios do veículo precise de reparos.

Então, veja que todas as ações sugeridas são complementares. A telemetria identifica casos de manobras perigosas, o que já deixa o gestor informado sobre quais veículos precisam de revisão.

É preciso entender que o melhor cenário é de informações que funcionam em conjunto. Por isso, o software da Cobli também possui uma ferramenta de acompanhamento de manutenção e revisão da frota.

Assim, o gestor consegue controlar a rotina de manutenções com lembretes automáticos. Isso evita que uma revisão ou manutenção passe da data recomendada.

Essa informação se integra com todas as outras geradas no software. E, claro, tudo fica registrado e pode ser acessado por relatórios personalizados.

Com essas medidas implementadas, sua frota terá mais segurança e eficiência, desde a operação até o resultado para os seus clientes.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.