arvore-de-falhas-manutencao

Análise de árvore de falhas: como usar na manutenção?

Os responsáveis pela gestão da manutenção de veículos e equipamentos enfrentam desafios constantes para manter tudo operando de maneira confiável, evitando paralisações inesperadas. A árvore de falhas é um recurso capaz de facilitar esse processo, tornando-o mais objetivo.

Trata-se de uma abordagem sistemática e lógica que permite identificar e analisar a causa raiz dos problemas, possibilitando soluções eficientes e ações preventivas. Vamos explorar em detalhes como a análise da árvore de falhas pode revolucionar a gestão da manutenção da sua frota e de equipamentos em geral?

Continue acompanhando para entender exatamente do que se trata, quais são as suas aplicações e veja como elaborar um plano de ação para prevenir ou corrigir falhas.

O que é árvore de falhas?

A árvore de falhas é uma abordagem desenvolvida para a identificação das causas de problemas que podem ocorrer com os equipamentos de uma empresa. Essa técnica permite uma compreensão profunda dos defeitos, abrangendo não apenas aspectos técnicos, mas também humanos e organizacionais.

É também conhecida pela sigla FTA, do inglês fault-tree analysis (análise da árvore de falhas), tendo sido criada para ser usada pela Força Aérea Norte Americana, na década de 1960.

Ao realizar a análise da árvore de falhas, é construído um diagrama com as possíveis causas e subcausas que levaram a um evento indesejado. Essa abordagem vai além de simplesmente corrigir os sintomas das falhas, concentrando-se em identificar a causa raiz.

Se um veículo apresenta repetidas vezes o superaquecimento do motor, a árvore de falhas ajudará a identificar se o problema está relacionado ao radiador, à bomba de água ou a uma manutenção inadequada, por exemplo.

arvore-de-falhas
A análise da árvore de falhas ajuda na definição de um diagnóstico preciso para a manutenção de equipamentos.

Além disso, a ferramenta não se limita às falhas técnicas. Ela também considera as falhas humanas e organizacionais que podem contribuir para os problemas nos veículos. Isso inclui erros de manutenção, falhas de comunicação, treinamento inadequado ou a falta de padronização dos processos.

Quais são as principais aplicações da árvore de falhas?

Apesar do nome dar a entender que a abordagem funciona apenas para a identificação de falhas, também pode ser aplicada para alcançar outros objetivos, acompanhe!

Identificação de causas raiz

A árvore de falhas é bastante utilizada para identificar as causas raiz dos problemas que podem ocorrer com os veículos de uma frota e demais equipamentos de uma empresa. 

Essa análise minuciosa permite compreender as falhas em sua essência, possibilitando a aplicação de soluções efetivas.

Análise de riscos

A abordagem também pode ser aplicada na gestão de riscos, ajudando a identificar potenciais cenários de falhas e suas probabilidades. Isso permite às empresas adotarem medidas preventivas para reduzir os riscos, evitando interrupções na operação.

Para se ter uma ideia dessa aplicação, a Fundacentro (Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho), vinculada ao Ministério do Trabalho, promoveu um curso sobre o uso do método da árvore de causas na investigação de acidentes de trabalho.

Planejamento de manutenção

Utilizando a árvore de falhas, é possível mapear as falhas e suas causas. Isso auxilia na criação de um plano de manutenção estratégico, permitindo ações corretivas e preventivas específicas para evitar problemas recorrentes.

Melhoria contínua

A análise da árvore de falhas também é uma ferramenta valiosa para impulsionar a melhoria contínua na gestão da manutenção. Ao identificar as causas raiz dos problemas, é possível implementar mudanças nos processos e treinamentos, visando eliminar ou reduzir as falhas a longo prazo.

Tomada de decisões informada

Com o auxílio da árvore de falhas, os supervisores têm uma visão abrangente das possíveis causas das falhas, permitindo a tomada de decisões informada. Com base nos dados obtidos, é possível direcionar recursos e investimentos de forma estratégica, focando nas áreas críticas e aumentando a eficiência.

Como construir uma árvore de falhas: passo a passo

Veja o passo a passo de como identificar as possíveis causas de falhas em um sistema através da análise da árvore de falhas.

1. Identifique o evento indesejado

Comece definindo o evento que deseja analisar. Pode ser uma falha específica que um veículo tenha apresentado, como a quebra de um componente importante, ou a ocorrência de um acidente, por exemplo. É a partir desse ponto que a árvore de falhas será criada.

2. Identifique as falhas principais

Liste as principais falhas que podem ter levado ao evento indesejado. Se estiver analisando a quebra de um componente, as falhas principais podem ser a falta de lubrificação adequada, o desgaste excessivo ou um defeito no sistema de segurança.

3. Construa a árvore de falhas

Utilizando uma ferramenta para criar diagramas, construa a sua árvore de falhas. Comece colocando o evento indesejado na parte superior. Em seguida, conecte as falhas principais como os galhos iniciais da árvore.

4. Identifique as causas das falhas principais

Para cada falha principal, identifique as causas que podem contribuir para essa falha. Essas causas serão os galhos secundários da árvore, conectados às falhas principais. Lembre-se de considerar tanto as causas técnicas quanto as falhas humanas e organizacionais, que são tão importantes quanto.

5. Continue identificando as subcausas

Para cada causa secundária, continue detalhando as subcausas específicas que podem contribuir para essa causa. Conecte essas subcausas como galhos adicionais da árvore.

arvore-de-falhas-manutencao
Os dados gerados através da árvore de falhas facilitam o processo de tomada de decisões sobre a manutenção.

6. Avalie as probabilidades e consequências

Se você estava se perguntando como avaliar a probabilidade e o impacto das falhas, saiba que isso será efetuado durante a criação do diagrama. Enquanto estiver construindo a árvore, avalie as probabilidades de ocorrência e as consequências de cada falha e causa identificada. Isso ajudará a priorizar as ações corretivas.

Mas como priorizar as falhas identificadas na árvore de falhas? Para isso, é necessário ter um cronograma de manutenção organizado, onde os reparos mais urgentes sejam realizados em primeiro lugar, antes de prejudicarem a operação.

Contar com um sistema para controle de manutenção de frotas é uma forma de otimizar o processo, aumentando a segurança e a eficiência e reduzindo custos. Afinal, são muitos detalhes para controlar manualmente, envolvendo os riscos de erro.

7. Revise e atualize a árvore

A árvore de falhas não é um documento que deve ser finalizado e nunca mais alterado. É importante revisá-la regularmente, fazendo atualizações sempre que novas informações forem obtidas e as circunstâncias mudarem.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *