O que é e qual o objetivo da manutenção preventiva? Descubra agora

Manutenção preventiva: o que é e qual o objetivo?

A manutenção preventiva é a revisão planejada de veículos e equipamentos com o objetivo de garantir a eficiência e reduzir falhas operacionais.

Esse tipo de inspeção é uma obrigação determinada pela Norma Regulamentadora nº12 (NR 12), que trata da segurança no trabalho, máquinas e equipamentos.

Nos próximos tópicos deste guia completo, você entenderá como essa prática pode diminuir gastos e aumentar a segurança e qualidade dos seus processos na gestão de frotas. Confira!

O que é manutenção preventiva?

Manutenção preventiva é um conjunto de ações de controle e monitoramento, realizada em intervalos predeterminados para conservar um instrumento nas melhores condições possíveis. 

Ela se diferencia da manutenção corretiva, realizada quando um componente demonstra irregularidade, e da manutenção preditiva, que tem o objetivo de reduzir custos com manutenção. Vamos nos aprofundar em cada uma delas ao decorrer deste artigo.

Agora, vamos destacar algumas práticas que se aplicam na manutenção preventiva:

  • Revisões periódicas de veículos e máquinas para identificar desgastes, danos ou potenciais problemas que podem surgir;
  • Lubrificações de rotina para reduzir atrito e prolongar a vida útil dos instrumentos;
  • Inspeções e vistorias em estruturas e equipamentos;
  • Planos de aferição e calibração de instrumentos para garantir sua precisão e eficácia.

Não custa lembrar que a manutenção preventiva também pode ser executada em virtude das condições do veículo ou equipamento.

É o que acontece, por exemplo, quando se faz necessário reparar avarias, realizar reformas ou mesmo uma revisão geral — e um checklist de carros pode ajudar bastante nisso.

Quais são os três tipos principais da manutenção preventiva?

Manutenção por tempo (time-based):

A manutenção por tempo (time-based) são revisões realizadas entre espaços de tempo previamente determinados, independente do uso do equipamento.

É indicada para empresas e profissionais que operam com equipamentos críticos, como o caso do gestor de frota, que pode ter sua cadeia logística comprometida se um veículo falhar. 

Nesse cenário, a manutenção realizada em períodos regulares contribui para evitar a paralisação das atividades.

Manutenção por utilização (usage-based)

Já a manutenção por utilização (used-based), considera a utilização real dos ativos, ou seja, quando um equipamento ou veículo atinge certa quantidade de quilômetros, horas ou ciclos produtivos.

Embora seja um método amplamente utilizado, a manutenção por uso deve ser avaliada com bastante cautela. No caso dos veículos, por exemplo, é possível que fatores imprevistos acelerem o desgaste de peças, podendo exigir a manutenção antecipada.

manutenção preventiva aumenta a segurança da frota
A manutenção preventiva feita com regularidade garante a eficiência e aumenta a segurança da sua frota.

Manutenção por critério misto

No caso da manutenção por critério misto, a necessidade de manutenção dependerá do que ocorrer primeiro, o tempo ou a utilização do equipamento.

Prevenir é melhor do que remediar. Ao contrário da manutenção corretiva, ao adotarmos uma postura preventiva, estamos evitando que um problema maior aconteça, corrigindo o erro antes dele aparecer.

Qual é o objetivo da manutenção preventiva?

A manutenção preventiva é um dos requisitos fundamentais exigidos para evitar acidentes e prevenir doenças do trabalho. Quando conduzida da forma correta e com regularidade, traz vários benefícios para a operação, confira:

Minimizar interrupções não planejadas

Minimizar a possibilidade de interrupção imprevista de uma linha de produção ou de grandes avarias, descobrindo eventuais condições que possam levar a isso.

Garantir disponibilidade

Manter equipamentos e máquinas sempre prontos para uso, contribuindo para a continuidade operacional e evitando períodos de inatividade.

Preservar o valor dos ativos

Realizar inspeções, reparos e revisões regulares para prolongar a vida útil dos equipamentos, protegendo o investimento feito neles.

Reduzir trabalhos de manutenção corretiva

Ao prevenir falhas, a necessidade de intervenções corretivas urgentes é reduzida, diminuindo custos e impactos na produção.

Manter eficiência produtiva

Assegurar que os equipamentos operem em níveis ideais de desempenho, contribuindo para uma produção eficiente e consistente.

Manter precisão operacional

Para equipamentos e máquinas que exigem precisão, como instrumentos de medição, garantir que eles continuem operando com precisão.

Alcançar produção máxima com custo mínimo de reparo

Maximizar a produção ao mesmo tempo em que se minimizam os custos associados a reparos emergenciais e perdas de produção.

Garantir a segurança dos trabalhadores

Identificar e corrigir condições que possam representar riscos para a segurança dos trabalhadores, promovendo um ambiente de trabalho seguro.

Manter a capacidade operacional geral

Contribuir para a manutenção da capacidade total da planta ou instalação, assegurando que todos os componentes funcionem conforme projetado.

Quando realizar a manutenção preventiva?

A manutenção preventiva deve ser realizada sempre que houver um risco de falha ou quebra de um equipamento. Isso pode ser determinado por uma análise dos seguintes fatores:

  • Com base no tempo: a manutenção preventiva pode ser programada com base no tempo decorrido desde a última manutenção. Por exemplo, uma inspeção a cada seis meses ou uma revisão anual.
  • Com base na produção ou uso: pode ser definido um cronograma de manutenção com base na quantidade de produção ou no número de horas de operação do equipamento. Isso é comum em indústrias onde a demanda de produção varia ao longo do tempo.
  • Com base em condições específicas: algumas máquinas e equipamentos podem exigir manutenção preventiva com base em condições específicas, como o número de ciclos de operação, a exposição a determinados ambientes ou o uso de determinados produtos.
  • Após eventos específicos: após eventos como paradas programadas, modificações significativas no sistema, ou após a ocorrência de problemas específicos, pode ser apropriado realizar manutenção preventiva para garantir que tudo esteja em ordem.

Além desses fatores, a manutenção preventiva também deve ser realizada de acordo com as recomendações do fabricante do equipamento.

Os fabricantes geralmente fornecem informações sobre a frequência e os tipos de manutenção preventiva recomendados para seus produtos.

Qual a diferença de manutenção preventiva, corretiva e preditiva?

Conceitualmente, a manutenção se divide em duas ramificações: a planejada e a não planejada. 

A não planejada engloba as ações da manutenção corretiva. Logo, se aplicam apenas nos casos onde uma máquina apresenta defeito ou deixa de funcionar.

Por sua vez, a manutenção planejada pode ser classificada em preventiva ou preditiva.

Assista o vídeo do nosso canal no Youtube para entender melhor as diferenças entre manutenção preventiva e corretiva!

Conheça, agora, as características de cada uma delas e as diferenças em objetivos e efeitos causados.

01. Manutenção preventiva 

Como você já viu ao longo da leitura, a manutenção preventiva tem como foco principal prevenir uma falha ou quebra no equipamento. 

Também serve para reduzir a velocidade de desgaste de veículos, máquinas e dispositivos em geral. É uma intervenção prevista, ou seja, que deve ser preparada e programada antes que uma falha aconteça.

Não custa lembrar que a manutenção preventiva também pode ser executada em virtude das condições do veículo ou equipamento. 

02. Manutenção corretiva

A manutenção corretiva é realizada quando um bem apresenta componente irregular ou com mau funcionamento, demandando a sua substituição.

Normalmente, se faz necessária em duas ocasiões: quando a falha inesperada acontece ou quando se detecta algum defeito que, no futuro, pode causar um problema maior.

É por isso que a manutenção corretiva se divide em dois subtipos: a corretiva não planejada e a corretiva planejada.

Na manutenção corretiva não planejada, os serviços são realizados após se identificar erros ou falhas. 

Esse tipo de manutenção gera custos mais elevados, se comparada com a manutenção corretiva planejada, que acompanha as operações com o objetivo de corrigir algum erro antes que ele aconteça.

De qualquer forma, a manutenção corretiva não é uma vilã. Em muitos casos, ela é uma forma de evitar o retrabalho. 

Desde que planejada, reduz o tempo de execução de tarefas e contribui para evitar quebras de produção.

03. Manutenção preditiva

Por fim, a manutenção preditiva consiste no acompanhamento periódico de equipamentos ou máquinas por meio de dados coletados em rotinas de inspeção.

Sendo assim, é preciso contar com ferramentas e pessoas capazes de realizarem ações de manutenção preditiva em procedimentos como:

  • Inspeção visual;
  • Análise de vibração;
  • Ultrassom;
  • Análise de ruídos.

Pela manutenção preditiva, pode-se prever o tempo de vida útil de máquinas, veículos e seus componentes para definir formas de otimizar esse prazo.

Resumidamente, ela é representada por todo tipo de inspeção que se faz para averiguar em que condições máquinas e veículos se encontram.

Não por acaso, alguns objetivos da manutenção preditiva são:

  • Aumentar a durabilidade de máquinas e equipamentos;
  • Eliminar a necessidade de desmontagem para inspeção;
  • Determinar com antecedência se será necessária a manutenção de uma ferramenta, componente ou máquina;
  • Diminuir a quantidade de ações corretivas emergenciais;
  • Diminuir danos.

Considerando os objetivos, é certo dizer que a manutenção preditiva tem finalidades das mais nobres: aumentar a produtividade e, ao mesmo tempo, reduzir os custos com manutenção.

Quais são as vantagens da manutenção preventiva nas frotas?

A falta de manutenção é o melhor exemplo do barato que sai caro. Esse descuido pode levar à parada de veículos e equipamentos, resultando em interrupção de atividades e atrasos nas entregas.

Por esses e muitos outros motivos, a manutenção preventiva é de extrema importância. Confira as vantagens de aplicar essa prática na sua gestão de frotas:

É muito mais econômica

Os custos das rotinas de manutenção preventiva tende a ser bem menor do que as ações de correção.

É bem mais barato trocar o óleo de um veículo na quilometragem programada do que ter que retificar um motor, por exemplo. O mesmo raciocínio se aplica a todo tipo de máquina industrial, equipamento de segurança e até mesmo de informática.

Conheça o estudo de caso da Construtora Dotto, que economiza milhares por mês usando o controle de manutenção da Cobli.

O custo com manutenção preventiva é bem menor do que as ações corretivas
Prevenir é melhor do que remediar: o custo com manutenção preventiva é bem menor do que as ações corretivas.

Aumenta a vida útil de veículos e equipamentos

Bens submetidos a rotinas de manutenção preventiva duram mais do que aqueles que trabalham até falhar, sem nenhum tipo de controle e monitoramento da frota.

Além disso, o tempo empregado em uma ação preventiva é muito menor do que uma corretiva.

É mais segura 

Equipamentos em mau estado de conservação representam um perigo para seus operadores. Embora acidentes com máquinas e veículos possam ser causados por negligência ou imperícia, o seu estado de conservação também contribui decisivamente.

Segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho,  foram notificados 6.774.543 acidentes entre 2012 e 2022, quase 30 mil foram fatais ou com danos físicos irreversíveis. 

E é preciso considerar ainda que, além do prejuízo material, há o pesado custo da mão de obra. O afastamento de um trabalhador é sempre um peso grande no orçamento mensal de qualquer empresa.

Como fazer a manutenção preventiva passo a passo?

Conheça a seguir algumas medidas indispensáveis para o planejamento e execução da manutenção preventiva:

Passo 1: Selecione mão de obra qualificada 

Não se faz manutenção sem pessoal qualificado. É importante contar com profissionais treinados para realizar o plano de manutenção da sua empresa.

Capacite o controle de manutenção de frota dentro da sua empresa e garanta sua eficiência. Confira o curso de Controle de Manutenção Veicular em frotas da Cobli!

Passo 2: Crie rotinas de trabalho organizadas

A organização das rotinas de manutenção começa com a avaliação das máquinas e veículos que vão receber os cuidados.

Com base nessas informações, os profissionais podem criar rotinas organizadas por tempo ou utilização, conforme a necessidade de cada equipamento.

O período de revisão, por exemplo, pode ser baseado pelo histórico ou por recomendações do fabricante – algo muito comum na gestão de frotas de veículos, por exemplo.

O inventário de equipamentos deve conter o máximo de dados possíveis, como: ano de fabricação, manutenções realizadas, tempo em atividade na empresa e outros dados que sejam relevantes para o seu negócio.

Passo 3: Crie um plano de manutenção preventiva

A principal característica da manutenção preventiva é a sua periodicidade. É a partir do fator tempo que o seu plano deverá ser elaborado.

Tendo essa preocupação em mente, não deixe de considerar:

  • Serviços que serão realizados;
  • A periodicidade desses serviços;
  • Os responsáveis pela sua execução identificados por nome, função ou cargo;
  • Recursos necessários para a execução dos serviços como ferramentas, peças e materiais;
  • Custo de cada serviço por unidade e o custo total;
  • O tempo a ser gasto em cada serviço;
  • Máquinas, ferramentas e dispositivos necessários.

Passo 4: Acompanhe os processos de revisão

A manutenção preventiva exige também uma definição clara de metas e KPIs (indicadores de desempenho) alinhada às metas da empresa. 

Por isso, líderes e gestores devem acompanhar a regularidade das manutenções e se os objetivos estão em conformidade com os padrões de qualidade esperados.

O que verificar na manutenção preventiva de uma frota?

A prevenção é sempre a melhor forma de garantir que uma frota opere com eficiência. Nesse caso, vale prestar bastante atenção à manutenção dos itens a seguir:

Sistema de transmissão

Fazem parte do sistema de transmissão os componentes como a caixa de marcha, embreagem, correias, pedais e demais peças. 

Sistema elétrico

Responsável por realizar o acionamento de luzes, buzinas e de retroalimentar a bateria do veículo quando ele está parado e em movimento.  Fique de olho em faróis, fios e caixa de fusíveis.

Sistema de frenagem

A segurança de todo veículo automotor depende do bom estado do seu sistema de frenagem, composto por pastilhas de freios, ligações de cabos e o pedal, freio, fluido e cilindro mestre.

Sistema de arrefecimento

O sistema de arrefecimento, por trabalhar em silêncio, pode passar batido e deixar de ser alvo de manutenção periódica. Fique atento a componentes como:

  • Aditivo;
  • Bomba d’água;
  • Radiador;
  • Ventoinha;
  • Reservatório;
  • Válvula termostática.

6 erros para evitar na sua manutenção preventiva

Realizar a manutenção preventiva de maneira inadequada pode comprometer a eficácia do processo e resultar em custos desnecessários. Alguns dos erros mais comuns que devem ser evitados na manutenção preventiva são:

1. Falta de planejamento

Um plano de manutenção preventiva bem elaborado é essencial para garantir que a manutenção seja realizada de forma eficaz e eficiente. 

O plano deve considerar fatores como o tipo de equipamento, a frequência de uso e as condições ambientais.

2. Negligenciar a inspeção regular

A inspeção regular é uma parte fundamental da manutenção preventiva. A inspeção permite identificar problemas antes que eles causem falhas ou quebras.

3. Uso de peças de reposição de baixa qualidade

O uso de peças de reposição de baixa qualidade pode comprometer a confiabilidade dos equipamentos. Por isso, é importante utilizar peças de reposição de alta qualidade, de preferência originais.

4. Treinamento insuficiente da equipe

A equipe de manutenção deve ser treinada para realizar os procedimentos de manutenção de forma correta e segura. O treinamento deve incluir informações sobre os tipos de equipamentos, os procedimentos de manutenção e as medidas de segurança.

5. Ignorar a documentação

A documentação do equipamento fornece informações importantes sobre o tipo de manutenção necessária, a frequência da manutenção e as peças de reposição recomendadas. É importante ler e seguir as instruções da documentação do equipamento.

6. Não avaliar as condições de operação

As condições de operação dos equipamentos podem afetar a frequência e o tipo de manutenção necessária. É importante avaliar as condições de operação dos equipamentos periodicamente para garantir que a manutenção seja adequada.

Videotelemetria ajuda a reduzir custos de manutenção com acidentes e sinistros

A videotelemetria é uma tecnologia que utiliza a captação de imagens para a coleta de dados através de câmera de segurança veicular.

Seu funcionamento consiste na instalação de uma câmera no automóvel, que grava imagens tanto do exterior quanto do interior do veículo.

E como ela ajuda a reduzir custos de manutenção com acidentes e sinistros?

Com a captação das imagens tanto da cabine quanto da via, fica muito mais fácil verificar incidentes de trânsito e identificar o que, realmente, aconteceu. Sem achismos, mas com imagens e filmagens em mãos.

Além disso, com o alerta de excesso de velocidade do veículo, o motorista consegue atuar de maneira preventiva para que algum reparo ou manutenção por conta de um sinistro, não aconteça.

Tudo isso pode ser encontrado na Cobli Cam, telemetria veicular em vídeo que reduz custos e aumenta o cuidado da sua frota.

Essa tecnologia permite ao gestor identificar e inibir a condução perigosa, tendo mais controle sobre o modo de condução.

Conheça alguns dos benefícios da videotelemetria para reduzir acidentes e aumentar a segurança:

  • Diminuir custos com manutenção: quanto mais incidentes ou sinistros, maior o número de manutenções, certo? Com a videotelemetria, além de aumentar a segurança, o motorista também previne que eventos como esse aconteçam;
  • Identificar comportamentos de risco: entenda o comportamento dos motoristas ao volante e dê feedbacks certeiros para os condutores melhorarem seu desempenho;
  • Reduzir custos com infrações e acidentes: monitore e identifique padrões de risco na condução. Receba alertas pelo painel e tenha as gravações dos eventos registradas automaticamente;
  • Proteger de falsas acusações em casos de acidente: utilize as gravações como evidências para discussões jurídicas e solução de processos.

Também é possível contar com alertas sonoros que são gerados a cada evento de direção perigosa que o motorista executa, como “direção distraída“, “curvas bruscas” ou “proximidade do veículo da frente“. Assim, ele consegue ser alertado, sem precisar desviar a atenção do trânsito.

Banner de case de sucesso da Cobli com empresa de segurança.
Descubra como a videotelemetria da Cobli ajuda na redução dos custos de manutenção.

Ficou claro que prevenção é a palavra de ordem quando se trata de qualquer demanda de manutenção, certo?

Se na sua empresa os veículos estão sempre recebendo esse tipo de cuidado, então, você tem meio caminho andado para ter resultados progressivamente melhores.

Porém, se a manutenção corretiva não planejada tem sido mais frequente, use o que você acaba de ler como um guia para melhorar. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog!

Fortaleça seu currículo: Curso de Segurança no trânsito para frotas. 100% gratuito, com certificação.

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

5 comentários em “Manutenção preventiva: o que é e qual o objetivo?”

  1. muito obrigado essa informação me ajudou a perceber o quão é importante a manutenção preventiva , visto que eu sou o chefe de equipa de Manutenção na minha empresa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *