PCM ou Planejamento e Controle de Manutenção: o que é, como fazer?

Sabe qual é melhor remédio para evitar a dor de cabeça que é o maquinário quebrado? A resposta tem apenas três letras: PCM.

PCM é a sigla para Planejamento e Controle de Manutenção. Trata-se de um método muito usado na indústria para gerenciar os serviços de manutenção de maquinário.

Todo mundo que já trabalhou em fábrica sabe que máquina quebrada é um problema e tanto, pois causa interrupção da produção, atraso nas entregas e, o pior de tudo, prejuízo.

É exatamente esse tipo de encrenca que o PCM visa evitar ao implementar a manutenção periódica do maquinário. Que tal aprender um pouco mais sobre esse tema?

Neste texto, vamos explicar o que é PCM, quais são os diferentes tipos de manutenção, como planejá-las e que benefícios elas podem trazer a sua empresa! Siga a leitura e confira.

PCM: o que é?

PCM, portanto, é a gestão de todos os serviços e manutenção de uma empresa.

Nesse planejamento, devem ser incluídos os custos, o período entre uma manutenção e outra, as datas em que o maquinário deu problema, as condições dos equipamentos e qual o tipo de manutenção adequada a cada caso.

É fundamental separar recursos para implementar o PCM, destacar uma equipe responsável pela manutenção e impor um cronograma.

O objetivo do PCM é reduzir falhas que podem causar acidentes e prejuízos, além de identificar gargalos na infraestrutura da empresa.

O Planejamento de Controle e Manutenção se apoia em três pilares. São eles:

  1. Processos: para que o PCM dê resultados, o gestor deve estar atento aos processos, ou seja, identificar quais rotinas precisam ser otimizadas para aumentar a produtividade;
  2. Pessoas: também é importante prestar atenção nos funcionários, indicar equipes responsáveis pela manutenção e treinar os colaboradores para o uso correto do maquinário;
  3. Ativos: são a infraestrutura da empresa, as máquinas e equipamentos usados na produção; na hora de elaborar um PCM, o gestor deve estar bem informado sobre os ativos da empresa, as necessidades de manutenção de cada um deles e como otimizar seu uso e evitar avarias.

Quais são os diferentes tipos de manutenção?

Como vimos, PCM é a gestão dos processos de manutenção em uma dada empresa.

Mas manutenção é tudo igual, não. Existem diferentes tipos e o gestor deve conhecer bem cada um deles para melhor elaborar o PCM.

Confira abaixo o que são manutenção corretiva, manutenção preventiva e manutenção preditiva.

Manutenção corretiva

A manutenção corretiva tem caráter emergencial e é executada quando a máquina já enguiçou e precisa ser reparada.

Por isso, ela não costuma ser incluída no escopo do PCM.

Uma vez que serve para corrigir o que já estragou, esse tipo de manutenção geralmente é mais custosa e às vezes exige até a interrupção da produção, o que, como já sabemos, pode causar atrasos nas entregas e prejuízos.

Manutenção preventiva

Já a manutenção preventiva é feita justamente para evitar a necessidade da manutenção corretiva.

Em outras palavras: visa evitar que falhas e acidentes ocorram.

O calendário de manutenção preventiva é elaborado de acordo com dados fornecidos pelo fabricante.

Com frequência, as empresas usam um software de checklist para tornar o controle mais eficiente.

Manutenção preditiva

O objetivo da manutenção preditiva é detectar problemas futuros e resolvê-los antes que eles comprometam o processo produtivo.

Para descobrir o momento de fazer a manutenção preditiva, é necessário avaliar o desempenho da máquina e variáveis como temperatura, pressão, vibração, entre outros.

Ficaram claros os diferentes tipos de manutenção? Ótimo! Agora, que tal descobrir como implementar o PCM na sua empresa?

A implementação do PCM na indústria evita a paralisação da produção devido a máquinas avariadas.

PCM: o que é necessário para implementá-lo?

Vamos, enfim, ao que interessa: como colocar em prática os princípios do PCM!

Leia com atenção os tópicos abaixo e já vá pensando como adaptar tudo à realidade do seu negócio.

Elaboração do cronograma

Acima, dissemos que é melhor investir em manutenção preventiva ou preditiva do corretiva, lembra?

Para tanto, é necessário elaborar um cronograma de manutenção. Dar um tapa nas máquinas só quando der na telha pode causar mais transtornos, concorda?

Antes de elaborar um cronograma, você precisa conhecer bem o seu maquinário: quantas peças são, em que estado se encontram, com que periodicidade o fabricante recomenda a manutenção, quem opera essas máquinas, etc.

Também é necessário ter todas essas informações à mão na hora de escolher as melhores datas para a manutenção, pois ela deve ser feita de modo a atrapalhar o menos possível os processos produtivos.

Quer uma ajuda nessa etapa? Baixe o modelo de cronograma de manutenção elaborado pela equipe da Cobli!

Programação das paradas

Elaborado o cronograma, você deverá estabelecer as datas em que a produção terá de ser ao menos parcialmente paralisada para que a manutenção ocorra.

Lembre-se do que acabamos de dizer: essas datas devem ser definidas de modo a impactar o menos possível a produção.

Não se esqueça de informar as equipes sobre a programação das paradas, ok?

Descreva os processos de manutenção

Estabelecidas as datas em que ocorrerá a manutenção, é necessário detalhar o que exatamente será feito.

Por exemplo: limpeza das máquinas, troca de peças, lubrificação e troca de óleo, entre outros serviços.

Esses detalhes devem ser incluídos em um documento para, posteriormente, facilitar o controle de manutenção.

Planejamento de recursos

A manutenção custa dinheiro, né? Portanto, além de elaborar um cronograma, é necessário fazer um orçamento para arcar com os custos da manutenção.

Esse planejamento deve incluir gastos com a mão de obra que realizará a manutenção, eventuais trocas de peças e uso de determinados produtos para limpeza.

Bote todos esses custos na ponta do lápis, ok? Se você cumprir essa etapa corretamente, pode até se planejar para estocar o material necessário para a manutenção e economizar um bom dinheiro!

Entre os benefícios trazidos pelo PCM, estão a economia de recursos, mais segurança no local de trabalho e produção de qualidade.

Acompanhamento dos processos

Acima, explicamos todos os detalhes referentes à manutenção que devem ser incluídos em um documento para ser consultado na hora do controle dos processos, certo?

Chegamos, enfim, a essa etapa, que consiste basicamente no acompanhamento permanente da manutenção para verificar se tudo está sendo executado de acordo com o que foi planejado.

Nessa fase, também devem ser coletados dados que serão úteis no futuro, na hora de planejar novas rodadas de manutenção.

Uso adequado da tecnologia

Para que o PCM seja executado adequadamente, é importante contar uma a ajuda da tecnologia.

Invista em softwares que automatizam os processos e organizem os dados coletados durante os processos.

Com o auxílio da tecnologia, você diminui a chance de erros que podem resultar na necessidade de mais manutenção!

PCM: que benefícios ele traz?

Quem chegou até aqui, já sabe um bocado sobre PCM: o que é, como colocá-lo em prática e até quais são os diferentes tipos de manutenção.

Só falta saber uma coisa: quais são os benefícios trazidos pelo PCM? É sobre eles que vamos falar nos próximos tópicos. Fique atento!

Otimização de recursos

Fazer a manutenção do maquinário tem seu custo. No entanto, a médio e longo prazo, o PCM resulta em economia de recursos.

É fácil entender por quê: se a manutenção está em dia, você corre menos riscos de ter que paralisar a produção porque uma máquina pifou de repente.

Além disso, quando PCM se torna uma política da empresa, fica mais fácil planejar custos e coletar dados que possibilitam a alocação mais racional dos recursos e o combate de desperdícios.

Redução das paradas

Como vimos, paradas não planejadas da linha de montagem (provocadas por máquinas que encrencam de repente) resultam em graves prejuízos: a produção fica paralisada, fica difícil atender todos os pedidos e as entregas atrasam.

Como evitar que isso aconteça? Com a manutenção periódica do maquinário!

O PCM evita essas paradas indesejadas e assegura o pleno funcionamento da linha de montagem.

Aumento da qualidade

É óbvio que se uma máquina está desgastada, o produto que ela fabricará terá qualidade inferior do que se ela fosse novinha em folha, certo?

Máquinas avariadas podem comprometer a produção, ainda que parcialmente, e prejudicar o cumprimento das metas, o que já é suficiente para causar prejuízos.

O PCM evita esse tipo de problema, uma vez que a manutenção periódica garante o bom desempenho das máquinas.

Incremento da segurança

Além de assegurar a continuidade e a qualidade da produção, o PCM também resulta na diminuição dos acidentes de trabalho, que muitas vezes ocorrem devido a máquinas avariadas.

O PCM, portanto, não é só uma estratégia para elevar a produtividade, mas também para garantir a segurança dos colaboradores.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.