Carros de frota: conheça seus tipos e entenda como gerenciá-los

Em um país no qual o transporte é majoritariamente rodoviário e onde há uma demanda crescente por entregas, carros de frota tornam-se uma opção atrativa para quem trabalha no setor logístico.

Além de serem mais leves, carros de frota não encontram restrições de circulação por avenidas e/ou rodovias do País, o que torna o deslocamento mais fácil.

Mas não pense que somente grandes empresas com alto poder aquisitivo e centenas de veículos podem ter carros de frota. E é sobre isso que falaremos a seguir.

Confira neste texto tudo o que você precisa saber sobre como funciona um carro de frota, quais os tipos existentes no mercado, como gerenciar a sua própria frota e muito mais!

Como funciona o carro de frota no Brasil?

Ao contrário do que muitos pensam, dependendo do tipo de mercadoria que será transportada, é possível fazer entregas de carro.

Nestes casos, assim como acontece com uma frota de caminhões, por exemplo, existe um gestor que organiza e gerencia as demandas fazendo com que a operação aconteça, de fato, é que o serviço seja executado em níveis de excelência.

E para que isso seja possível, é necessária uma gestão eficiente, baseada em dados concretos e precisos.

Isso porque é com base nesta coleta de dados que o gestor da frota de carros poderá tomar decisões mais assertivas, como por exemplo sobre quais ações podem ser executadas para reduzir os custos desta operação.

Por isso que o auxílio de tecnologia, como softwares de gestão de frota e rastreadores veiculares acabam sendo ótimos aliados destes profissionais.

Com os sistemas de gestão adequados, fica muito mais fácil gerenciar a sua frota de carros.

E quais os tipos de carros de frota no Brasil?

Uma vez decidido que é preciso investir em carros de frota, surge a dúvida sobre qual a melhor maneira de fazer isso acontecer.

Pois bem, existem algumas formas de ter uma frota de carros: uma frota própria, uma frota alugada ou uma frota terceirizada.

Vejamos mais informações sobre cada uma delas a seguir!

Frota própria

Dizemos que há uma frota de carros própria quando a empresa compra seus próprios veículos de transporte e eles se tornam ativos da companhia.

Dessa forma, ela tem total autonomia para gerenciar seus automóveis. Se precisar de determinado carro em uma hora específica, ele estará lá disponível para uso.

Além disso, uma estratégia de marketing “gratuito” de quem possui a sua própria frota é estampar o seu logo, slogan e informações de contato na carroceria do veículo.

Assim, enquanto o carro sai para realizar as entregas, ele também mostra às pessoas ao redor o que a sua empresa faz.

Vai que no meio do caminho o motorista não cruza com alguém que esteja precisando exatamente do que você faz?

Em contrapartida, manter uma frota própria exige um planejamento financeiro organizado, afinal, veículos necessitam de manutenções periódicas.

Outra desvantagem deste modelo de negócio é a questão da desvalorização precoce dos automóveis.

Segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), a frota brasileira de veículos tem envelhecido.

Ainda de acordo com a organização, somente 23,5% dos automóveis que circulam pelo país possuem até 5 anos de uso.

Frota terceirizada

Carros de frota terceirizada nada mais são quando a empresa contrata um serviço de uma outra companhia especializada em transportes.

Esse acordo acontece por meio de um contrato e costuma ser uma boa opção para quem precisa do serviço de transporte a longo prazo.

Assim, a empresa contratante não precisa investir em uma frota própria e reduz custos como de manutenção e impostos sobre os ativos, por exemplo.

E para além da diminuição de gastos, quando há uma frota terceirizada, o contratante pode usufruir de carros novos, 0km, afinal, isso pode ser acordado a cada renovação de contrato.

Por outro lado, carros de frota personalizada possuem limites de carga estabelecidos previamente no contrato, o que torna difícil flexibilizar essa demanda sem que existam custos extras.

Outro problema que pode surgir é uma comunicação falha entre o contratante e o contratado.

Isso ocorre porque empresas que prestam este tipo de serviço costumam atender muitas demandas ao mesmo tempo e, em meio à correria, um dos maiores problemas costuma ser problemas de comunicação entre ambas as partes.

Frota alugada

A frota alugada pode ser considerada uma opção para aqueles que buscam soluções a curto prazo e não por um período longo.

Isso porque carros de frota alugados são caros e você paga pelo tempo que usar.

Carros de frota também podem servir como transporte para realizar entregas no setor logístico.

Como escolher carros de frota?

Se depois de analisar todas as opções, você chegou à conclusão de que ter a sua própria frota é a melhor opção, surge um novo dilema: como escolher os seus veículos?

A Cobli tem dicas importantes que podem te ajudar neste momento:

Dica 01: planejamento

O primeiro passo para tudo no setor logístico é planejamento. Sabemos que o investimento em sua própria frota de carros não é barato, então esses custos precisam estar dentro do orçamento da empresa.

Só assim ela poderá se programar para adquirir estes automóveis sem acabar com dívidas absurdas.

Além disso, é no planejamento que serão estabelecidas as principais funções da frota, ou seja, quais mercadorias ela terá que transportar.

Esta etapa é importantíssima, visto que cada modelo de carro possui suas especificações e limites de carga e volume para transporte.

Dica 02: pesquise muito

A pesquisa é a chave para fechar negócios mais eficazes e que cabem no seu bolso. Veja a relação custo-benefício do automóvel para que ele possa ser rentável e não mais um problema para a sua empresa.

Considere, portanto, o valor que será pago com IPVA, DPVAT, taxa de licenciamento, além do quanto o veículo é – ou não – econômico quando se trata de gasolina.

Veja quais são os custos médios de manutenção e considere checar também as avaliações dadas por outros compradores na internet.

Dica 03: avalie ano de fabricação

Uma pesquisa da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) mostrou que, entre janeiro de 2020 e maio de 2022, houve uma alta na demanda de carros seminovos e usados no Brasil.

Este é um bom investimento para a empresa? Nem sempre. Os preços são mais atrativos e há a possibilidade de adquirir estes carros mais facilmente.

Por outro lado, há uma desvalorização mais rápida do ativo da empresa.

Por isso, na hora de pensar sobre como abrir uma frota, tenha em mente também o ano de fabricação do automóvel, bem como os quilômetros rodados e as condições mecânicas, é claro.

Quer saber mais sobre como abrir uma frota? Ou quais veículos escolher? Confira o vídeo que a Cobli preparou para você:

Como gerenciar uma frota de veículos?

A gestão de frota é primordial para que a sua empresa preste um serviço de qualidade e excelência.

É função deste gestor analisar a performance das entregas, checar possíveis gargalos, promover soluções, além de fazer com que toda a operação siga funcionando.

Para isso, é sempre bom contar com softwares de gestão como o TMS (Transport Management Software) e o WMS (Warehouse Management System), já que eles conseguem automatizar processos e facilitar o dia a dia logístico da empresa.

Além disso, para analisar o desempenho da empresa e melhorar ainda mais a sua eficiência, a Cobli disponibiliza uma planilha para analisar horas trabalhadas dos motoristas, organizar folhas de pagamento, fazer checklist de revisão veicular, além de controlar os carros de frota que a empresa possui.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.