Black November Cobli: Confira a promoção do melhor sistema de gestão de frotas!

Tempo de leitura: 8 minutos

Na hora de organizar o dia a dia da empresa, muitos empreendedores e executivos costumam pensar na contabilidade gerencial apenas como uma obrigação. 

É fácil entender o porquê: mexer com números nem sempre é fácil e a contabilidade, além de tudo, é obrigatória para quem precisa prestar contas para o governo. 

Mas a contabilidade também pode ser uma ferramenta poderosa para quem quer organizar melhor seu negócio e ser mais eficiente. 

É o que acontece na chamada contabilidade gerencial: nela, os números da contabilidade da empresa não servem só para fins financeiros, mas também para orientar a decisão do empreendedor ou do gestor.

É algo que pode ser útil, por exemplo, na hora de redefinir prioridades, contratar pessoas ou desativar projetos dentro de uma empresa. 

Para entender melhor como a contabilidade gerencial funciona, confira o texto a seguir. 

Nele, você vai entender porque esse tipo de técnica é cada vez mais utilizada dentro da empresas, quais são suas metodologias e até mesmo quais passos devem ser adotados para usá-la. Vamos lá? 

O que é contabilidade gerencial? 

Contabilidade gerencial é o nome dado a um conjunto de técnicas que fazem o contador se tornar um dos melhores parceiros da administração e o desenvolvimento de uma empresa. 

Para isso, é preciso adotar uma série de processos, incluindo identificação, mensuração, análise e comunicação das informações financeiras utilizadas pela companhia. 

Ou seja: não se trata só de conseguir que os números estejam corretos e que a empresa esteja obedecendo à lei, pagando, por exemplo, seus impostos, mas também usando-os de forma estratégica

Um bom exemplo? O contador pode avaliar o fluxo de caixa da empresa para entender como a atual da equipe está transformando seu trabalho em receita e em lucro. 

A partir desse diagnóstico, é possível sugerir mudanças ao departamento de recursos humanos, por exemplo, para tentar aumentar a produtividade de alguns funcionários.

Outro exemplo: o contador pode ajudar com dados para entender se a empresa poderia fazer uma campanha de divulgação para aumentar a presença de sua marca e, assim, conseguir vender mais.

O oposto também é válido: em tempos de crise, o contador pode indicar com dados quais são os funcionários que devem ser demitidos ou os tipos de produto que podem ser desativados. 

Como funciona esse tipo de contabilidade? 

A contabilidade gerencial funciona a partir do entendimento de que os números podem estar a serviço da gestão do negócio

Para isso, o contador pode servir como um consultor dentro da empresa, gerando planilhas, relatórios e apresentações que façam sentido para os empreendedores. 

No caso de empresas de grande porte, isso também vale para executivos e gestores de áreas.

Um gestor de frota, por exemplo, pode se beneficiar bastante do auxílio da contabilidade gerencial, com números que mostrem como a frota pode ser melhor utilizada dentro das operações de transporte e logística da companhia

Para isso, é preciso ter confiança de que números e dados estão mostrando a realidade – e que eles exibem o que está dando certo ou não dentro da empresa. 

Pode parecer uma questão óbvia, mas é um aspecto cultural bastante importante a ser desenvolvido dentro das companhias. 

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na redução de custos da sua gestão de operação!

Qual é a diferença da contabilidade gerencial para a financeira?

Antes de avançar na resposta dessa pergunta, é importante lembrar o que é a contabilidade financeira

É a forma mais conhecida da contabilidade, que se preocupa com impostos, a pontualidade na hora de fazer os pagamentos das taxas e a redução dos gastos dentro da empresa. 

Já a contabilidade gerencial tem a função de, além de cuidar desses aspectos, olhar para as necessidades do negócio, de forma a torná-lo mais eficiente

Ao contrário da contabilidade financeira, a contabilidade gerencial costuma ser bastante particular para cada empresa. 

Mesmo que duas empresas atuem no mesmo ramo e tenham número de funcionários parecido, sua contabilidade gerencial pode ser bastante diferente – afinal, cada empresa tem sua necessidade. 

Vale ressaltar, porém, que uma não exclui a outra: pelo contrário, o importante é que elas sejam executadas de maneira conjunta, para evitar atropelos. 

(Já pensou se a contabilidade gerencial decide que é hora de investir num grande projeto e o lado financeiro se esquece de que os recursos que seriam investidos devem, na verdade, ser usados para pagar impostos? Pois é.)

Quais são as metodologias utilizadas? 

Como vimos anteriormente, a contabilidade gerencial precisa da ajuda da contabilidade financeira. 

Muitos guias e sites com dicas sobre contabilidade gerencial recomendam algumas metodologias não-financeiras para quem deseja avançar nesse setor. São elas: 

  • Valor Econômico Agregado (EVA): um índice para avaliação de negócios, que mostra como a empresa consegue agregar valor aos seus produtos e serviços
  • Valor Agregado de Mercado (MVA): tenta calcular o valor de mercado da empresa, caso ela fosse recebesse uma oferta de aquisição ou fosse vendida
  • Balanced Scorecard (BSC): uma análise de pontos fortes, fracos e do ambiente em que a empresa está inserida. 

Além disso, há uma série de aspectos importantes, menos técnicos e mais pessoais, que são vitais para uma boa contabilidade gerencial. Entre eles, podem ser citados: 

  • Aproximação com o cliente;
  • Boa comunicação;
  • Uso de tecnologia acessível
  • Construção de relações de confiança;
  • Posicionamento estratégico do contador

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na hora de fazer gestão das suas coletas e entregas!

Por que a contabilidade gerencial está ganhando importância como ferramenta de gestão? 

Cada vez mais, o uso de tecnologia está ganhando adesão entre as empresas – e com o setor de contabilidade não é diferente. 

Hoje em dia, há inúmeros softwares que já são capazes de fazer boa parte do trabalho de contabilidade financeira de forma esperta, com recursos como inteligência artificial e aprendizado de máquina. 

É algo que pode levar muitos contadores a ter problemas em breve.

No entanto, essa automatização dos processos pode se transformar em uma vantagem: o contador conhece melhor do que ninguém os números e pode ajudar as empresas a criarem estratégias a partir disso. 

Além disso, é uma forma muito acessível de gestão, uma vez que parte dos resultados da própria empresa para conseguir criar estratégias. 

Quais são os custos de se aplicar a contabilidade gerencial? 

Uma das grandes vantagens da contabilidade gerencial é o seu baixo custo de adoção. 

Isso porque a prática consiste em basicamente analisar os dados da empresa para conseguir pensar em novos planos.

É claro que, para isso, a empresa precisa já ter a capacidade de captar informações sobre suas próprias operações de maneira organizada – e isso sim pode trazer novos custos. 

No entanto, o objetivo da contabilidade gerencial é justamente de reduzir os custos e maximizar os lucros, de forma que o gasto inicial pode e deve ser compensado a médio e longo prazo. 

Outro custo que é preciso ser incluído na conta é o de treinar a equipe para estar preparada para lidar com essas questões – tanto do lado dos contadores quanto de quem vai receber relatórios, planilhas e diagnósticos. 

Como aprender? Há dicas de livros para a prática? 

Para se dar bem na área de contabilidade gerencial, o bom contador precisa aliar conhecimentos técnicos e pessoais. 

Ele deve saber tanto sobre contabilidade financeira e área tributária como ter um bom relacionamento com seus clientes. 

Há ainda inúmeros cursos na internet sobre contabilidade gerencial e, para quem deseja se aprofundar na prática, os cursos superiores de Ciências Contábeis estão cada vez mais olhando para essa área. 

O profissional também deve saber se expressar bem de forma oral e escrita, uma vez que poderá ter de escrever relatórios e planilhas para os clientes. 

Especialistas na área também costumam recomendar alguns livros sobre o tema. Aqui abaixo, reunimos alguns deles: 

  • Contabilidade Gerencial – Teoria e Prática, de Silvio Aparecido Crepaldi
  • Contabilidade Gerencial, de Clovis Luiz Padoveze
  • Contabilidade Gerencial nas Empresas, de George Anthony Necyk
  • Contabilidade de custos, de Eliseu Martins 
  • Contabilidade de Custos – Teoria e Questões resolvidas, de Ed Luiz Ferrari

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário