Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 9 minutos

Neste texto, você vai entender o que é um romaneio de carga, como fazer e conhecer alguns modelos de romaneio de carga – como o modelo de romaneio de entregas. Além disso, vai entender porque essa prática é importante e quais os benefícios para sua empresa.

Organização é um processo fundamental para qualquer empresa – e com o transporte de cargas, não deveria ser diferente.

Uma das formas mais simples de fazer isso é justamente registrando os principais movimentos da sua empresa em documentos.

Seja para evitar desvios, facilitar a fiscalização ou aumentar a eficiência das suas atividades, registrar todas as movimentações de carga é algo imprescindível.

E é por conta disso que você deve saber como fazer um romaneio de carga.

Calma, a gente explica! Basicamente é um documento de embarque que discrimina todas as mercadorias que fazem parte de uma carga; ou ainda, todos os componentes de uma carga, caso ela esteja fracionada.

Vamos entender um pouco mais?

O que é romaneio de carga?

Romaneio de carga nada mais é do que uma lista do que está sendo levado por um veículo. É uma relação dos volumes (como caixas, por exemplo) presentes em um caminhão, com a descrição de seu conteúdo.

Para que serve o romaneio de carga?

O romaneio de carga tem várias utilidades e possuem vários modelos diferentes. Não é um documento obrigatório para a maioria das cargas, mas pode trazer vários benefícios para sua empresa:

  • Facilita a conferência dos produtos no embarque e no desembarque
  • Deixa a fiscalização mais fácil caso o veículo seja parado
  • Serve como comprovante em caso de roubo ou de sinistro com a carga
  • É utilizado para fazer desembaraço aduaneiro, caso a carga seja internacional. 

Quando é utilizado?

O romaneio de carga pode ser utilizado em praticamente qualquer situação de transporte de cargas – afinal, quanto mais organização melhor. Pense nele como uma maneira analógica de rastrear não a sua carga, mas o conteúdo dela. É algo que foi criado para facilitar a conferência dos produtos, seja no embarque ou no desembarque, bem como auxilia a quem precisa fiscalizar a carga – caso de mercadorias perigosas ou de cargas que ultrapassam fronteiras internacionais. 

Nesse último caso, o romaneio (ou packing list, como é chamado em inglês) é também bastante utilizado para fazer o desembaraço aduaneiro – ou seja, liberar a carga perante a Receita Federal do outro país. Outra finalidade útil é servir como comprovante em caso de roubo ou sinistro da carga. 

Qual modelo de romaneio de carga devo fazer?

Antigamente, o romaneio de carga era feito à mão. Hoje, porém, o jeito mais simples de fazê-lo é utilizando planilhas.

Como o documento não é obrigatório em todas as situações, (exceto uma específica que falaremos a seguir) cada empresa e gestor de frotas pode fazer o seu romaneio da maneira que achar melhor.

O único momento de uso obrigatório do romaneio de carga é quando um regulamento do governo pedir – como no caso da Instrução Normativa SRF 680 e do Regulamento Aduaneiro, que pedem sua emissão “quando aplicável”.

O “quando aplicável” neste caso se refere basicamente em dois casos: 1. quando a carga for cruzar uma fronteira internacional; 2. quando as mercadorias transportadas forem perigosas (como combustíveis, medicamentos ou equipamentos que podem contaminar sem o manuseio correto).

Fora essa situação específica, não existe propriamente um único modelo de romaneio de cargas. Ou seja, você pode adequá-lo às necessidades da sua empresa.

O melhor jeito de começar a introduzir a prática do romaneio de carga da sua empresa é fazer duas listas muito importantes, que servirão como um banco de dados.

Uma é a lista de todos os veículos da sua frota, incluindo tamanhos, modelos e capacidades de carga.

Outra é a lista das empresas que você contata, de alguma forma, com a sua frota – sejam eles clientes ou fornecedores. Não deixe de colocar o endereço e a frequência com o qual você costuma atendê-los, por exemplo.

Com os dados em mãos, vai ser muito mais fácil emitir o seu romaneio – e também fazer outras atividades, como roteirizar todas as cargas que devem ser entregues por um único veículo ao longo de um dia de viagem.

Preparamos um modelo de romaneio básico para você baixar e já sair usando. Mas atenção! Ele pode ser usado apenas nos casos em que não foi uma solicitação via regulamento do governo, como falamos anteriormente:

Quais informações um modelo de romaneio de carga deve conter?

Justamente por não ser altamente obrigatório, você pode colocar as informações que forem mais úteis para sua empresa e seu ecossistema – isto é, clientes, motoristas e fornecedores.

Um bom ponto de partida é olhar os critérios que a Receita Federal pede para todos alguns tipos de romaneios solicitados (mercadorias perigosas ou que costumam cruzar fronteiras).

Aliás, no caso de cargas internacionais, use o termo packing list, termo em inglês para denominar romaneio de carga.

As informações que a Receita Federal pede para o romaneio de cargas são as seguintes:

  • quantidade total de volumes (embalagem);
  • marcação dos volumes;
  • identificação dos volumes por ordem numérica; e
  • espécie de embalagens (caixa, pallet etc) contendo peso líquido, peso bruto, dimensões unitárias e o volume total da carga.

Além disso, é claro, o romaneio de carga precisa ter informações sobre a sua empresa e sobre a empresa que vai receber esta carga.

Inclua também dados do veículo que vai levar a carga, uma vez que podem facilitar o trabalho de embarque e desembarque, bem como a fiscalização.

Há alguns tipos de carga em que o romaneio de carga se torna algo pouco prático.

Isso acontece, por exemplo, quando são transportadas cargas a granel (como soja ou outros tipos de grãos) ou itens não embalados – caso de automóveis ou máquinas de grande porte, identificados por números de chassi ou números de série, respectivamente.

Em casos em que o romaneio de carga é obrigatório, como em situações de aduana, leva a aplicação de multa de R$ 500, conforme previsto no artigo 728 do Regulamento Aduaneiro. 

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na redução de custos da sua gestão de operação!

Como funciona um modelo de romaneio de entregas?

Um modelo de romaneio de entregas é muito parecido com o modelo de romaneio de cargas – e normalmente, acaba sendo utilizado quando um único veículo é usado para entregar várias cargas em vários lugares.

Basicamente, um modelo de romaneio de entregas deve considerar as várias entregas feitas por um único veículo – assim, na hora de identificar a carga, também é importante identificar para quem ela vai ser entregue.

Uma boa forma de fazer isso é dividir o romaneio em duas planilhas diferentes. Em uma, você lista os itens que serão entregues e os enumera, deixando um campo com código para os diferentes destinatários.

Na segunda, você enumera as diferentes empresas que receberão as cargas, com endereços e limitações de entrega (como horários de recebimento e até contatos dos responsáveis de descarga).

Assim, pode deixar tudo mais organizado, sem precisar de um campo gigantesco para identificar cada empresa.

Existe alguma relação entre romaneio e manifesto?

Sim. Os dois são nomes dados a documentos para listar os volumes que são enviados em um único veículo.

O romaneio costuma servir para uma carga única, enquanto o manifesto é usado para envio de cargas fracionadas.

Mas isso não é exatamente obrigatório: o que importa é que ambos têm a intenção de tornar o processo de transporte e conferência das cargas mais rápido e sem embaraços.

modelo de romaneio 2

Qual a importância? Que benefícios ele pode trazer? 

Há diversos benefícios que podem ser extraídos do uso do romaneio de carga. Um deles é ajudar na prestação de contas: poderá ser conferido junto com os documentos de entrega por parte de cada destinatário, servindo para confirmar que tudo está em seu devido lugar. Isso funciona tanto para avalizar o trabalho dos motoristas quanto para o recebimento da entrega no seu destino final. 

Além disso, o romaneio de carga também melhora a disponibilidade de informações para os clientes – os dados presentes nele, por exemplo, podem ser usados para o rastreamento dos pedidos, inclusive em tempo real. De quebra, em casos de sinistros, o romaneio de carga ajuda a resguardar as empresas, seja para garantir a indenização dos valores ou até mesmo sua eventual recuperação. 

Quem pode fazer o romaneio de carga?

Basicamente, qualquer pessoa pode fazer o romaneio de carga. Em empresas menores, é uma posição que pode ser adotada pelo dono ou por um funcionário que trabalhe com a área de despacho.

Já numa empresa maior, com mais estrutura, faz bastante sentido que essa função seja desempenhada pelo gestor de frota.

Afinal, o romaneio é útil para gerir a frota e seus dados podem servir como insumo para outras áreas importantes dessa cadeia, como o rastreamento e a roteirização da frota.

São atividades, inclusive que a Cobli pode te ajudar a melhorar na sua empresa, trazendo mais eficiência e cortando diversos gastos. 

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

clique e tenha visibilidade e controle da sua operação com a Cobli
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário