Tempo de leitura: 5 minutos

Quando se fala do transporte de cargas pesadas, as coisas podem se tornar bastante complicadas. Fazer o transporte de qualquer tipo de mercadoria em um país como o Brasil já é algo bastante complicado. Afinal, trata-se de um país cheio de insegurança, burocracia e problemas de infraestrutura. Nesse caso, então…

Para começar, o peso torna o risco de acidentes maior. Por conta disso, a fiscalização em torno desse tipo de carga também é mais comum. E invariavelmente, não se tratam apenas de cargas pesadas, mas também muito valiosas, o que faz com que muito esteja em risco. Mas há maneiras de superar esses desafios. Neste texto, você vai saber mais sobre quais eles são e como podem ser contornados, com eficiência e tecnologia. 

O que são cargas pesadas? Por que elas têm uma logística complexa? 

Cargas pesadas são todas aquelas que, como diz o nome, têm um peso grande. Normalmente, envolvem categorias como equipamentos elétricos, motores, veículos e aeronaves, cenários de espetáculos, vagões, transformadores, guindastes e máquinas de uso industrial ou agrícola. 

Como se pode perceber, são mercadorias que, além de terem grande porte, também têm alto custo. Por conta disso, são itens que têm uma logística complexa: é preciso negociar com fornecedores e também com clientes para conseguir que os produtos sejam entregues corretamente e com o devido cuidado nos lugares certos. 

Quais são os principais problemas do transporte de cargas pesadas? 

  • Falta de profissionais preparados: para transportar uma carga pesada, não basta apenas ter um caminhão e saber dirigir. É preciso saber cuidar de diversos aspectos do transporte, algo que costuma ser raro. O primeiro é o planejamento do itinerário: como os caminhões que levam cargas pesadas costumam ter grandes dimensões, é preciso conhecer bem as estradas para não correr o risco do veículo não passar debaixo de um viaduto, por exemplo. Além disso, é preciso saber distribuir bem o peso das mercadorias ao longo do caminhão, fazer a amarração ou embalagem da forma correta e ter um veículo em boas condições. Isso para não falar na experiência de saber manobrar um veículo pesado – basta uma curva errada para pôr tudo a perder. 
  • Segurança: é um tema importante em dois aspectos. Primeiro, pela própria segurança da carga – muitas vezes, contém materiais que podem ser inflamáveis ou explosivos. O peso também é outro desafio: se não houver cuidado do condutor, uma curva fechada demais pode fazer o caminhão tombar facilmente. Além disso, por serem mercadorias bastante valiosas, elas estão sempre na mira de criminosos – e o roubo de cargas é um crime bastante comum no Brasil. Em 2018, considerando qualquer tipo de carga, foram mais de 22 mil ataques a motoristas no País, segundo dados da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC). O prejuízo calculado é de R$ 2 bilhões. 
  • Burocracia: além de toda a regulamentação que aborda o transporte de cargas no Brasil, as cargas pesadas tem um peso extra no aspecto burocrático – literalmente. A dimensão das cargas provoca impacto maior nas rodovias e estradas do País, de maneira que os veículos que praticam esse tipo de atividade estão mais sujeitos à fiscalização das autoridades. Além disso, taxas e regras em torno desse tipo de transporte costumam mudar bastante nos âmbitos estadual e municipal, de forma que as empresas e profissionais precisam estar sempre sintonizados para não ficarem fora das normas
  • Preços: normalmente por terem grandes dimensões, os veículos que transportam cargas pesadas utilizam um maior número de eixos – o que lhe faz pagar taxas maiores de pedágio nas estradas. Também precisam de motores mais potentes, e assim, consomem mais combustível. A reposição e manutenção das peças desse tipo de veículo também é outro entrave. E, como já vimos, como há poucos profissionais preparados para esse tipo de atividade, os que estão prontos também cobram mais caro por suas habilidades. É um verdadeiro desafio financeiro, que muitas vezes impede ou torna ineficiente o transporte de cargas pesadas. 

Quais são as perspectivas e novidades desse setor? Como a tecnologia pode melhorar o segmento? 

Nos últimos anos, com a queda nos investimentos em infraestrutura, o transporte de cargas pesadas sofreu um bocado. Com as promessas de reaquecimento da economia e a necessidade de investimento no setor, porém, é bastante possível que esse mercado volte a se animar em 2020. Mas, para isso acontecer, é muito importante que as empresas invistam em maneiras de se tornarem mais eficientes. 

Ferramentas como rastreamento, monitoramento e telemetria veicular, como os oferecidos pela Cobli, podem ajudar bastante nesse caso, uma vez que podem ajudar os veículos de cargas pesadas a se tornarem mais seguros e baratos – reduzindo o uso de combustível, tornando a manutenção mais fácil e até mesmo dando segurança para os gestores de frotas sobre a rota do veículo.

A roteirização também pode ajudar os motoristas e gestores a traçarem rotas mais econômicas para os veículos, considerando os desafios como condição das estradas e altura de viadutos.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Monitoramento de frota - Os desafios para transporte de cargas pesadas – e como superá-los

Escreva um Comentário