Custo de estoque: veja os tipos, como calcular e aplicar em sua empresa

O custo de estoque tem um impacto significativo em empresas de qualquer ramo, por isso, ter um bom controle sobre este setor é fundamental para que não haja gastos excessivos e desnecessários.

Para realizar o custo de estoque de maneira eficiente, é preciso levar em contas diversos fatores, como processamento, armazenagem e até mesmo a falta de mercadorias.

Organização e metodologia são essenciais neste processo, que começa com o método de endereçamento de estoque mais adequado e vai até a entrega do produto.

Em uma economia altamente globalizada e competitiva, diversos fatores influenciam no preço dos produtos e o estoque é um deles.

Por isso, é necessário se atentar a elementos externos que também podem impactar no custo do estoque, bem como no valor das mercadorias.

Quer entender melhor sobre como funciona o custo de estoque, como calcular e ver dicas de como reduzir o seu custo? Então, acompanhe o texto abaixo e fique por dentro deste tema.

O que é custo de estoque?

O custo de estoque envolve diferentes fatores dentro de uma empresa, que vão ter influência direta em seus processos de produção, armazenamento e distribuição.

Nada mais do que um cálculo, o custo de estoque é uma medida administrativa que produz um cálculo a partir do investimento de capital, armazenagem, depreciação, seguro, tributação, obsolescência, entre outros.

A fórmula utilizada para seu cálculo é chamada de CMV (Custo de Mercadoria Vendida).

Importante para as projeções financeiras de qualquer companhia, essa é uma modalidade que vai muito além dos cálculos contábeis tradicionais.

Calcular e analisar o custo dos estoques é um fator essencial para reduzir despesas e gastos, bem como aumentar a margem de lucro da empresa.

Um de seus principais papéis é ajudar a determinar a margem de lucro da empresa por meio da medição da relação entre suprimento, demanda, bem como a compra, repasse e entrega da mercadoria ao consumidor.

Dessa forma, é necessário conhecer bem quais são os elementos que estão relacionados a esta fórmula. Siga com a leitura para entender melhor.

Quais são os tipos de custos de estoque?

De forma geral, existem 6 custos de estoques que são muito comuns às companhias e demonstram os principais elementos que devem ser levados em consideração para calcular o CMV.

Abaixo, confira alguns exemplos:

Custo de pedido

O custo de pedido, também chamado de custo de reabastecimento de estoque, é o investimento feito para atender e suprir novas demandas.

Nele devem ser contabilizados gastos administrativos e taxas, assim como os custos de logísticas, entre eles transporte.

Custo de manutenção e armazenamento

O custo de manutenção de estoque envolve desde as despesas com o espaço de armazenamento em si, como IPTU, aluguel, energia, água e maquinário, como também elementos pontuais que influenciam na operação, como perda, furto, etc.

Nesta equação, é necessário incluir o custo de estoque parado para que a soma seja completa e reflita a realidade da empresa.

Custo de produto

O custo de produto é todo valor investido ou gasto para que seja realizada a produção de uma mercadoria.

Custo de falta de estoque

Assim como o nome sugere, o custo de falta de estoque é aquele proveniente de tudo o que a empresa não conseguiu produzir para atender a demanda de seus produtos.

É o que a companhia perde por não ter a mercadoria disponível em estoque para entregar ao consumidor. Nele, estão incluídos o custo de vendas perdidas e custos de atraso.

Custo de depreciação ou custo de risco

O custo de depreciação pode ser bastante substancial, especialmente quando se trabalha com produtos perecíveis.

Ele está relacionado a itens que não podem mais ser comercializados por terem sido danificados durante o armazenamento. Estas mercadorias são descartadas ou vendidas a um preço muito inferior.

Custo de serviço

O custo de serviço está relacionado à toda mão de obra utilizada na produção e operação da mercadoria, de maneira direta ou indireta.

Entre seus exemplos estão estoquistas, seguranças, conferentes, profissionais de recursos humanos, de tecnologia da informação, de limpeza, etc.

Como se calcula o custo de estoque?

Para realizar o cálculo de custo de estoque, é preciso utilizar a fórmula de CMV – Custo de Mercadoria Vendida.

O desmembramento da fórmula é o seguinte: CMV = EI + C – EF

As siglas são fáceis de entender, sendo:

  • EI = Estoque Inicial;
  • C = Compras realizadas dentro do período analisado;
  • EF = Estoque Final.

Há ainda uma outra maneira de calcular o custo de estoque, que nada mais é do que a soma de seus tipos.

Neste modelo, a fórmula é expressa desta maneira:

Custo total de Estoque = Custo do pedido + Custo total de ajuste + Custo de estocagem.

O custo de estoque e custo de armazenagem estão incluídos nesta equação e os demais tipos também podem e devem ser colocados dentro desta conta.

No caso do custo total de ajuste, deve-se elencar os gastos que a empresa tem em sua produção para atender à demanda, ajustando sua linha de acordo com os insumos.

Calcular o custo dos estoques ajuda a otimizar sua operação, atender com mais eficiência suas demandas e aumentar seus lucros.

Conhecer bem como funciona sua operação e todos os investimentos e gastos necessários para sua manutenção é fundamental.

Existem vários sistemas e softwares que ajudam neste sentido e auxiliam na forma de como calcular o custo de estoque parado, do produto e também do risco.

O importante, no entanto, é entender amplamente todos os elementos que estão relacionados nestas variáveis para que este cálculo seja sempre adequado.

Como reduzir o custo de estoque

Algumas dicas podem contribuir na gestão do custo de estoque e refletir em sua redução, o que vai aumentar a margem de lucro da companhia.

Uma delas é o inventário de estoque, um recurso essencial para auxiliar na projeção e conferências destes dados.

A Cobli disponibiliza gratuitamente uma planilha de inventário de estoque, que vai ajudar a melhorar a gestão e ainda reduzir os custos e desperdícios em sua empresa.

Além disso, faça sempre o levantamento de custos de todos os processos que envolvem o produto e atualize frequentemente os níveis do estoque.

Para isso, outra dica importante é apostar na automatização, investindo em programas avançados e completos, que tornam o controle de custo de estoque mais prático e seguro.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.