homem, sentado em uma mesa, na frente de um notebook, dentro de um estoque, analisando um produto na caix

Logística elástica: o que é e quais os benefícios?

Quando falamos em logística, sabemos que estamos tratando de um componente crítico de qualquer negócio, afinal, ela desempenha um papel crucial no sucesso das operações. Nos últimos anos, surgiu um conceito que está revolucionando a maneira como as empresas abordam a gestão de suas cadeias de suprimentos: a logística elástica. 

A logística elástica pode ser definida como uma abordagem inovadora que vem redefinindo a maneira como as empresas concebem, implementam e executam suas operações voltadas, principalmente, à parte de supply chain.

Essa evolução notada no mercado dá-se pelo fato da logística ser um campo complexo e multifacetado. Quem busca o sucesso e longevidade em seus negócios, precisa ter em mente que a inovação na gestão logística é essencial. 

Há uma série de envolvimentos que podemos citar ao pensar na inovação no campo logística, que envolve, inclusive a logística elástica, que vão desde a aquisição de matéria-prima até a entrega do produto final nas mãos do cliente. 

Para se ter uma dimensão da importância da logística, segundo o Instituto de Logística Supply Chain (ILOS), o setor no Brasil movimenta aproximadamente R$1,5 trilhão por ano, e emprega mais de 12 milhões de profissionais. Esse valor representou, em 2022, 13,3% do Produto Interno Bruto (PIB).

Diante de tantos desafios, a logística elástica surge como uma ponta de grande inovação, prometendo respostas para muitas dores que as empresas enfrentam no dia a dia.

Neste artigo, exploraremos em profundidade o que é a logística elástica, como ela funciona, sua relevância e como aplicar e implementar essa abordagem inovadora.

O que é logística elástica?

A logística elástica vai além dos limites convencionais de otimização da cadeia de suprimentos. Funciona como um tipo de gestão logística que tem como principal foco a busca exata pelo que o mercado precisa.

Basicamente, podemos definir que o principal objetivo é evitar excessos ou faltas. É um método de apoio à cadeia de suprimentos e que ajusta a produção de acordo com o que é necessário.

E é daí que vem o conceito de “elasticidade”, pois é um método que oferece flexibilidade à uma operação logística ao suprir altas ou baixas demandas.

Importante dizer que a logística elástica é diferente, por exemplo, de um conceito de previsão de tendências. Ela não se limita a ser uma mera reação a mudanças repentinas, mas sim uma transformação profunda na forma como as empresas abordam o fluxo de produtos, informações e recursos. 

Por ser considerado um conceito inovador para manter armazéns organizados e integrados a diferentes centros de distribuição, as empresas também estão olhando para os ganhos dessa metodologia:

  •  Fornecedores e terceirizados espalhados em diversos pontos; 
  • Demandas atendidas e entregues no menor prazo possível;
  • Garantia de fornecedores necessários para fabricação no local mais próximo. 

Como funciona a logística elástica?

O primeiro passo é entender o conceito por trás da logística elástica. Ela opera em um ambiente interconectado, onde dados e informações navegam em tempo real. Com isso, é possível ter uma visão completa e precisa de todas as etapas da cadeia de suprimentos. 

Assim é possível afirmar que, por meio desse sistema de gestão de cadeia de suprimentos unido à uma minuciosa análise de Big Data na logística, as empresas identificam tendências emergentes e ajustam suas operações instantaneamente.

Exemplo de uma aplicação de logística elástica

Imagine um e-commerce que monitora as tendências de compras de seus clientes em tempo real. 

Com a logística elástica, esse varejo eletrônico pode redirecionar o seu estoque automaticamente para os produtos mais demandados em diferentes regiões. Isso irá reduzir custos de transporte e melhorar o atendimento ao cliente.

Isso implica não apenas flexibilidade na administração de estoque, mas também a habilidade de adaptar estratégias de transporte, alocação de recursos e processos operacionais para atender às demandas momentâneas.

galpão com armários vazados, prateleiras e caixas organizadas
Quando fala-se em logística elástica, uma das partes mais afetadas positivamente é a gestão da cadeia de suprimentos.

Como exemplo, podemos citar picos, como Black Friday, Natal e datas comemorativas, ou mesmo em momentos de baixa procura, como os primeiros meses do ano.

Qual a relevância da logística elástica? 

Quem trabalha, principalmente com entregas, sabe da importância na logística elástica, principalmente pelo fato de ser difícil padronizar para todos os clientes. 

Além disso, é possível afirmar que a logística elástica permite que as empresas minimizem custos, reduzam os tempos de entrega e melhorem a satisfação do cliente. 

Também pensando em logística 4.0, que busca ser mais eficiente por meio de tecnologias,podemos citar os seguintes pontos relevantes:

  • Capacidade de se adaptar rapidamente a interrupções, como desastres naturais;
  • Eficiência para gerir e alocar novos pedidos;
  • Agilidade e flexibilidade nas operações do estoque ou centros de distribuição;
  • Controle e rastreabilidade dos produtos.

Ou seja, entre tantos benefícios, podemos dizer que a logística elástica desempenha um papel vital na redução do desperdício e no uso eficiente dos recursos. 

Ao evitar o excesso de estoque, por exemplo, e minimizar o transporte desnecessário, as empresas podem aumentar os seus ganhos, além de contribuir significativamente para a sustentabilidade no transporte.

Como implementar a logística elástica?

Após entender os benefícios deste método, que tal partir para entender como implementar a logística elástica? 

A aplicação requer um compromisso com a inovação e integração de tecnologia avançada. Veja abaixo 03 passos para aplicar a logística elástica:

1. Use tecnologia avançada

Sem segredos! Para quem quer usar o melhor da logística elástica é preciso investir em tecnologias de ponta. 

Busque por softwares de gestão logística, estruture um Big Data e outras ferramentas que lhe possibilitem realizar análises preditivas, automação e IoT para melhorar a visibilidade e o controle.

2. Vá atrás da metodologia just-in-time 

Traduzindo literalmente,  “justo a tempo”, é um processo logístico que permite reduzir o estoque – e seus custos – ao mínimo.

Baseia-se em adquirir apenas o necessário no momento ideal. Claro que envolve uma grande engrenagem e estudos por trás, mas é apoio irrestrito à logística elástica e ao supply chain.

3. Armazém, estoques e centros de distribuição flexíveis

Quando qualquer um desses lugares tem a flexibilidade de tratar com imprevistos, é possível dizer que a sua empresa está próxima do sistema de logística elástica. 

Isso deve-se ao fato de estarem preparados e com capacidade para os picos de demanda. 

Para isso, é importante adotar o uso de prateleiras de carga pesada ou organização por paletes, por exemplo.

homem, sentado em uma mesa, na frente de um notebook, dentro de um estoque, analisando um produto na caix
Para que a implementação da logística elástica funcione, é preciso contar com tecnologias e dados históricos.

Como aplicar a logística elástica?

Agora, falando como aplicar a logística elástica em processos do dia a dia, para que ela seja bem-sucedida será necessário uma abordagem estruturada, adaptabilidade e constante treinamento.

Integração de dados

Para que a aplicação da logística elástica seja de sucesso, integre sistemas e fontes de dados em uma única plataforma.

Assim, será possível obter uma visão completa da cadeia de suprimentos.

Automatização inteligente 

Não se esqueça de utilizar automação inteligente para tomar decisões em tempo real com base em dados em constante atualização.

Isso garantirá mais assertividade nas escolhas que forem tomadas.

Treinamento contínuo 

A tecnologia está em dia, mas não se esqueça da sua equipe! 

Mantenha o time atualizado com ferramentas modernas, além de todas as técnicas de logística elástica, seja na prática ou em teorias.

Adaptação a mudanças 

Assim como o conceito da logística elástica, esteja sempre preparado para ajustar suas operações à medida que as demandas e o mercado evoluem.

Essas  flutuações na demanda do mercado não podem passar despercebidas. Dessa forma, será mais simples alcançar o equilíbrio entre eficiência operacional e satisfação do cliente.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *