Post atualizado em

controle de manutençãoO gestor de frotas deve cuidar de seus veículos aplicando a manutenção corretiva e, sobretudo, a manutenção preventiva.

A manutenção preventiva é aquela destinada a evitar possíveis problemas no futuro, bem como a identificar o mais rápido possível falhas no veículo, por menores que sejam, tomando imediatamente as medidas necessárias para solucionar o problema.

Veja abaixo 9 dicas de manutenção preventiva na gestão de veículos!

1. Verifique os freios

A boa manutenção preventiva recomenda trocar o fluido de freio pelo menos uma vez ao ano.

Os discos de freios, as pastilhas, os tambores e demais peças do sistema de frenagem devem ser revisados a cada 10 mil quilômetros rodados.

Caso o veículo utilize o sistema de freios ABS, é necessário observar a parte eletrônica, certificando-se de que todos os sensores e componentes estão em bom estado de conservação, funcionando corretamente.

2. Troque o óleo

É preciso trocar o óleo lubrificante e o filtro do óleo conforme os períodos definidos pelas montadoras de veículos, que geralmente é de seis meses ou a cada 10 mil quilômetros percorridos.

Caso essa troca não seja realizada, podem acontecer muitos danos ao motor, o que certamente vai resultar em prejuízos financeiros.

Recomenda-se ainda consultar o manual da montadora para conferir o tempo certo para trocar o óleo da caixa e o óleo da direção hidráulica.

3. Limpe o sistema de resfriamento

Outra dica para manter um bom controle de manutenção é realizar a limpeza periódica do sistema de resfriamento (arrefecimento), ou seja, a cada 30 mil quilômetros que o veículo percorre. As peças que deverão ser limpas são o radiador e o reservatório de expansão.

A água mais o aditivo (que equivalem ao fluido) permitem a refrigeração e o funcionamento correto do motor. Por esse motivo, é importante trocar o aditivo do radiador toda vez que o caminhão completa 30 mil quilômetros de rodagem.

4. Troque o filtro de ar

A manutenção preventiva do filtro de ar oferece a vantagem de ser simples e custar pouco. O prazo para trocar o filtro de ar varia de acordo com a frequência de uso do veículo: se ele é muito usado, o tempo para a troca certamente é menor.

Geralmente, estima-se o período de um ano para realizar a troca do sistema de filtragem.

Essa substituição precisa ser feita porque, com o uso do filtro, o fluxo de ar contribui para o melhor desempenho do motor, evitando o desgaste.

5. Faça a manutenção preventiva do filtro de combustível

O filtro de combustível funciona como um guardião, impedindo que impurezas presentes no tanque do veículo passem para o motor.

Por isso, precisa ser mantido em bom estado de conservação, devendo ser substituído periodicamente (entre 10 mil a 15 mil quilômetros percorridos).

6. Tenha cuidados com os pneus (alinhamento, balanceamento, calibragem)

O alinhamento e o balanceamento devem ser feitos para que os pneus não passem por um desgaste muito grande. Além disso, pneus bem alinhados, calibrados e balanceados ajudam a consumir menos combustível.

O alinhamento serve para ajustar os ângulos das rodas de maneira que elas fiquem efetivamente alinhadas (paralelas entre si e perpendiculares ao chão). Já o balanceamento conduz os pneus ao melhor ângulo quando eles estão tortos. Dessa forma, permite que a roda gire sem causar vibrações no veículo quando ele atinge certas velocidades. A falta de balanceamento pode causar problemas na tração, dirigibilidade e estabilidade do veículo.

Esse tipo de manutenção preventiva deve ser feito a cada 10 mil quilômetros. Pode-se aproveitar essa quilometragem para efetuar também o rodízio de pneus.

Existe uma relação estreita entre pressão e carga, que precisa ser respeitada. A calibragem correta, por sua vez, evita que os pneus se rompam e aconteçam acidentes (é o que tende a ocorrer quando os pneus estão muito inflados).

Mantenha a pressão adequada dentro dos pneus (ela é fornecida no manual da montadora) — vale lembrar que a temperatura do meio externo pode alterar essa pressão. Pneus com calibragem a mais ou a menos ficam deformados e desgastam-se mais rapidamente.

A calibragem só deve ser realizada quando os pneus estiverem frios, a cada 15 dias. Mas se o veículo faz muitas viagens durante o mês, vale a pena calibrar a cada 500 quilômetros rodados.

Sempre observe em que estado se encontram os pneus, avaliando o nível de desgaste sofrido e a condição dos aros. Assim, será possível substituí-los ou recuperá-lo com a técnica mais apropriada (recapagem, recauchutagem ou remoldagem).

Quando a banda de rodagem estiver no limite de uso recomendado pela montadora, o jeito é trocar o pneu para não correr riscos nas pistas.

A manutenção preventiva dos pneus é uma das mais importantes para uma frota de veículos de carga.

7. Substitua as velas

As velas também são importantes para o bom funcionamento do veículo. Elas exigem uma atenção especial, pois podem apresentar danos sem que isso implique necessariamente no mau funcionamento imediato do motor — aparentemente, as coisas podem estar rodando bem, mas cedo ou tarde surgirão problemas e imprevistos de última hora.

Portanto, é recomendado trocá-las conforme as determinações da montadora. Geralmente, estipula-se um prazo que pode variar de 15 mil a 100 mil quilômetros.

8. Observe os itens de segurança

Outra medida importante de manutenção preventiva é ficar atento aos itens de segurança, como cinto, macaco, triângulo, extintor, sistema de rastreamento/monitoramento e assim por diante.

O extintor de incêndio deve estar dentro do prazo de validade. Uma forma de identificar esse ponto é conferindo se o ponteiro está na marcação verde. Observe também se ele não precisa ser recarregado.

Esses itens devem ser verificados antes de cada viagem para evitar transtornos na estrada.

9. Fique atento a outros pontos e itens importantes

Outros pontos que devem ser observados periodicamente para realizar uma manutenção preventiva eficiente são:

  • buzina e limpadores de para-brisa;
  • iluminação interna e externa (lâmpadas em geral);
  • correias externas do motor;
  • fusíveis;
  • bateria;
  • sistema de suspensão (amortecedores, feixes de molas, eixos);
  • vazamentos em geral (de água e de fluidos do câmbio, motor, coifas).

Fique alerta a esse último ponto, procurando indícios de vazamentos embaixo do veículo. Observe a cor do óleo para confirmar se ele está queimando ou se existem partículas sólidas oriundas do motor dentro do óleo.

Já faz a manutenção preventiva ideal em sua frota de veículos? Acesse nosso site, descubra nossas soluções personalizadas e como a gente pode te ajudar!

Manutenção de Frotas

 

badge primary e1563977884304 - 9 dicas para manutenção preventiva na gestão de veículos
Cobli

euquero@cobli.co
(11) 4810-2200

6 Comentários

    • Roberta Caprile Responder

      Olá, Aquildes!
      Ainda não temos um material deste tipo pronto. Porém, existem bons materiais na internet. Qual seria a sua maior dúvida? Estamos à disposição.

  1. Pingback: Mudanças na etiquetagem de pneus 2018 | Revista Torque

  2. Olá, sou encarregado de frota e preciso entender um pouco mais a manutenção preventiva, tipo, intenso a serem verificados o tempo para cada item

  3. FRANCISCO MORAES Responder

    Gostei muito das dicas e teria um check list para a manutenção preventiva

    • Pedro Lion Responder

      Olá Francisco, tudo bom?

      Temos uma lista de itens que pode servir como guia, mas vale ressaltar que cada fabricante trata de uma forma!
      Não deixe de checar o manual do seu veículo caso pinte alguma dúvida!

      Vou te enviar por email

      Abraços

      Pedro

Escreva um Comentário