mix de veículos na gestão de frota.

[Guia] Mix de veículos: como escolher os veículos da frota?

Toda empresa que utiliza veículos para transporte, coleta ou prestação de serviços, deve se preocupar em escolher, de forma estratégica, o mix de veículos ideal para tornar a gestão de frota mais eficiente, segura e econômica.

E não precisa ter uma estrutura muito grande. Com apenas poucos veículos à disposição para as atividades principais da empresa, você já possui uma frota profissional.

Segundo o IBGE, o Brasil possui mais de 111 milhões de veículos em atividade, incluindo as frotas de veículos das empresas, como carros utilitários, motocicletas e até veículos maiores, como caminhões.

Sabemos que diante deste amplo cenário de opções, fica difícil saber qual a melhor opção para suprir o que a sua empresa realmente precisa.

Por isso, preparamos esse artigo para falar sobre os tipos de veículos de frota e te ajudar a encontrar os certos para atender as necessidades do seu negócio.

Continue a leitura!

O que é mix de veículos?

O mix de veículos é a composição da frota de uma empresa ou organização em termos de tipos e quantidades de veículos que a compõem. 

Este mix é estrategicamente definido para atender às necessidades específicas de transporte da empresa, de modo que consiga aumentar a eficiência operacional enquanto minimiza custos.

A escolha do mix de veículos ideal depende de vários fatores, incluindo:

  • Propósito da frota;
  • Tipos de cargas transportadas;
  • Frequência de uso;
  • Distâncias a serem percorridas;
  • Eficiência energética necessária;
  • Regulamentações de transportes.

Para uma empresa que atua com entregas urbanas de pequeno porte, por exemplo, veículos leves são uma boa alternativa. Por outro lado, para entregas de maior volume que requerem mais espaço de carga, vans seriam uma boa opção.

Já para o transporte de cargas pesadas ou volumosas, escolher modelos que ofereçam a melhor relação entre capacidade de carga e consumo de combustível é o ideal.

Ou seja, cada veículo é escolhido com base em sua capacidade de atender às necessidades específicas com a máxima eficiência. Portanto, o mix de veículos é uma parte essencial da estratégia logística de empresas que dependem de transporte para realizar suas operações. 

A partir da gestão eficaz do mix de veículos, fica visível as reduções significativas de custos e melhorias no serviço oferecido.

Como os veículos são classificados?

O mercado leva em conta várias características para classificar um automóvel. O Código de Trânsito Brasileiro, facilita e prevê três classificações principais:

Veículo de tração

A tração é o tipo de força propulsora que coloca os veículos em movimento. São cinco tipos, confira:

  1. Automotor: possui motor de propulsão. Exemplos: carro e ônibus;
  2. Elétrico: transformam energia em movimento mecânico. Exemplos: carros elétricos e bondes;
  3. Propulsão humana: a força propulsora é humana. Exemplos: bicicleta e carro de mão;
  4. Tração animal: movimento realizado por meio da força de um animal. Exemplos: carroças e charretes;
  5. Reboque ou semirreboque: a carga fica separada dos veículos motores. Exemplos: caminhões e carretas.

Veículo de espécie

A classificação depende da finalidade que cada veículo será utilizado, conheça:

  1. Veículo de passageiros: sua finalidade principal é transportar pessoas. Exemplos: bicicleta, carro, ônibus;
  2. Veículo de carga: são utilizados para transportar cargas muito pesadas. Exemplos: caminhão, carreta, caminhonete;
  3. Veículo misto: podem transportar cargas e passageiros. Exemplos: automóvel utilitário, caminhonete;
  4. Veículo de tração: responsável por movimentar a carga, ou seja, realizar a tração. Exemplos: caminhão-trator, trator misto;
  5. Veículo especial: possuem características especiais criadas para melhorar o transporte ou prestar serviços especializados. Exemplos: guindastes, viaturas, ambulâncias, carros funerários.

Misto 

A categoria de veículo misto é destinado ao transporte simultâneo de cargas e passageiros.

  1. Camioneta: é um veículo misto destinado ao transporte de passageiros e carga no mesmo compartimento. Possui características que permitem uma flexibilidade de uso, sendo comum a transformação de áreas de carga para acomodação de passageiros e vice-versa. Exemplos: SUVs;
  2. Utilitário: caracterizado principalmente pela sua funcionalidade de uso múltiplo, incluindo transporte de pessoas e pequenas quantidades de carga. Exemplo: Veículos crossover e minivans. 

Veículo de carga

Destinado principalmente ao transporte de produtos, mercadorias e outros tipos de carga:

  1. Caminhão: veículo destinado ao transporte de carga, podendo suportar diferentes capacidades de peso bruto total;
  2. Carreta: composta por uma unidade tratora e uma ou mais unidades de reboque ou semirreboque, especializada para cargas volumosas e pesadas;
  3. Motoneta: geralmente são adaptadas com caixas ou cestas para transporte de pequenos volumes;
  4. Motocicleta: possuem sidecars ou caixas acopladas para transporte;
  5. Triciclo: veículo de três rodas, que pode ser motorizado ou não, e é capaz de transportar cargas maiores que as motocicletas;
  6. Caminhonete: veículo de carga leve e versátil, com uma área de carga aberta no fundo. Pode ser coberta ou descoberta, dependendo da necessidade. Ideal para uso rural ou urbano transportando desde equipamentos agrícolas a mercadorias para lojas e residências.
  7. Reboque ou semi-reboque: são tipos de veículos projetados para serem acoplados a um veículo trator, como um caminhão, o que aumenta significativamente a capacidade de carga dos veículos.

Veículo de competição

São veículos modificados ou especialmente construídos para competições esportivas:

  1. Carros de Rally: preparados para competições em estradas especiais e terrenos desafiadores;
  2. Fórmula 1, Indy, etc.: veículos de alta performance desenhados exclusivamente para corridas em circuitos fechados.

Veículo especial

Os veículos especiais são definidos pela Lei nº 14.599, de 2023:

  1. Veículos de propriedade da União: como ambulâncias e viaturas policiais, equipados para respostas rápidas e situações de emergência;
  2. Veículo de coleção: veículos antigos preservados por seu valor histórico e cultural, não destinados ao uso regular em vias públicas;
  3. Outros Exemplos: guindastes, veículos de limpeza urbana, veículos para transporte de valores, etc.
Vários veículos de uma frota compondo o mix de veículos.
O mix de veículos é a composição da frota em termos de tipos e quantidades de veículos que a compõem. 

Quais são as características mais importantes para escolher um veículo de frota?

Quando se trata de frotas, o que mais importa é o quanto de carga esse veículo será capaz de carregar

Na gestão de frotas, escolher o veículo certo é fundamental para garantir eficiência, economia e adequação ao serviço prestado. Nesse sentido, as características dos veículos devem alinhar-se com as necessidades operacionais e os objetivos estratégicos da empresa.

Para isso, existem três classificações principais que devem ser observadas:

01. Capacidade de passageiros transportada

A sua empresa faz o transporte de cargas ou pessoas? Durante o percurso, apenas o motorista é necessário, ou uma equipe especializada deve acompanhá-lo?

Essas perguntas devem ser respondidas antes ao optar por um ou outro modelo de automóvel.

A capacidade de transporte determina quantos passageiros podem ser transportados simultaneamente, influenciando diretamente tanto na eficiência das operações quanto no conforto dos profissionais.

02. Quantidade de eixos

Se você transporta cargas, essa característica é muito importante.

O eixo é o componente do caminhão que garante que o centro de gravidade e o peso sejam igualmente distribuídos.

São 5 tipos, confira:

  1. Simples com rodagem simples (um pneu em cada ponta do eixo) – capacidade de até 6 toneladas;
  2. Simples com rodagem dupla (dois pneus em cada ponta do eixo) – capacidade de até 10 toneladas;
  3. Duplo tandem (dois eixos e dois pneus em cada extremidade) – capacidade de 9 a 13,5 toneladas;
  4. Duplo não em tandem (rodas duplas em cada eixo) – capacidade de 15 a 20 toneladas;
  5. Triplo (três eixos e dois pneus em cada extremidade) – capacidade de 25,5 a 30 toneladas.

03. Força de propulsão

A força de propulsão nada mais é do que o tipo de motor que movimenta o veículo e determina a potência de cada automóvel.

É importante saber qual tipo de carga será transportada para identificar em qual velocidade e tempo seu veículo irá performar.

Dessa maneira, veículos que operam em áreas com variações de altitude e terreno, ou que necessitam transportar cargas pesadas, incluindo frotas de construção e logística, precisam de um mix de veículos com características mais robustas.

04. Eficiência de combustível

A relação entre a quantidade de quilômetros rodados e o consumo de combustível é um dos fatores mais importantes a se considerar antes da compra de um veículo.

Quanto menos consumir, menor será o custo por operação. 

Diante desse cenário, a redução de consumo frente ao cálculo de combustível pode ser um critério decisivo na escolha entre um carro ou outro.

Além disso, outros custos também são envolvidos nessa equação, como a durabilidade, os gastos e a frequência de manutenção necessários para que o veículo continue rodando em segurança.

05. Tecnologia embarcada

A inclusão de tecnologias como GPS, sistemas de gestão de frota e sensores de estacionamento podem aumentar os custos na aquisição, mas também refletem na eficiência e na segurança.

A tecnologia embarcada em veículos melhora a eficiência operacional, segurança e comunicação entre os veículos e a central de operações.

Essas tecnologias são fundamentais para modernizar frotas, reduzir custos e otimizar a gestão de veículos

No caso da telemetria, o sistema de GPS permite rastrear a localização exata de cada veículo, permitindo uma visão abrangente da posição e movimentação de toda a frota.

Além disso, é feita a coleta de dados sobre o uso, como consumo de combustível, velocidade média e tempo de atividade versus inatividade.

06. Flexibilidade de configuração

A flexibilidade de configuração é a capacidade de adaptar o veículo para diferentes funções, como alterar a configuração de assentos em vans, adicionar ou remover equipamentos, etc.

As aplicações são importantes para frotas que necessitam de versatilidade nos veículos, como frotas de serviços técnicos ou de eventos, onde cada veículo pode precisar ser configurado de forma diferente dependendo da tarefa específica.

Quais são os tipos de frota?

Agora que você sabe quais são as características dos veículos existentes no mercado, chegou a hora de conhecer os tipos de frota disponíveis.

Frota própria

A frota própria de veículos é composta por carros comprados pela empresa, que detém todos os direitos e responsabilidades relacionadas ao veículo.

  • Vantagens: o veículo é um ativo, centralização de processos e disponibilidade da frota e que é possível personalizar de acordo com necessidades específicas, como instalação de equipamentos especiais;
  • Desvantagens: imprevisibilidade de custos, depreciação dos automóveis, gastos com manutenção, impostos e documentação.

Frota terceirizada

Os carros pertencem a uma empresa terceirizada que disponibiliza os veículos durante o período de vigência do contrato.

  • Vantagens: previsibilidade de custos, burocracias e custos com manutenção são responsabilidade do fornecedor, os veículos disponibilizados são, em sua maioria, 0km e facilidade para ajustar o tamanho da frota conforme a demanda;
  • Desvantagens: o veículo não é um ativo da empresa, o custo de terceirização pode ser mais alto no curto a médio prazo e há dependência da capacidade do fornecedor em cumprir com o serviço prometido.

Frota alugada

Funciona como um empréstimo de carro normal, mas focado em empresas. O aluguel geralmente acontece por um período curto de dias ou semanas.

  • Vantagens: as burocracias e custos com manutenção são responsabilidade do fornecedor e não há necessidade de um vínculo de longo prazo com uma empresa, manutenção inclusa e possibilidade de sempre operar veículos novos ou seminovos;
  • Desvantagens: risco de indisponibilidade de veículo ou modelo para o período necessário e pode haver limitações quanto à personalização dos veículos e ao número de quilômetros rodados.
gestor de frota analisando informações de veículos para escolher o mix de veículos ideal.
O gestor de frota precisa analisar diversos fatores para escolher o mix de veículos ideal.

Como dimensionar a sua frota?

Conhecer as necessidades reais do negócio é o primeiro passo para realizar o dimensionamento correto da frota, garantindo produtividade, segurança e reduzindo custos relativos à movimentação de cargas

Entenda quais são os passos mais importantes para fazer a sua frota funcionar com eficiência:

  1. Determine a demanda semanal e mensal de operações que a sua empresa consegue realizar;
  2. Analise as rotas que são realizadas, levando em consideração as condições da estrada, restrições e tipo de veículo;
  3. Levante os custos com manutenção e performance de combustível;
  4. Controle o tempo de cargas e descarga e período de descanso dos motoristas;
  5. Entenda as especificações técnicas e capacidade máxima que os veículos possuem;
  6. Conheça a performance de cada veículo, ou seja, o número de trajetos mensais que poderão ser realizados.

Como escolher o veículo ideal para a sua frota?

Escolher o veículo ideal para sua frota envolve uma análise cuidadosa de vários fatores que impactam tanto a eficiência diária quanto os custos a longo prazo. 

Dessa maneira, é necessário selecionar veículos que não apenas atendam às necessidades específicas de transporte da empresa, mas que também ofereçam confiabilidade, economia e conformidade com as legislações vigentes. 

Defina as necessidades operacionais

Antes de mais nada, determine qual será o tipo de uso, se os veículos serão usados para transporte de passageiros, cargas pesadas, entregas rápidas urbanas, operações em terrenos difíceis, etc.

Após essa primeira definição, analise a capacidade necessária estimando o volume e peso das cargas ou o número de passageiros a serem transportados.

A última parte é considerar a distância média das viagens e com que frequência os veículos serão utilizados.

Depois desse primeiro momento você já vai ter uma ideia da classificação do veículo, quantidade de eixos e outros detalhes.

Avalie a eficiência de combustível e tipo de motor

Veículos com melhor eficiência de combustível reduzem o custo operacional e são mais amigáveis ao meio ambiente.

Por isso, decida entre diesel, gasolina, elétrico, ou híbrido, baseando-se na economia e disponibilidade de infraestrutura de recarga ou abastecimento.

Outro aspecto importante é o tipo de motor. Motores com maior torque podem ser necessários para cargas pesadas ou terrenos acidentados, mas isso não é necessário para cargas menores ou veículos que rodam na cidade. 

Nesses pontos, tenha bastante atenção e, se possível, procure ajuda especializada de quem entende muito de automóveis e possa mostrar quais os melhores veículos, especialmente para suas necessidades.

Considere a configuração e capacidade do veículo

De acordo com as classificações dos veículos, entenda qual é o melhor para suprir as necessidades da sua frota e observe a capacidade de configuração interna.

Para veículos de passageiros, considere o espaço e conforto internos. Para veículos de carga, a configuração do espaço de carga é o mais importante.

Além disso, verifique se a capacidade de carga atende às necessidades operacionais sem exceder as limitações de peso.

Verifique conformidade com regulamentações

Em primeiro lugar, veja se os veículos atendem ou excedem os padrões de segurança obrigatórios. Dependendo da sua área de atuação, podem haver leis e normas específicas que devem ser seguidas. 

Estar a par das legislações de trânsito, segurança e ambientais é o mínimo para que sua frota possa rodar. Assegure-se de que os veículos estejam em conformidade com as leis, especialmente em termos de regulamentações estaduais e municipais.

Veja como a Azza aumentou em 19% o tempo produtivo de toda operação de campo com a Cobli.

Tecnologias e integrações

Um veículo de frota sem tecnologia é como navegar em alto mar utilizando somente uma bússola.

Mesmo que os custos de aplicação de tecnologias eleve o valor dos carros, a longo prazo você vai perceber a valorização e como eles melhoram o desempenho e performance de suas operações. 

Nesse sentido, opte por veículos que possam ser facilmente integrados com sistemas de FMS para melhor gerenciamento e rastreamento.

Segundo dados de 2024 coletados pela Polícia Federal, entre as principais causas de acidentes estão:

  • Reação tardia ou ineficiente do condutor;
  • Ausência de reação do condutor;
  • Acessar a via sem observar a presença dos outros veículos;
  • Velocidade incompatível;
  • Condutor deixou de manter distância do veículo da frente;
  • Manobra de mudança de faixa.

O sistema de videotelemetria da Cobli é um exemplo de tecnologia de acompanhamento, uma vez que você observa o comportamento de direção dos motoristas e consegue identificar e evitar ações perigosas que possam causar danos aos automóveis e à segurança dos motoristas.

Itens como sistemas de navegação avançados e conectividade melhoram a experiência de condução e eficiência.

Por meio de câmeras de monitoramento a central analisa os movimentos e hábitos de direção dos motoristas, evitando comportamentos de risco.  

Você vai ter mais visibilidade sobre as operações e consegue evitar problemas de colisões, uso indevido dos veículos, excesso de velocidade e outros comportamentos que podem ser danosos à sua frota. 

Custo total de propriedade (TCO)

Independentemente se você opta por ter uma frota própria, alugada ou terceirizada, saiba qual será o custo total de propriedade a longo prazo

Na aquisição de um veículo, considere o preço de compra e as opções de financiamento. Por outro lado, faça as contas e estime os custos de manutenção regular e peças de reposição.

Somente a partir desses cálculos você avalia a depreciação do veículo ao longo do tempo para entender o retorno sobre o investimento.

Avalie opções de fornecedores

Encontrar condições melhores de pagamento, valores mais atrativos e outros requisitos tem grande peso na hora de escolher onde adquirir os carros.

Opte por marcas reconhecidas por sua qualidade e confiabilidade e dê preferência a fornecedores que ofereçam boas condições de garantia e suporte técnico local.

Dicas para otimizar o mix de veículos na gestão de frotas

Otimizar o mix de veículos em uma gestão de frotas é a última etapa para chegar à sustentabilidade operacional.

Alguns passos são essenciais para otimizar o mix de veículos da sua frota.

Veja as dicas exclusivas que separamos:

  • Tipo de carga e capacidade: defina o tipo de veículo com base no volume e tipo de carga que será transportada;
  • Distância das rotas: veículos com maior autonomia de combustível ou elétricos podem ser melhores para rotas longas;
  • Demanda de uso: veículos mais robustos podem ser necessários para uso contínuo, enquanto veículos menores podem ser reservados para tarefas mais leves e rápidas;
  • Veículos especializados: inclua veículos com especificações técnicas para necessidades especiais (refrigeração, carga perigosa, etc.);
  • Manutenção preventiva: estabeleça um cronograma de manutenção baseado na utilização e desgaste de cada veículo;
  • Substituição por veículos mais eficientes: faça a troca de veículos antigos por modelos mais novos e eficientes em termos de combustível e desempenho;
  • Treinamentos regulares: promova cursos de direção econômica e segura para os motoristas da sua frota;
  • Videotelemetria: utilize sistemas de rastreamento e videotelemetria para monitorar rotas, consumo de combustível e comportamento do motorista;
  • Análise de dados: use softwares de gestão de frotas para analisar dados coletados e identificar padrões de uso e necessidades de manutenção nos veículos;
  • Documentação: mantenha toda a documentação dos veículos atualizada, incluindo seguros e licenças;
  • Contratos de Leasing flexíveis: opte por contratos que permitam a troca de veículos conforme as mudanças nas demandas do negócio;
  • Opções de Retrofit: adapte veículos antigos para novas necessidades ao invés de comprar novos;
  • ROI de eficiência: avalie o retorno em termos de eficiência energética e custos operacionais.

A decisão do mix de veículos deve ser estratégica conforme as necessidades do seu negócio.

Compreender mais a fundo sobre os tipos de automóveis, suas funções e características vão fornecer uma visão mais ampla para que você saiba escolher corretamente os ativos da sua frota. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli!

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *