roi-logistica

Como calcular o ROI em logística da frota? [Passo a passo]

O ROI em logística é uma das métricas mais importantes para calcular a lucratividade da frota. A sua diferença está na medição do lucro em cima do que foi investido no setor logístico. Para frotas que buscam otimizar processos e reduzir custos em 2023, o cálculo do ROI é um passo essencial. 

A logística das frotas é caracterizada por envolver várias atividades ao mesmo tempo. O gestor precisa acompanhar todo o processo e ser capaz de identificar o que funciona e o que não. 

E, para que este tipo de decisão seja tomada com assertividade, é utilizado o ROI. Afinal, é o indicador que analisa se o que foi investido está trazendo os resultados esperados. A partir disso, o gestor de frotas decide o que se mantém e o que muda no processo. 

Nesta publicação, explicamos detalhadamente como calcular o ROI e como fazer a leitura correta desta métrica para a sua frota. Continue a leitura!

Antes de tudo: o que é ROI?

O ROI é uma sigla inglês para Return Over Investment — ou Retorno sobre o investimento, em português. Como o próprio nome indica, é o cálculo de quanto um determinado investimento trouxe de retorno positivo (lucro) ou negativo (prejuízo).

A análise do ROI pode ser aplicada de diferentes maneiras. É possível calcular o ROI de projetos específicos, de todo um setor ou até mesmo da empresa toda.

No caso do ROI em logística de frotas, por exemplo, o cálculo deve contemplar todos os investimentos realizados para que a operação logística funcione

Em resumo, a fórmula para calcular o ROI é a seguinte:

ROI: (Valor ganho – valor investido) / Valor investido x 100

Agora, um exemplo de como aplicar essa fórmula na prática. 

Uma empresa investiu R$1000 em uma tecnologia e teve ganhos de R$2000. Nesse caso, o investimento se paga e o ROI é de 100%, um ROI positivo

ROI = (2000-1000) / 1000

Mas caso uma empresa invista R$1000 em uma tecnologia e obtenha um retorno de R$500, o ROI será negativo — o que mostra que o investimento trouxe prejuízos. 

Com este cálculo, a empresa consegue classificar quais investimentos deram certo e devem continuar, e também aqueles investimentos que não funcionaram e precisam ser repensados. 

Por que utilizar o ROI em logística de frotas?

Para gestores de frotas, a redução de custos foi classificada como 3ª maior prioridade, correspondendo a mais de 77,83% das respostas. É o que diz a pesquisa da Trimble, lançada em 2022. 

A mesma pesquisa também apresenta a produtividade como a 4ª prioridade, com 72,41% das respostas.

Tanto a redução de custo quanto a produtividade são aspectos que o ROI impacta diretamente. 

roi-logistica-o-que-e
O consumo de combustível é considerado o principal custo para as empresas de frota.

E como o ROI ajuda a reduzir custos? 

Um dos passos mais importantes para reduzir custos é identificar quais investimentos estão gerando retorno positivo. É aqui onde o ROI entra.

São estes investimentos que precisam ser mantidos na empresa. Já para os investimentos cujo retorno aparecem como prejuízos, é preciso investigar os motivos que levam a isso e considerar cortar estes investimentos da empresa.

Assim, a frota consegue concentrar seus investimentos no que efetivamente gera lucro, mantendo a sustentabilidade financeira do negócio. 

Quanto à produtividade, basta pensar da seguinte forma: como fazer mais gastando menos

Por consequência, a otimização de custos vai gerar o aumento da produtividade. Pois o investimento que está sendo realizado, seja em ferramentas, pessoas ou produtos, está gerando lucro à empresa.

Na prática, o gestor de frotas consegue determinar eficiência dos investimentos realizados em veículos, tecnologias de rastreamento, manutenção e treinamento de motoristas, entre outros. 

Lembrando que o ROI também pode ser utilizado para analisar um determinado período, como cada trimestre do ano ou até mesmo cada mês. 

ROI x Metas da empresa: qual a relação?

Um ponto importante sobre o ROI em logística é como o gestor de frotas utiliza esse dado. O ROI é uma métrica, mas o gestor deve ser capaz de analisá-la ao fazer sua combinação com outros dados importantes do negócio. 

É possível acompanhar a evolução dos investimentos ao longo do tempo e como este se relaciona com as metas de lucro da empresa. Por exemplo, se os investimentos aumentaram, a lógica é que as metas sejam batidas. 

Mas e na situação em que a empresa aumenta o investimento e ainda não consegue bater as metas?  Nesse caso, é preciso analisar novamente onde esses investimentos estão sendo investidos e qual o retorno em cima de cada um deles. Em resumo, calcular o ROI. 

Como fazer o cálculo do ROI em logística? 

Já vimos que o ROI é calculado pelo valor ganho menos o valor investido, dividido pelo valor investido, multiplicado por 100. Confira a fórmula mais uma vez:

ROI = (Valor ganho – valor investido) / Valor investido x 100

Mas antes mesmo de abrir a calculadora ou a planilha, é preciso que o gestor de frotas tenha muita clareza sobre quais investimentos serão analisados e em relação a qual período. É preciso que o ROI esteja adequado à realidade da frota.

Para isso, é preciso determinar o que deve ser considerado como custo e como ganho. 

Custos (valores dos investimentos)

Vamos considerar os valores de custos como o valor de cada investimento realizado para a operação logística da frota. 

Na logística, alguns exemplos de investimentos são: 

  • Consumo de combustível;
  • Aquisição de ferramentas e novas peças;
  • Pagamentos extras de motoristas;
  • Obras e reparos em armazéns e garagens;
  • Capacitação de motoristas;
  • Manutenção de veículos;
  • Softwares e plataformas de tecnologia;
  • Gastos com prestadores de serviços;
  • Custos com taxas e multas;
  • Pagamento de seguros.

Lembre-se que esses pontos são exemplos comuns à maioria das frotas. Mas cada empresa deve avaliar o que deve ser incluído e considerado como investimento, de acordo com sua realidade. 

Ganhos (valores obtidos com os resultados)

Quanto aos ganhos da logística de frotas, podemos considerar alguns pontos, como:

  • Melhoria do tempo de entrega;
  • Redução de custos;
  • Otimização de processos;
  • Resultados obtidos com a implementação de um sistema de gestão.

Para o cálculo do ROI, o gestor pode fazer a soma total de todo o custo e todos os ganhos ou apenas de um investimento específico. 

roi-logistica
Um dos desafios do gestor de frotas é identificar os investimentos que trazem lucro.

Exemplo de como calcular o ROI para consumo de combustível

Considere o seguinte: 

O setor de logística da sua frota implementou um sistema de roteirização e agora consegue planejar trajetos mais eficientes para reduzir os custos com combustível. O valor investido para essa tecnologia é de R$2 mil por mês. 

Sem a roteirização, vamos supor que o gasto mensal com combustível era de R$20 mil. 

Com a roteirização, os gastos mensais com combustível reduziram para R$15 mil. Isso significa que o gasto foi reduzido em R$5 mil. 

Ou seja, todo mês, são R$5 mil economizados em cima de R$2 mil investidos. 

Aplicando a fórmula do ROI, podemos afirmar que o sistema de roteirização traz um retorno de 150% mensal para a frota. 

É simples, não é?

Como utilizar o ROI para otimizar a frota?

O cálculo do ROI é recomendado principalmente para avaliar se os recursos da frota estão sendo bem aplicados. 

Quando o resultado do ROI estiver abaixo do esperado, é um sinal de que algo na estratégia não está funcionando e a empresa está saindo no prejuízo. Mas atenção: nem sempre um ROI baixo significa um mau investimento. 

Existem investimentos que trazem retorno a longo prazo e, dependendo do período que o ROI foi calculado, o resultado pode não ser condizente com a realidade.

Justamente por isso é tão importante conseguir selecionar bem o que é o custo e o ganho. Assim, o ROI terá um resultado verdadeiro para a empresa. 

Na logística de frotas, o ROI é um facilitador para identificar e avaliar os processos logísticos da empresa. É uma maneira de reforçar o que funciona bem e corrigir o que não oferece os resultados esperados. 

É um dos dados que podem auxiliar o gestor nas melhores decisões e na construção de uma rotina de trabalho orientada ao resultado e à eficiência. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *