Feito em caminhões ou barcos, o transporte de carga viva requer cuidados especiais com os animais e o cumprimento de normas específicas.

Transporte de carga viva: tudo sobre a legislação e dicas essenciais

O transporte de carga viva deve ser marcado por um trabalho especial. Para realizá-lo é fundamental seguir protocolos e ter o máximo de cuidado com a mercadoria, afinal, são animais vivos, que merecem respeito e tratamento adequado. 

Para isso, em julho de 2020, entrou em vigor a Resolução nº 791, que consolidou as normas para o transporte de carga viva, de acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Dessa forma, as empresas de transporte de carga viva passaram a contar com um guia mais minucioso e indicativo de como fazer o deslocamento dos animais, garantindo sua segurança e bem estar. 

Se você quer entender tudo sobre o transporte de carga viva e a legislação vigente para esta atividade, acompanhe o texto abaixo. Além de saber essas informações, veja dicas de como transportar esse tipo de mercadoria. 

Como funciona o transporte de cargas vivas?

O transporte de carga viva funciona de uma forma diferente dos demais produtos. Isso porque é necessário ter um caminhão adequado para realizar o deslocamento dos animais. 

De maneira geral, bois, vacas, porcos, cavalos e aves são as cargas vivas mais transportadas pelas estradas brasileiras ou por meio de barcos.

No caso dos caminhões ou carretas de empresas de transporte de carga viva, além do espaço modificado para atender as demandas dos animais, é preciso que o motorista e seu ajudante tenham treinamento adequado. 

O motivo é que os animais precisam de cuidados durante o trajeto, especialmente quando a viagem é mais longa. Sendo assim, estes funcionários devem estar aptos a lidar com os bichos seguindo os protocolos corretos. 

Normas exigidas pela legislação brasileira para cargas vivas

A recente mudança na legislação de transporte de carga viva buscou atender aos apelos de entidades defensoras de animais, que denunciavam as más condições com as quais os bichos eram transportados. 

A partir da resolução em vigor, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento criou um material especial que traz informações e orientações sobre como deve ser feito o transporte de carga viva. 

Seguir as normas exigidas pela legislação brasileira para cargas vivas afeta não apenas o conforto e segurança dos animais, como ajuda a garantir que a mercadoria chegue ao seu destino sem danos ou perdas. 

Confira na sequência algumas exigências fundamentais para o transporte de carga viva no Brasil:

  • Espaço adaptado

O caminhão deve ser adequado para abrigar os animais com conforto e segurança ao longo do trajeto. Para isso, é preciso ter espaço suficiente para que os bichos consigam ficar em pé como em sua posição natural, além de se alimentar e deitar para dormir. 

A intenção é diminuir o estresse e sofrimento causados pelo deslocamento em um ambiente diferente. 

  • Visibilidade

Os transportadores precisam adequar os caminhões para que os animais tenham, ao menos, visibilidade parcial durante o trajeto.   

Assim, além de promover a circulação do ar, é possível ajudar na identificação de eventuais problemas. 

  • Sistema de ventilação

Caso seja um caminhão baú, o veículo deve possuir sistema de ventilação e controle de temperatura na carroceria. Dessa forma, os animais poderão respirar sem dificuldades e não sofrerão com o calor. 

Aliás, a ventilação é um fator essencial também nas carrocerias abertas, por isso, é importante que existam aberturas apropriadas para que o ar circule.

  • Piso adequado

Para que os animais não sofram quedas no percurso e sejam menos impactados nas curvas, a norma exige a instalação de um piso de material antiderrapante. 

O transporte de carga viva deve ser feito de acordo com as normas da legislação brasileira, o que garante segurança aos animais e lucro aos donos da mercadoria.
  • Proteção contra fugas

Tanto o teto quanto as laterais do caminhão precisam ter proteção para evitar que os animais fujam, caiam ou sejam expostos excessivamente ao sol ou à chuva.

  • Travas de segurança

Para realizar o embarque e desembarque das cargas vivas com segurança, é necessário que exista um sistema de travamento na carroceria. 

  • Identificação e número de emergência

O caminhão que faz o transporte de carga viva precisa contar a identificação específica desta atividade. 

Além disso, deve ter exposto de maneira bem visível em sua traseira um número de emergência. Isso permite que, em um eventual acidente, outros motoristas possam conseguir socorro com mais rapidez.

  • Certificação

Todo e qualquer veículo que faça o transporte de carga viva precisa ser homologado pelo DETRAN e possuir o CAT (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito) específico para sua modalidade. 

Quais os problemas de logística podemos encontrar no transporte de carga viva?

Um dos principais problemas de logística que podemos encontrar no transporte de carga viva é a perda das mercadorias

Alguns estudos mostram que a taxa de perdas financeiras, provenientes de mortes ou danos aos animais, chega a 20% por causa do transporte inadequado. 

Longos deslocamentos exigem que a carga viva receba ainda mais cuidado. Disponibilizar água e alimentação é fundamental. 

A gestão do transporte com o planejamento do percurso, as paradas e o tempo necessário para chegar ao destino deve ser levada em consideração e otimizada o máximo possível. 

Porém, um ponto essencial é contabilizar a quantidade de animais que serão transportados. De nada adianta encher um caminhão e deixá-los sem o menor conforto e segurança, pois as chances de problemas acontecerem serão grandes. 

Além de respeitar os animais como seres vivos, pensar uma estratégia de logística que promova o bem estar da carga viva implica em reduzir os possíveis danos e perdas em seu transporte. 

Dicas para realizar o transporte de carga viva

As empresas de transporte de carga viva devem sempre respeitar a legislação da categoria, pois isso é um dos pontos que vão garantir a segurança e bem estar dos animais, além do lucro sobre a operação. 

Veja algumas dicas para otimizar sua logística e permanecer dentro das normas: 

  • Faça as adaptações necessárias para que seu caminhão esteja adequado para transportar animais;
  • Além do piso antiderrapante, escolha uma serragem mais grossa para evitar que os animais machuquem os olhos ou a pele; 
  • Certifique-se de que haja espaço suficiente para os animais viajarem confortavelmente, tanto em pé quanto deitados;
  • Providencie água suficiente para todo o trajeto;
  • Não misture cargas, ou seja, transporte apenas um tipo de animal por vez e não leve outras mercadorias ao mesmo tempo; 
  • Caso os animais precisem viajar presos, tenha cuidado com as amarras. Elas devem ter o cumprimento adequado para que eles possam se deitar, beber água e se alimentar normalmente. Nunca amarre os chifres;
  • Fazer o monitoramento da mercadoria ajuda no gerenciamento de risco da operação.

O transporte de carga viva requer cuidado e consciência por parte da empresa e seus funcionários. Respeitar os limites dos animais é primordial e vai permitir que a mercadoria chegue ao seu destino da maneira esperada. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.