Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 11 minutos

A estocagem de mercadorias integra uma parte chave do processo logístico de uma empresa e pode trazer grandes benefícios quando bem estruturada. Mas para que isso seja possível, precisamos primeiro conhecer os tipos de armazenagem.

Não temos como falarmos de transporte de cargas no Brasil sem mencionar o espaço onde será alocado os produtos antes de saírem para entrega. E quando falamos deste local que abrigará as mercadorias, talvez a maior preocupação sejam os custos desses tipos armazenagem. 

A decisão de como será esse ambiente para a estocagem de produtos refletirá diretamente no cotidiano de trabalho.

Por isso, entender quais são os tipos de armazenagem, seus custos e como escolher a que melhor se adapte ao seu negócio é fundamental para toda empresa. 

E para te ajudar nisso, a Cobli trouxe todas as dicas! Siga a leitura e confira!

Quais os tipos de armazenagem logística que temos hoje no Brasil?

Engana-se quem pensa que o armazenamento de mercadorias é uma etapa simplista no setor de transporte de cargas.

Isso porque não basta alocar os produtos de qualquer maneira em algum lugar. 

Muito pelo contrário, o lugar onde serão estocadas as mercadorias precisa ser muito bem estruturado para atender as demandas do seu negócio e, assim, agregar valor.

Trata-se de uma etapa de extrema importância para que exista um fluxo fluído de entregas, velocidade e dinamismo no dia a dia, afinal, é nesse processo que os responsáveis irão catalogar as mercadorias, registrar entradas e saídas das mesmas, entre outras funções.

Além disso, o setor de transporte de cargas no Brasil requer uma logística muito bem pensada para que seja econômico e ao mesmo tempo funcional.

Tenha sempre em mente que o investimento na armazenagem resulta em redução de custos. 

Por isso, veremos a seguir os tipos e alternativas de armazenagem na logística!

Armazenagem própria

Neste caso, a empresa é dona do local e, por isso, é responsável por gerenciar e manter todo o espaço, bem como as atividades realizadas no galpão.

Como toda a operação está sob a alçada do seu negócio, a empresa precisa contratar funcionários, realizar os registros de entrada e saída de materiais, além de estar preparada para resolver situações pontuais.

A armazenagem própria gera um custo mais elevado, é claro, porque a empresa deve arcar com todas as despesas e ainda contratar a mão de obra.

Em contrapartida, esse tipo de estoque oferece mais flexibilidade, visto que é possível escolher um lugar estratégico para alocar o seu galpão e que otimize a logística de entregas.

Isso quer dizer que o lugar pode ser alocado próximo a uma rodovia, por exemplo, e assim economizar tempo de carregamento e distribuição de produtos, melhorando ainda mais o atendimento ao cliente.

No entanto, fique atento, porque gerir um galpão próprio requer funcionários qualificados para o trabalho. Por isso, saiba que será necessário despender tempo para a capacitação dos mesmos.

Armazenagem terceirizada

Uma alternativa mais econômica é a armazenagem terceirizada. 

Assim, a empresa delega as responsabilidades de gerir o local e evita gastos de manutenção, mão de obra e capacitação de funcionários, afinal, o serviço terceirizado que se responsabilizará por tudo.

A grande vantagem desse tipo de armazenagem, além da redução de custos e otimização de tempo, é que você tem a certeza de que todo o processo da estocagem de produtos será acompanhado de perto.

Mas fique atento para contratar uma empresa que seja especializada no ramo para evitar dores de cabeça no futuro.

Armazenagem contratada

Um meio termo entre os dois modelos citados acima é a armazenagem contratada, que faz uma mescla entre ambos.

Neste caso, a empresa aluga o local de estoque, o que faz com que ela não tenha que investir uma grande quantidade de dinheiro de uma só vez.

Entretanto, os funcionários são contratados da própria empresa.

Esses modelos citados acima são os tipos de instalação de armazenagem principais. 

Mas não é só isso que a empresa precisa saber. Ainda existem os sistemas de estocagem, que auxiliam muito no dia a dia do seu negócio.

Conheça os sistemas de armazenagem

Depois de conhecer os tipos de armazenagem para seu almoxarifado, é hora de saber quais são os sistemas de estocagem que ajudam a manter o local organizado e funcional.

Esses sistemas de armazenagem na logística consistem em um conjunto de métodos e ferramentas capazes de agilizar processos, facilitar o dia a dia na empresa e ainda podem trazer resultados benéficos para o seu negócio.

Veja mais informações abaixo!

Sistema de armazenamento WMS

O WMS é uma sigla proveniente da palavra em inglês Warehouse Management System e consiste nada mais, nada menos do que um software de gestão que ajuda a otimizar processos logísticos.

O sistema WMS é muito utilizado em tipos de armazenagem de estoques, afinal, com ele é possível ter o controle de entrada e saída de mercadorias, avaliar espaços vagos e ocupados dentro do galpão e integrar toda a cadeia logística.

A automatização dos processos faz com que o software WMS traga muitos benefícios para a empresa, podendo agilizar as tarefas do cotidiano e promover entregas mais eficientes.

Porta Pallets Convencional – ou porta-paletes

Os porta-paletes possuem estrutura metálica e promovem a verticalização do estoque. Esse tipo de armazenagem suporta materiais mais pesados e requer empilhadeiras e elevadores manuais para transportar esses pallets.

Cada palete possui o seu lugar demarcado dentro do galpão, o que facilita a movimentação de cargas.

Estantes

Esse tipo de armazenamento oferece suporte para materiais leves e pesados.

Existem os mais diversos tipos de estantes para armazenagem. Todas são feitas sob medida para atenderem os pré-requisitos da carga que irá estocar.

Além disso, elas ficam empilhadas e facilitam a movimentação das mesmas em grandes quantidades.

Existem diversos tipos de prateleiras para armazenagem, variando entre as convencionais, compactas e até mesmo dinâmicas.

Outra particularidade é que as estantes podem ser leves ou de cantilever dependendo do material que ficará sobre ela. 

Essa última, por exemplo, é capaz de armazenar grandes cargas e pesadas também, visto que são bem resistentes.

Quais são os custos de armazenagem?

Cada tipo de armazenagem de almoxarifado gera um custo diferente. Tudo depende das necessidades da empresa.

Muitas vezes o galpão estoca não somente as mercadorias que serão transportadas aos clientes, como também materiais para uso da própria operação do negócio.

Todavia, engana-se quem pensa que o custo com armazenagem se limita depósito de produtos e materiais. 

Toda a operação realizada no galpão, desde a chegada das mercadorias, a operação e o transporte das mesmas entram nessa fórmula de custo de armazenagem.

E quais são os principais gastos? Vejamos a seguir:

Estrutura

Não tem como começar a falar sobre o custo de armazenagem sem mencionar o espaço que será o galpão de sua empresa, é claro.

Toda a estrutura gera um tipo de despesa. Se o estoque é próprio, é preciso pagar o IPTU, conta de água, luz, internet, entre tantas outras coisas.

No caso da armazenagem terceirizada, é preciso pagar esse tipo de serviço e na contratada, além do aluguel do espaço também tem o custo de operação. 

Enfim, são muitas as variáveis que envolvem a estrutura do negócio.

Mão de obra

No cálculo do custo de armazenagem também é preciso considerar o investimento em mão de obra capacitada.

Já vimos que funcionários sem treinamento podem gerar mais despesas do que benefícios. Então, além dos custos de contratação, que envolvem os direitos trabalhistas, também é preciso colocar na ponta do lápis o quanto será investido na qualificação dos mesmos.

Além disso, existe todo um custo de gestão de estoques.

Operação

Os custos de operação abrangem desde a entrada dos produtos no armazém até o carregamento para o transporte. 

Tudo o que é realizado dentro do galpão produz um tipo de gasto.

Descubra como fazer uma gestão eficiente com redução de custos!

Embalagens

Segundo uma notícia da Embrapa, em 2015 o armazenamento incorreto de grãos resultou em 15% de perdas para o setor, já que ficaram expostos à pragas e fungos.

Essa é uma etapa de fundamental importância já que se a embalagem não é adequada, o produto fica em situação de vulnerabilidade, podendo ser contaminado e estragar.

Por isso, o invólucro da mercadoria deve ser ideal para conservação e até mesmo como apresentação do produto para o consumidor final. E, claro, isso também gera um custo.

Tecnologia

A tecnologia na logística é uma peça-chave para o bom funcionamento do negócio. A aquisição de computadores, os sistemas de armazenagem, leitores de etiquetas entre tantas outras ferramentas fazem parte da gestão do galpão.

Utilizar tecnologia de ponta pode promover maior eficácia e agilidade na logística do armazém.

Como calcular custo de armazenagem?

Antes de mais nada, é preciso fazer uma planilha de custo de armazenagem. 

Lá estarão listados todos os gastos com o estoque de produtos.

Um segundo passo seria determinar de quanto em quanto tempo esses custos serão revisados e atualizados.

Esse período varia de acordo com os objetivos da empresa, mas pode ser mensal, trimestral e é sempre bom ter uma revisão anual também.

A fórmula de custo de armazenagem leva em consideração o período a ser calculado, todos os custos envoltos nesse espaço de tempo, todo o espaço que compreende o estoque de produtos, quantidade de mercadorias vendidas durante esse tempo e o que ficou armazenado.

Então, vamos lá:

Supondo que durante um ano, a empresa gastou, no total, R$ 500 mil com armazenagem no período de um ano.

O galpão, por sua vez, compreende um espaço de 10m x 10m, ou seja, 100m².

Durante esse ano, a empresa também vendeu 5 mil produtos e outros mil ficaram estocados.

Portanto, o cálculo de custo de armazenagem ficaria da seguinte forma:

  • (Custo total com armazenagem + produtos vendidos) /espaço do galpão = custo de armazenagem por metro quadrado.
  • (500 mil + 5 mil) / 100 = custo de armazenagem por metro quadrado.
  • 505 mil / 100 = custo de armazenagem por metro quadrado.
  • Logo, os custos de estoque por metro quadrado foram de R$ 5.050.

Além disso, é possível calcular as despesas unitárias. Neste caso, divide-se o total gasto durante o período pela quantidade de produtos vendidos.

No exemplo citado acima, portanto, a conta ficaria assim: 500 mil / 5 mil = R$ 100.

Como reduzir custos de armazenagem?

Ter consciência de quais são os custos de armazenagem é uma parte importante para poder reduzir as despesas.

Isso porque a partir do momento que você sabe para onde cada centavo está indo, é possível avaliar o que realmente é necessário, o que pode ser melhorado e o que é possível cortar do orçamento.

Para isso, é fundamental que seja elaborado um planejamento estratégico considerando tanto os custos fixos, como aas despesas variáveis também. Assim, é menos provável que a empresa seja pega de surpresa ao final do mês.

Outro ponto importante é evitar desperdícios de materiais. À princípio, isso pode parecer coisa pequena, mas na somatória final dos custos de armazenagem, essa cifra pode ser bem alta. E se tem como economizar, por que não o fazer?

Além disso, faça uma avaliação constante de estoque. Essa é uma redução de custo de armazenagem direta, visto que com menos produtos, há uma menor demanda de gestão.

E, por fim, utilize o sistema de armazenamento correto para a organização das mercadorias em estoque. 

Assim, a empresa diminui os riscos de dano às mercadorias e também consegue reduzir os custos de armazenagem.

Gostou de saber mais sobre os tipos de armazenagem na logística? Fique de olho no blog da Cobli que sempre tem tudo o que você precisa para fazer uma boa gestão de transportes!

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário