Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 8 minutos

Seja para quem viaja ou para quem leva cargas pelas estradas brasileiras, o pedágio é uma parte importante a ser considerada em qualquer roteiro. 

Afinal, dependendo da sua rota e do veículo que você utiliza, o pedágio cobrado tem um valor que pode se tornar significativo dentro da viagem. 

Além disso, há muita gente que determina a rota de uma viagem justamente a partir dos valores do pedágio – mas será que esse cálculo é correto? 

Neste texto, você vai entender porque cada pedágio tem um valor diferente e como esse valor é calculado. 

Também vai aprender a calcular o custo do pedágio nas suas viagens ou nos fretes da sua frota – seja usando mapas e calculadora ou com ajuda de um aplicativo. 

De quebra, também vai descobrir como faz para calcular o custo de pedágio e combustível conjuntamente, com uma mãozinha da tecnologia. Vamos lá!

Por que cada pedágio tem um valor diferente? Como esse valor é calculado? 

Antes de tudo, é importante entender o que é o pedágio: trata-se de um valor que deve ser pago por quem está andando por uma estrada às autoridades que construíram aquela via. 

É uma forma de quem construiu a estrada por esse trabalho, bem como pela manutenção da via. 

No Brasil, essa prática remonta ao século XVIII, quando Portugal passou a cobrar de quem passava, ainda com cavalos ou burros, pela Rota dos Tropeiros, que ligava São Paulo à região Sul. 

Hoje, os pedágios são cobrados por duas entidades diferentes: 

  • Se a estrada ainda é administrada por um órgão público, quem fica com os valores do pedágio é o governo (normalmente, representado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) daquele Estado);
  • Se a estrada foi cedida em concessão a uma empresa, quem cobra o pedágio é a companhia concessionária (no caso da via Anchieta (SP-150), por exemplo, é a Ecovias). 

Esse aspecto é importante para entender porque cada trecho de estrada tem um valor de pedágio diferente. 

O valor considera a data do contrato de concessão, o gasto com aquele trecho específico, a quantidade de veículos que passam por ali todos os dias e até mesmo o tipo dos veículos. 

Isso porque, por exemplo, caminhões com mais eixos costumam desgastar mais uma via do que um carro de passeio. 

É por isso também que veículos com mais eixos pagam mais – e é uma variável importante na hora de calcular o pedágio. 

Além disso, é importante ressaltar que as empresas concessionárias, como qualquer companhia, visam dar lucro – de maneira que é provável que estradas concedidas tenham pedágios mais caros, mas também costumam ter manutenção e serviços de socorro melhores. 

Como calcular o custo do pedágio? 

Para calcular o custo do pedágio ao longo da sua viagem, é preciso seguir uma sequência de passos muito importante. 

São eles: 

  • Definir o caminho
  • Conhecer seu veículo
  • Pesquisar quais são as praças de pedágio
  • Definir se haverá ida e volta pela mesma rota

Para definir o seu caminho, é importante estudar todas as alternativas de rotas possíveis – e o que elas podem trazer de vantagens ou desvantagens para o seu veículo. 

Um motorista que parte de São Paulo rumo ao Guarujá, por exemplo, tem a opção de usar as vias Anchieta (SP-150) ou Imigrantes (SP-160) para descer até a Baixada Santista e depois utilizar a rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055), conhecida como Piaçaguera-Guarujá. 

Outra opção possível é a de ir até Mogi das Cruzes e descer pela Mogi-Bertioga (SP-098), depois chegando ao Guarujá pela rodovia Ariovaldo de Almeida Viana (SP-061), a Guarujá-Bertioga. 

Neste segundo caminho, o valor do pedágio é inferior, mas o trajeto é muito mais longo para o motorista – de maneira que o gasto com combustível, por exemplo, pode não compensar a economia com o pedágio. 

Outro passo importante é conhecer o seu veículo. 

Baixe um guia completo sobre como reduzir o consumo de combustível da sua frota!

Como já dissemos, o valor do pedágio é cobrado a partir da quantidade de eixos que existem num veículo – logo, se você dirige um VUC, um carro de passeio ou um caminhão-cegonha, o valor do pedágio vai ser diferente. 

Outro passo importante é pesquisar quais são os trechos com pedágio – e uma lista deles está disponível no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável por supervisionar o que acontece nas estradas brasileiras. 

Além disso, é importante definir se um veículo vai fazer ida e volta pela mesma rota – algo que não é tão frequente para quem lida com cargas, por exemplo. 

Esse passo também ajuda a determinar alguns gastos. 

Para calcular o pedágio para o Guarujá, a partir de São Paulo, por exemplo, é preciso considerar que o valor só é cobrado do motorista que desce da capital para a Baixada Santista pelo sistema Anchieta-Imigrantes – para quem “sobe”, o valor é gratuito. 

Já na Piaçaguera-Guarujá, o valor é cobrado apenas de quem vai do Guarujá em direção a Santos, por exemplo. 

Com a rota pronta, veículo conhecido e todos os valores de pedágio na mão, basta fazer uma simples conta de soma para calcular quanto você vai gastar com pedágio na viagem. 

Mas tem algum aplicativo para calcular o pedágio? 

Para quem não quer fazer a conta toda na mão, com mapa, lápis e caderneta, a tecnologia pode ajudar bastante. 

Existem hoje uma série de aplicativos que permitem a qualquer pessoa calcular o valor do pedágio em sua viagem. 

Entre os mais populares, estão o QualP, o Rotas Brasil e o Sem Parar. 

Além de mostrar o valor total que será pago pelo motorista em pedágios ao longo do seu trajeto, esses aplicativos também mostram onde estão as praças e qual o valor exato a ser pago. 

Os apps estão disponíveis tanto para quem usa smartphone Android, bem como iPhone

Bastante conhecido por calcular rotas, o Google Maps não possui uma função de calcular pedágios. 

Após mostrar uma rota que passa por estradas com pedágios, o Google Maps apenas avisa ao usuário que aquele trecho pode ter pedágios, mas não informa nem calcula os valores exatos. 

o que é cartão pedágio

Como fazer para calcular pedágio e combustível? 

Calcular o valor de pedágio e do combustível somados em uma rota é um trabalho mais difícil. 

Existe um motivo para isso: ao contrário do pedágio, que tem valores fixos, o gasto de combustível de cada veículo é diferente – depende, inclusive, do status de manutenção da máquina. 

Há hoje vários aplicativos que podem te ajudar a calcular e controlar o gasto de combustível – muitos deles utilizam o preço do combustível nos postos e estimam quanto você gastou entre cada vez que reabastece o veículo. 

Assim, é possível somar o gasto com combustível com o valor dos pedágios na viagem e obter o custo total da rota. 

Esse cálculo, porém, é aproximado e não leva em consideração o desempenho do veículo em tempo real, nem as diferenças de desempenho na cidade ou em estrada, por exemplo. 

São sistemas que fazem estimativas, mas é bom lembrar que toda estimativa tem imprecisões. 

Para um motorista de carro de passeio, essa imprecisão pode não significar muito. 

Para quem administra uma frota, porém, esses valores a mais podem representar custos maiores e afetar a eficiência e competitividade da empresa no mercado. 

Felizmente, este não é o único jeito de se calcular o gasto de combustível. 

Como a tecnologia pode ajudar a reduzir essas imprecisões? 

Um bom jeito de acompanhar o gasto de combustível em tempo real de um veículo é utilizar um sistema de telemetria veicular. 

Conectado à porta OBD II, presente em quase todos os veículos, um dispositivo de telemetria veicular pode obter dados em tempo real sobre o automóvel ou caminhão, incluindo gasto de combustível, desgaste dos pneus e temperatura do motor.

Se possuir um sistema de comunicação, o dispositivo pode enviar dados em tempo real para o gestor de frotas, permitindo o monitoramento correto do veículo. 

Empresas como a Cobli, além de oferecer esse dispositivo, também possuem uma plataforma capaz de fazer a roteirização – isto é, calcular os trajetos – para uma frota inteira. 

Assim, com uma só solução, é possível calcular o valor do pedágio e do combustível em tempo real, ao longo da viagem. 

É um serviço que serve para qualquer motorista, mas dá ainda mais poder para o gestor de frotas, capaz de fazer uma gestão individualizada de cada veículo. 

Agora que você já sabe como calcular pedágio, para que ele serve e como calcular seu valor com combustível, que tal conhecer mais sobre o sistema da Cobli? Clique aqui e saiba mais!

clique e tenha visibilidade e controle da sua operação com a Cobli

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário