Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 12 minutos

O gestor de frota é responsável por gerenciar os veículos utilizados por uma empresa para transportar mercadorias, passageiros, funcionários ou prestadoras serviços.

O trabalho de um gestor de frota envolve planejar, conferir os gastos e controlar o vai e vem dos veículos. Além garantir que as entregas estão sendo feitas, manter o relacionamento com os colaboradores e pensar em estratégias para aumentar a eficiência da frota.

Com o trabalho do gestor de frota, é fácil descobrir se algum processo está saindo caro demais ou eficiente de menos. Ele evita que ocorra desperdício de tempo, oportunidade e dinheiro.

Neste texto, você vai descobrir o que faz um gestor de frota: Principais atividades, habilidades necessárias, média salarial e formação recomendada.

O que um gestor de frota faz na prática?

Conheça algumas das suas principais atividades no dia a dia:

Gerenciamento financeiro

Uma das coisas que o gestor de frota faz é cuidar do dinheiro. 

Entre suas funções, estão controlar o orçamento, ficar de olho em desperdícios e buscar sempre a economia de recursos. Afinal a operação deve ser menos custosa e mais eficiente.

O gestor deve saber quanto dinheiro é gasto, onde ele é gasto e por quê.

Por exemplo: quanto custa cada viagem, os valores gastos com manutenção e combustível. Inclusive, o valor dos salários dos motoristas.

Deve também planejar cuidadosamente todos os gastos futuros para não estourar o orçamento.

O gestor de frota vai ser sempre pressionado a reduzir os gastos e precisa criar estratégias inteligentes para cortar custos sem prejudicar a prestação de serviços.

Controle de manutenção de frota

Uma dos principais cuidados que um gestor de frota deve ter é assegurar que a manutenção preventiva dos veículos está em dia.

A manutenção preventiva envolve todas as práticas que ajudam a conservar e prolongar a vida útil dos veículos, equipamentos e máquinas. Saiba mais

Controlar a manutenção de frota ajuda muito a economizar e a evitar gastos desnecessários no futuro.

No que se refere à manutenção, os principais desafios do gestor são retardar ao máximo a substituição dos veículos e reduzir os gastos na oficina.

Controle de eficiência

Um bom gestor de frota deve garantir a alta produtividade e reduzir ao máximo os erros operacionais.

Para isso, é importante estar sempre de olho em todos os processos. Sempre conferindo se tudo está sendo feito conforme o planejado e implementando soluções rápidas e certeiras quando alguma coisa der errado.

O gestor de frotas faz o controle da eficiência da equipe

Gestão de equipe

Não adianta ser gestor só de projetos ou operações. É importante saber gerir pessoas!

O gestor de frota tem que saber liderar todos os profissionais sob seu comando. Principalmente com os motoristas que passam os dias nas estradas. 

Um bom gestor deve inspirar a equipe a trabalhar bem e assegurar que todos os processos estão seguindo de acordo com o planejamento estratégico da empresa.

Uma boa maneira de incentivar sua equipe é investir na capacitação dela, oferecendo cursos a seus colaboradores.

Também precisa ser capaz de ouvir as demandas da equipe, como sugestões vindas dos colaboradores que estão na linha de frente do serviço. Tudo o que possa contribuir para melhorar as rotinas de trabalho.

Controlar as rotas

O gestor deve saber sempre onde estão seus veículos e ter as rotas mais frequentes na ponta da língua.

Por isso, é importante adotar a roteirização, ou seja, planejar antecipadamente o trajeto dos veículos, optando sempre pelos caminhos mais seguros, rápidos e econômicos.

O controle das rotas permite informar melhor o cliente sobre a situação da mercadoria que ele encomendou e também averiguar se o motorista está trabalhando corretamente.

O gestor de frota deve sempre conferir quais rotas têm se mostrado as melhores e pensar, com a ajuda da tecnologia (como os GPS), e pesquisar trajetos alternativos que possam ser ainda mais eficientes. Veja a diferença de sinais para rastreadores veiculares.

O controle de jornada dos motoristas também fica mais fácil, evitando, assim, que eles façam horas extras não planejadas ou desnecessárias que depois vão pesar nas planilhas do gestor. 

Cuidados com a legislação

Sabe outra coisa que o gestor de frota faz? Garantir que toda a operação ocorra dentro da lei.

O IPVA dos veículos está em dia? E o seguro? Algum motorista está com a Carteira Nacional de Habilitação Suspensa ou corre esse risco? Quanto foi gasto com o pagamento de multas no último mês? Um bom gestor de frota deve ter essas respostas na ponta da língua.

Quais habilidades um gestor de frota precisa ter?

Organização

O gestor de frota lida com uma quantidade imensa de informações e é responsável pela supervisão de muitos processos.

Cabe ao gestor organizar a rotina da frota e se esforçar para que ela seja cumprida corretamente.

Quem não é organizado corre o risco de se enrolar com tudo.

Domínio dos processos

Sabe por que é tão importante que um gestor de frota seja organizado? Porque ele precisa ter domínio completo de variados tipos de processos.

Um gestor de frota precisa ter uma visão ampla de tudo o que esteja sob sua alçada. Assim, será capaz de tomar decisões rápidas e assertivas e apoiar os colaboradores, ajudando-os melhorar sempre seu desempenho.

O gestor de frotas precisa de capacidade de planejamento para organizar os veículos

Capacidade de planejamento

O gestor deve ser capaz de planejar a curto, médio e longo prazo.

A curto prazo, precisa garantir que as entregas sejam feitas conforme o combinado e que nenhum imprevisto atrase os processos.

A médio prazo, ele deve ser capaz de ter uma visão geral das condições da empresa, tendo certeza de que os planejamentos estão sendo cumpridos. Sem interrupções de trabalhos.

A longo prazo, um gestor de frota precisa planejar estrategicamente cada passo da empresa, otimizando o serviço e evoluindo os processos em formas cada vez mais rápidas e baratas.

Para planejar bem, o gestor deve conhecer o histórico da empresa, para não mexer no que vem dando certo e evitar repetir o que já fracassou antes.

Para planejar também é importante reunir o máximo possível de informações sobre cada um dos processos envolvidos na gestão de frotas, dos primeiros contatos com os clientes à entrega. E, partindo dessas informações, pensar estrategicamente, com rigor, responsabilidade de boas doses de criatividade.

Foco em resultados

Não adianta só planejar. É importante transformar os planos em ações concretas e bem sucedidas.

O gestor de frota deve estar constantemente de olho nos resultados de cada um dos processos e no desempenho dos colaboradores. Sempre entrando em ação para evitar ou solucionar problemas com rapidez e eficiência.

Liderança

Que tipo de gestor é capaz de planejar, ser organizado, dominar os processos e focar nos resultados? A resposta é fácil: um líder!

A produtividade dos colaboradores depende também das competências de quem os lidera.

Ao coordenar o trabalho de toda a equipe, o gestor deve ser capaz de lidar com os talentos e as deficiências de cada um de seus subordinados. 

Motivação e inspiração pode ser o caminho ideal para potencializar suas habilidades.

Lembre-se: um líder está sempre aberto a ouvir seus subordinados e a repensar suas práticas.

Familiaridade com a tecnologia

A tecnologia é uma mão na roda! Ajuda muito o gestor de frota que não tiverem medo de usá-la 

Hoje em dia, a logística é totalmente informatizada. É importante que o gestor esteja familiarizado com soluções tecnológicas e saiba aplicá-las para facilitar a tomada de decisões e otimizar os processos que ele gerencia.

Um bom gestor é capaz de escolher o melhor software de gestão de frotas para facilitar o suas atividades

Porém, na hora de escolher o software, é importante estar atento às reais necessidades da empresa para não jogar dinheiro fora e, de fato, otimizar o que realmente precisa. 

Confira alguns benefícios que um gestor deve procurar em um software:

  • Visibilidade da frota
  • Geração de dados e relatórios
  • Histórico de manutenções
  • Facilidade de integração com outros sistemas.
  • Possibilidade de automatização de processos manuais
A formação de um gestor de frota costuma ser Administração

Qual a formação de um gestor de frota?

Segundo a plataforma de empregos Catho, 61% dos gestores de frota têm ensino superior completo. Destes, a maioria é formada em Administração. Também é recomendado saber falar inglês. 

Também existem cursos cujo objetivo é formar um gestor de frota – inclusive, alguns podem ser feitos à distância.

O Senac, por exemplo, oferece um curso de gestão de frota com carga horária de 24 horas. Além disso, pode ser feito por qualquer pessoa que tenha terminado o Ensino Médio.

Curso é o que não falta! Pesquise bem e escolha o mais adequado aos seus objetivos. 

Quanto ganha um gestor de frota?

Sobre os salários, ainda segundo a Catho, gestores de frota ganham, em média, R$ 3.447,03.

Caso tenha interesse, você pode dar uma olhada em algumas vagas AQUI

Como criar um processo eficiente de gestão de frotas?

Para criar um processo eficiente de gestão de frotas é importante seguir cinco etapas: diagnóstico, política, programação, execução e controle.

Diagnóstico

Fazer um diagnóstico é reunir informações para ter uma avaliação geral do estado da empresa.

Confira algumas coisas que o gestor deve listar na hora de fazer o diagnóstico:

  • Quantos são os veículos da empresa?
  • São carros, ônibus ou caminhões?
  • Qual o estado de conservação de cada um deles?
  • Quantos quilômetros cada veículo roda por mês?
  • Quanto é gasto com combustível e manutenção?
  • Quanto é a folha de pagamento dos colaboradores?
  • Os motoristas estão dirigindo defensivamente?

Depois de reunir todas essas informações, você vai ter uma visão mais objetiva da real situação da sua frota. Além de conseguir identificar (ou prever) possíveis problemas.

Política

Calma! A política nesse caso trata-se de planejar o futuro. 

É o momento de definir metas e estabelecer meios para alcançá-las.

Para elaborar essa política, você deve descrever muito bem os serviços prestados pela sua frota e fixar algumas diretrizes, como: Desde as melhores práticas e regras para todos colaboradores, até os direitos e as contrapartidas dos clientes. 

A política é um conjunto de combinados. E, como sabemos, o combinado não sai caro e reduzir custos é uma das coisas que um gestor de frotas faz.

Programação

Programar é estabelecer prazos e meios para botar em prática tudo o que foi estabelecido na política.

É importante detalhar todo o planejamento e definir o que é importante alcançar: tempo e recursos (insumos, táticas, métodos e tecnologias).

Execução

A execução é, de fato, botar a programação em prática.

Para isso, é importante encontrar as ferramentas, processos e tecnologias adequados. Por exemplo: o uso de rastreamento veicular e o treinamento dos motoristas para garantir a segurança e a eficiência da sua frota.

Controle

O controle é, basicamente: Assegurar que a programação está sendo executada. A política está guiando todos os processos e que o diagnóstico está sendo constantemente atualizado.

Nesta etapa, o gestor vai conferir se todas as metas estão sendo alcançadas e se o planejamento foi realmente implementado e se teve sucesso.

Vamos botar tudo isso em prática, meu gestor?

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog site.

clique e tenha visibilidade e controle da sua operação com a Cobli
Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário