Tempo de leitura: 7 minutos

Rastreador via satélite (o famoso GPS) ou via radiofrequência (RF)? Essa pergunta costuma martelar na cabeça de empreendedores e operadores logísticos na hora de escolher a tecnologia de rastreamento mais apropriada para garantir a segurança da frota

Mas, antes de cravar uma resposta, é melhor saber um pouco mais sobre as diferenças entre essas modalidades de rastreio para concluir qual das duas tecnologias trará mais benefícios para o seu negócio. 

Quais as diferenças entre um rastreador via satélite (GPS) e um rastreador via radiofrequência?

Vamos explicar primeiro como funcionam o GPS, dos quais todo mundo já ouvir falar. GPS é uma sigla, em inglês, para “sistema de posicionamento global”. Os GPS são aparelhinhos que se comunicam com uma rede de 24 satélites espalhados pela órbita terrestre. Os satélites emitem sinais para os receptores (no caso, os próprios aparelhos de GPS), que respondem a esses sinais enviando as coordenadas geográficas do veículo. Os satélites são equipados com relógios atômicos extremamente precisos, que conferem o tempo que passou entre a emissão dos sinais e a chegada da resposta do GPS. Esse intervalo de tempo permite calcular, com precisão de metros, a localização do veículo.

Graças à tecnologia (e aos satélites lá no céu), a cobertura dos GPS é extremamente ampla, o que garante que os aparelhinhos funcionem até mesmo nos lugares mais remotos e improváveis (desde que não seja no subsolo).

Já no caso dos rastreadores que funcionam por radiofrequência, as informações são emitidas e recebidas por meio de ondas eletromagnéticas captadas por antenas. Rastreadores desse tipo funcionam mais ou menos como o rádio que você instalado no seu carro ou caminhão. O alcance das ondas de rádio é menor, porque elas dependem da proximidade com as antenas, mas, ainda assim, a área de cobertura é bastante ampla.

Quais as vantagens de cada tipo de rastreador?

Cada uma dessas tecnologias – via satélite ou radiofrequência – tem vantagens específicas que podem interessar ao seu negócio. Vamos conferir quais são:

GPS

As principais vantagens dos rastreadores via satélite são abrangência da cobertura e a precisão das informações fornecidas. Os GPS são capazes de identificar a localização exata de um veículo, o que ajuda (e muito!) os gestores responsáveis por supervisionar trajetos.

A precisão do rastreador GPS é tamanha que até mesmo navios e aviões recorrem a eles. Não é de se estranhar que, nos últimos anos, empresas que trabalham com logística e transporte abraçaram essa tecnologia para aumentar a eficiência dos serviços que oferecem.

Outra vantagem dos GPS é a possibilidade de acompanhar o deslocamento de um veículo em tempo real, literalmente segundo a segundo. Os GPS operam por meio de redes de telefonia móvel, o que permite a rápida troca de mensagens entre quem está no volante e quem ficou no escritório. É possível trocar as mais diversas informações, como localização, dados de telemetria, alertas quanto ao excesso de velocidade, avisar se as portas do veículo estão abertas etc.

Radiofrequência

As maiores vantagens da radiofrequência são as mesmas do rastreador GPS: a área de abrangência e a precisão das informações. Se houver antenas razoavelmente próximas, dificilmente o sinal será perdido, deixando o condutor na mão. Os rastreadores RF funcionam até mesmo em túneis e subsolos. 

A radiofrequência é uma tecnologia também bastante estável. Como cada rastreador costuma operar em uma frequência específica, dificilmente bloqueadores de sinal (aqueles usados por criminosos para dificultar o rastreamento de veículos roubados) interferem na emissão e na recepção dos sinais. Os rastreadores RF também contam com sistemas de segurança que alertam rapidamente a central de controle se identificarem, nas proximidades, a presença de algum “jammer”, ou seja, de um bloqueador de sinal.

Quais as desvantagens de cada tipo de rastreador?

Vamos ver também quais são as desvantagens desses dois tipos de rastreador:

GPS

Apesar de ter uma vasta área de cobertura, o rastreador GPS costumam funcionar com dificuldades em túneis, subsolos, galpões e outros ambientes fechados. Essas falhas são resultado da perda do contato com os satélites.

Radiofrequência

Uma das principais diferença entre os GPS e os rastreadores via radiofrequência é como se dá a comunicação entre o veículo e os satélites ou as antenas. Nos GPS, a interação com os satélites se dá com o apoio de redes de telefonia móvel (CDMA/2G/3G). A troca de informações é constante, o que permite a o rastreamento em tempo real do veículo.

Os rastreadores RF funcionam de outro modo. A comunicação com as antenas não é constante. Na verdade, o sistema RF só passa a trocar informações com as antenas depois de receber algum comando inicial. Além disso, o conteúdo que esses rastreadores são capazes de transmitir é razoavelmente limitado e costuma se restringir a dados de longitude e latitude que permitem apenas descobrir a localização do veículo. Com frequência, um gestor de frota precisa de mais informações para fazer bem seu trabalho.

Qual tecnologia escolher?

Como vimos, os rastreadores via satélite e via radiofrequência têm características e limitações distintas. Antes de escolher um deles, você precisará saber exatamente quais são as necessidades de sua empresa.

Se o seu negócio demanda por uma tecnologia capaz de melhorar a gestão da frota ao fornecer informações estratégicas, como a localização dos veículos e dados sobre o consumo de combustível e a performance do motorista, é melhor optar por um GPS. 

Agora, se você só quer monitorar os trajetos para reforçar a segurança de seus veículos e motoristas, compensa investir em um rastreador que funcione por radiofrequência.

Qualquer que seja a sua decisão, lembre-se que os sistemas de monitoramento, via GPS ou radiofrequência, são ferramentas importantes para ajudar a gerir uma frota, aumentando a eficiência dos processos e tornando-os mais rápidos e econômicos. 

Qual a importância de contar com um serviço de rastreamento?

Agora que você provavelmente já escolheu a tecnologia de rastreamento mais adequada às necessidades da sua empresa, vale a pena lembrar alguns benefícios de contratar esse tipo de serviço:

Saiba sempre onde está o seu veículo

Como informam a localização em tempo real, rastreadores são extremamente úteis aconteça algum imprevisto ou alguma tragédia, como roubo do veículo ou tentativa de sequestro. Alguns rastreadores permitem até intervenções remotas, como bloqueio da bomba de combustível se alguma movimentação estranha for detectada, como uma parada longa sem nenhuma razão aparente ou um desvio de rota.

Planeje melhor suas rotas

Um bom rastreador é uma mão na roda na hora de planejar uma viagem, pois informa sobre as rotas mais acessíveis e avisa sobre áreas interditadas. Também ajuda a programar paradas estratégicas para o abastecimento do veículo e descanso do motorista. Rotas bem planejadas resultam em economia de tempo e em serviços prestados com mais rapidez.

Economize

O seguro de veículos equipados com rastreador costuma ser mais em conta, até 30% mais barato. As diversas informações fornecidas por um rastreador também permitem planejar melhor todo o processo e identificar gastos desnecessários, como desperdícios de combustível e usos irresponsáveis do veículo que podem gerar custos extras na oficina. Essas informações ainda ajudam a programar as manutenções e revisões do veículo, evitando despesas que não estavam previstas no orçamento.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog e site. Você também pode entrar em contato com um de nossos atendentes pelo (11) 4810-2200 ou pelo euquero@cobli.co.

Telemetria veicular - Devo escolher rastreador via satélite (GPS) ou via radiofrequência?

Escreva um Comentário