Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 7 minutos

Saber calcular bem o frete é uma atividade essencial de qualquer pessoa ou empresa que atua na área de transportes

Afinal, é normalmente por conta do frete que a maioria das empresas e profissionais envolvidos no setor é capaz de gerar receitas — e ter um frete competitivo é um passo essencial para quem quiser se estabelecer nesse mercado. 

Calcular bem o frete, no entanto, não é uma prática trivial e envolve diversos fatores — da qualidade das estradas até os impostos que podem incidir sobre aquela carga determinada. 

Também é importante levar em consideração os modais envolvidos: cotar um frete rodoviário ou cotar um frete aéreo são atividades levemente diferentes. 

Neste texto, você vai entender quais são os principais fatores para se calcular um frete, além de entender que passos deve dar antes mesmo de começar a fazer cotações por aí. 

Também vamos falar um pouco sobre os principais impostos e taxas que podem alterar a sua cotação de frete. Vamos lá? 

O que é frete? E o que deve ser levado em conta antes de cotá-lo? 

Antes de tudo, é bom considerar o que é um frete: trata-se de um valor cobrado por um profissional ou empresa para levar um produto, carga ou mercadoria de um ponto A até um ponto B. 

No entanto, é importante entender que existem diferentes pontos A, pontos B e produtos nesse mundo. 

Isso significa que levar uma carga de São Paulo a Santos (70km) pode ser bem diferente de levar essa mesma carga de São Paulo a Valinhos (a cerca de 80km) da capital. 

Conheça uma solução de roteirização para fazer a gestão da sua frota

Estamos considerando, por exemplo, que a condição das estradas nesse trajeto é diferente, bem como as taxas de pedágio e até mesmo o tempo que pode levar para se percorrer essa distância. 

É por isso que toda transportadora ou motorista que realiza transportes deve, antes de começar a exercer sua atividade, fazer um bom planejamento. 

Para fazer a melhor cobrança possível, é preciso ter planejamento, conhecendo bem as rotas, os destinos e situações específicas que podem surgir ao longo da jornada. 

Quais fatores devem ser considerados na hora de se cotar um frete? 

De maneira geral, os principais fatores que podem mudar um frete são os seguintes: 

  1. Distância: envolve a distância do ponto A ao ponto B, o caminho que precisa ser percorrido pela carga. 

É importante entender que a distância aqui envolve o quilômetro rodado (e o frete por quilômetro rodado é algo bem comum), mas também calcule o quanto desse trajeto será percorrido em uma estrada de boas condições. 

Outro ponto importante a ser considerado quando se fala de distância é o gasto de combustível — afinal, veículos tem desempenhos diferentes em estradas diferentes, fazendo bastante diferença se você roda mais em trechos urbanos ou em rodovias. 

  1. Peso-volume: é uma variável que considera duas grandezas importantes de uma carga; o peso pode aumentar ou reduzir o gasto de combustível, bem como a própria estabilidade do veículo. 

Já o volume pode determinar o espaço necessário para uma carga dentro do contêiner, cargas mais volumosas podem ser mais caras. Normalmente, muitas transportadoras utilizam as duas medidas combinadas para calcular o frete — em Kg/m³. 

  1. Carga: os diferentes tipos de carga também podem influenciar bastante na forma como o frete é calculado, em diferentes aspectos. Vamos a alguns desses tipos: 
  • Fracionada / fechada: uma carga fechada é aquela que contém um tipo só de produtos (ou uma categoria de produtos) em um veículo; já a fracionada pode conter diferentes produtos ou então ter uma divisão para entrega em diferentes pontos; nesse segundo caso, o frete fica mais caro
  • Perecível: se a carga é perecível, ela necessita de cuidados especiais e portanto seu frete é mais caro. 
  • Refrigerada/congelada: se a carga é congelada (caso de alimentos e alguns produtos químicos, por exemplo), ela também pode ter frete mais caro, uma vez que precisa de contêineres refrigerados para seu transporte
  • Viva: se a carga é viva (caso de animais, especialmente), ela requer cuidados especiais e pode ser ainda mais cara. 
  • Perigosa: uma carga perigosa, com produtos químicos, explosivos ou que podem contaminar a natureza, também necessitam de cuidados especiais. Além disso, o motorista precisa conduzir com maior cuidado, de maneira que a velocidade é reduzida e o tempo de entrega pode aumentar. 
  1. Valor da nota: mesmo que o produto seja leve, não tenha risco e a distância seja curta, ainda assim o frete pode sair mais alto do que o esperado

Com um valor de nota alto (caso de transporte de valores, equipamentos ou jóias, por exemplo), o valor do seguro sobe e isso obviamente impacta o valor do frete. 

  1. Prazo de entrega: outro fator que conta muito no valor de um frete é o prazo de entrega requerido pelo cliente; se o prazo for muito exíguo, o valor do frete tem que subir para compensar, por exemplo, o pagamento de horas extras para um motorista (ou até mesmo o uso de dois motoristas em uma só viagem). 
  1. Taxas de pedágio e gastos com combustível: fretes, infelizmente, não são valores que devem ficar parados no tempo; o reajuste de taxas de pedágio e de combustível precisa ser considerado para quem deseja exercer essa atividade sem sair no prejuízo. 

Baixe um guia completo sobre como reduzir o consumo de combustível!

Quais outros valores devem ser considerados na hora de calcular o frete? 

Engana-se quem pensa que o frete deve ser calculado apenas considerando os fatores que compõem a viagem e a carga, como os apresentados acima. 

Toda atividade de transportes também tem que considerar os impostos e taxas que devem ser pagos por quem realiza essas movimentações de carga. 

Há diversos impostos e taxas que incidem sobre as cargas. Aqui abaixo, fica uma lista dos principais tributos que você precisa ter ciência na hora de calcular o seu frete. 

  • GRIS (Gerenciamento de Risco em Transporte Rodoviário de Cargas): cobrada sobre o valor da mercadoria para possíveis custos preventivos
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
  • Imposto sobre Importação (II), caso o produto seja importado
  • Contribuição aos Programas de Integração Social (PIS) e Financiamento da Seguridade Social (Cofins)
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias ou Prestação de Serviços (ICMS)
  • Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM), caso a carga tenha passado pelo modal marítimo. 

Agora que você já sabe quais são os principais fatores na hora de calcular um frete e também os principais impostos a que deve ficar atento, é possível começar a calcular. 

Não esqueça, claro, de adicionar o pagamento aos profissionais que vão desempenhar essa atividade, bem como uma previsão de lucro — aliás, é esta margem que pode tornar seu frete mais ou menos competitivo no mercado. 

Agora, mãos à obra — ou melhor, à calculadora! 

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário