Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 9 minutos

A busca da eficiência – da produtividade e da economia – é o principal objetivo da logística. Para isso, uma das estratégias mais adotadas pelas empresas é a logística de distribuição, que, por se ocupar da entrega final, é a parte da logística que fica mais próxima do cliente. 

Esse contato tão próximo com o cliente final é importante, porque vai ajudá-lo a formar sua opinião sobre a empresa e os serviços prestados. É a partir dessa experiência que o cliente vai decidir se prossegue ou não fazendo negócios com a sua empresa. Por isso, a logística de distribuição exige planejamento claro, estratégias inteligentes, atenção aos detalhes, comprometimento e um capricho a mais. 

O que é logística de distribuição?

Logística de distribuição é o conjunto de atividades que envolvem a gestão das mercadorias, desde o momento em que elas saem da fábrica, direto da linha de montagem, até a entrega ao cliente que as encomendou. Nesse caminho da fábrica ao depósito do cliente, ocorrem várias atividades relacionadas à estocagem, às vendas, ao transporte das mercadorias e à prestação de contas.

Como funciona a logística de distribuição?

A logística de distribuição funciona de modo a otimizar a distribuição das mercadorias e tornar esse processo mais rápido, mais seguro e, com sorte, mais barato. Para cumprir esse objetivo, é importante seguir um determinado fluxo, um conjunto de estratégias que envolvem diversas áreas da empresa, como o marketing e o comercial. Cada uma dessas áreas vai pensar, por exemplo, nas melhores maneiras de se comunicar com o cliente e ouvir as demandas dele, como estocar a mercadoria e quais são os canais de venda mais eficientes. 

Qual a importância da logística de distribuição?

A logística de distribuição é importante para não desperdiçar tempo, dinheiro e recursos diversos, como insumos, caminhões e mão-de-obra. Como? Se bem aplicada, a logística de distribuição permite controlar mais atentamente a trajetória da mercadoria, da fábrica ao cliente final. 

Do lado da fábrica (ou do fornecedor), você vai saber quanto foi produzido, se houve excedente ou não, se essa mercadoria é suficiente para atender a demanda do cliente… Do lado do cliente, você vai saber o quanto de mercadoria precisa e para quando. Com essas informações em mãos, vai poder se planejar melhor e verificar se seus armazéns estão suficientemente abastecidos ou se é melhor ligar para o fornecedor.

Tudo isso torna o fluxo da mercadoria mais dinâmico e evita dores de cabeça, como depósitos vazios (ou superlotados) e clientes nervosos porque a entrega atrasou. Também ajuda a economizar. Como? Ao se planejar bem e acompanhar de perto todos os processos, você vai ter informações mais confiáveis para, por exemplo, calcular um valor justo para o frete e identificar desperdícios que podem ser interrompidos, como gastos excessivos com combustível ou com a manutenção dos estoques.

Quais são as etapas principais da logística de distribuição?

Como funciona a logística de distribuição na prática? Vamos ver quais são e qual importância das principais etapas logísticas de distribuição: gestão de transporte, checagem e expedição de mercadorias, controle de frete, análise de indicadores de desempenho e roteirização.

Gestão de transporte

Essa é uma das principais etapas da logística de distribuição. Gerir o transporte é decidir como determinada carga será transportada. Qual modal será utilizado? Aéreo, aquaviário, dutoviário, ferroviário ou rodoviário? Ou é melhor apostar no transporte multimodal? Se a opção por pelo modal rodoviário, será contratada uma empresa que se responsabilizará pela entrega ou será usada frota própria. Se for contratar uma empresa terceirizada, qual escolher? Quais os critérios devem ser observados para contratar o serviço?

Também é necessário planejar a rota a ser seguida pelo veículo que fará a entrega – seja ele da própria empresa ou de uma empresa terceirizada. A gestão de transporte é importante porque, a partir dela, é possível dar a o cliente uma data de entrega e calcular o valor do frete. 

Checagem e expedição de mercadorias

Essa etapa consiste na conferência da mercadoria: quais tipos de mercadorias estão sendo transportadas? Qual quantidade? E o destino? A checagem garante que o cliente vai receber exatamente o que pediu, evitando reclamações ou devoluções. Imagine só o problema que um gestor tem para resolver quando cliente liga para reclamar que o caminhão chegou com uma mercadoria que ele não tinha pedido, ou que a mercadoria era insuficiente ou estava danificada ou que o validade já havia expirado! 

Alguns equipamentos como leitores de código de barra podem tornar a conferência de mercadorias mais ágil e precisa.

Controle de frete

Perder dinheiro no frete é um perigo. Saber o quanto cobrar é essencial para a saúde financeira da empresa e para a fidelização dos clientes, que vão procurar outra transportadora se acharem que estão pagando um preço abusivo para receber uma mercadoria. Para evitar prejuízos e dores de cabeça é bom se cercar de informações confiáveis para negociar os valores do frete com o cliente. 

Administrar o frete envolve atividades diversas, como conferir quais são os preços praticados no mercado, saber como é composto o valor do frete e manter atualizada a tabela com o preços. 

Além disso, é importante fornecer ao cliente meios para acompanhar a entrega, para que ele sabia que o valor pago valeu a pena. Por meio das informações coletadas por dispositivos de rastreamento, o cliente pode saber se a mercadoria já saiu da garagem, quantas paradas o caminhão fez, se vai atrasar ou chegar na hora. A segurança de saber que a carga está acompanhada ajuda a justificar os valores cobrados. 

Análise de indicadores de desempenho

Não basta tomar cuidado para gerir corretamente as entregas. É importante avaliar o que está dando certo e o que ainda está dando problema. Os Indicadores de Desempenho Logístico, conhecidos como KPIs, ajudam os gestores a conferir se tudo o que foi planejado está sendo cumprido e se as entregas estão sendo bem-sucedidas. É importante, por exemplo, se informar sobre o número de devoluções de mercadoria e as razões disso, assim como sobre eventuais atrasos nas entregas. A análise atenta serve tanto para identificar eventuais gargalos nos processos como para ajudar a pensar em soluções que tragam mais eficiência ao negócio. 

Roteirização

Para que a entrega dê certo é importante saber para onde se está indo, correto? Mas não basta entregar ao motorista um endereço e desejar sorte para que ele segue lá no horário combinado. É fundamental planejar bem a rota que o caminhão vai seguir, ou seja, roteirizar. E, para isso, dá para contar com o apoio da tecnologia. Dispositivos como os GPS ajudam a encontrar melhores caminhos, a desviar de estradas congestionadas, e a prever com precisão quando será feita a entrega. 

Ao planejar uma rota, é importante se atentar não apenas a distâncias, mas também à conservação e à segurança das estradas. A roteirização resulta em trajetos mais seguros e, se bem feita, pode garantir até economia com combustível e manutenção do caminhão. Sem falar que mostra profissionalismo ao cliente. 

Dicas para tornar a logística mais eficiente

Invista em sistemas de gestão

Não confie só em papéis e tabelas, invista em um sistema de gestão que permita reunir informações e acompanhar atentamente todo o processo. Muita coisa pode ser automatizada com a implementação de sistemas de gestão, que podem também facilitar o trabalho dos colaboradores ao promover maior integração entre as áreas. 

Faça um planejamento prévio de estoque

Não adianta planejar só a distribuição. É necessário planejar também os estoques para garantir que não falte mercadoria na hora de abastecer o caminhão. A manutenção ou o aluguel de armazéns e estoques pode custar caro, por isso, devem ser geridos com responsabilidade. 

Saber que tipo de mercadoria vale estocar é fundamental. Mercadorias que têm boa saída nunca devem faltar. O estoque não deve ficar lotado de produtos que vendem pouco. Um estoque cheio de mercadoria encalhada é perda de dinheiro. Primeiro porque se a mercadoria não vende, o investimento inicial não é coberto. E também porque aquele espaço poderia estar sendo ocupado por mercadorias que vendem, que os clientes pedem sempre.

Além de ficar atendo à demanda dos clientes, o gestor de estoque deve verificar se as instalações do depósito ou armazém estão adequadas e se a mercadoria não corre o risco de acabar danificada. Não se deve esquecer nunca de conferir sempre se a validade não expirou. Se a gestão de estoque for bem-sucedida, a distribuição da mercadoria será bem mais tranquila e eficiente.

Use a tecnologia

Não tenha medo da tecnologia. Ela está aí para ajudar. Não pense na tecnologia como um gasto a mais, mas como um investimento essencial para garantir a eficiência da sua empresa. Sistemas de gestão podem ajudar a elevar a produtividade e reduzir os custos dos processos. A tecnologia integra e otimiza processos, ajuda a manter um relacionamento mais próximo com o cliente e a identificar eventuais gargalos que resultem em custos desnecessários. Também permite rastrear as cargas, calcular melhor o frete, gerir os estoques e muito mais. 

Como funciona o monitoramento de cargas?

Um auxílio importante à logística de distribuição é o monitoramento de cargas. Depois de tomar todos os cuidados para que a carga chegue bem ao cliente final, como gestão do estoque, controle de frete e planejamento de rota, é importante não perder a carga de vista. Aí entra o monitoramento.

Monitoramento é uso da tecnologia para determinar a localização de um veículo em tempo real. Com o auxílio de um dispositivo conectado ao automóvel, o rastreador, dados sobre a localização do veículo são enviados a uma central responsável por organizar essas informações e repassá-las ao gestor da frota ou ao cliente que está esperando a mercadoria. 

Os rastreadores mais populares são os GPS. GPS é uma sigla, em inglês, para “sistema de posicionamento global”.  São aparelhinhos que se comunicam com uma rede de 24 satélites espalhados pela órbita terrestre. Esses satélites emitem sinais para os receptores, que são os aparelhos de GPS, que respondem enviando as coordenadas geográficas do veículo. Dentro dos satélites, há relógios atômicos extremamente precisos, que conferem o tempo que passou entre a emissão dos sinais e a chegada da resposta do GPS. Com base nesse intervalo de tempo, é possível calcular, com precisão de metros, a localização do veículo. 

Adotar um sistema de monitoramento veicular garante comodidade e precisão na hora de consultar as informações sobre a carga transportada, porque a localização do veículo é feita em tempo real. As informações fornecidas pelos rastreadores também servem para gerar relatórios sobre gasto de combustível ou tempo ocioso do motor. Alguns dispositivos permitem até mesmo o envio de alertas caso o veículo desvie da rota combinada, o que pode indicar roubo ou algum imprevisto. 

O monitoramento incrementa a segurança da sua carga e ainda fornece informações valiosas que permitem corrigir erros e traçar estratégias para melhorar a gestão. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog

Rastreador veicular 1 - Logística de distribuição: o que é e como funciona?
Melhore a gestão da sua frota com a Cobli

   Clique aqui para tirar suas dúvidas ou solicitar um teste grátis do nosso sistema de rastreamento e monitoramento de frotas.

Escreva um Comentário