Como funciona um contrato de locação de veículos para frota?

Gestão de transporte: o que é, como fazer e por que sua empresa precisa dela

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, uma boa gestão de transportes é fundamental para qualquer empresa. 

Não é difícil entender porquê: se a gestão de transportes não for bem feita, o custo ou o tempo de entrega das mercadorias pode ser mais alto e há perda na competitividade

Assim, não basta apenas produzir bem: é preciso também ter a melhor forma de levar as mercadorias do ponto A ao ponto B. 

Em um país em que cerca de 60% de todas as movimentações de carga são feitas pelo transporte rodoviário, é ainda mais importante que essa gestão esteja na pauta das empresas. 

Neste texto, vamos falar um pouco mais sobre o que é a gestão de transportes e como ela deve ser feita na sua empresa. 

Também vamos falar sobre as vantagens que implementar uma boa gestão de transportes pode trazer para sua operação — e as tecnologias que podem te dar uma mãozinha na hora de fazer tudo acontecer. Vamos lá? 

O que é o setor de transportes? 

Pode parecer óbvio pensar no que é o setor de transportes, mas talvez seja bom refletir um pouco sobre o conceito antes de avançarmos. 

É bom lembrar que a área de transportes muitas vezes está sendo pensada dentro da logística, responsável por tudo o que acontece com a mercadoria entre a área de produção e a chegada ao cliente final. 

Para a logística, transporte é o deslocamento de insumos ou mercadorias da origem ao destino, incluindo ainda pontos intermediários para armazenamento ou processamento desses materiais. 

Entre esses locais intermediários, podem estar inclusos armazéns, centros de distribuição, centros de embalagem e até mesmo espaços de revenda, em operações mais complexas. 

Como você pode imaginar, o transporte é uma atividade essencial para juntar diferentes pontos em uma cadeia. 

Usando como exemplo um móvel de madeira, o transporte é responsável por levar a madeira do produtor até o fabricante, que vai transformar a matéria prima num móvel. 

Também é responsável por levar esse móvel até um distribuidor ou varejista, e desse varejista para o consumidor final. 

Para que todas essas atividades funcionem, é necessária uma boa gestão de transportes e logística. 

O que é a gestão de transporte? 

A gestão de transportes, como você pode imaginar, é uma área que abrange diferentes atividades para cuidar de que insumos e mercadorias viajem bem do ponto A ao ponto B. 

Engana-se quem acha que essas atividades começam apenas no momento em que o motorista dá a partida em um caminhão, por exemplo. 

Para fazer uma boa gestão de transportes, é preciso ter bastante cuidado e planejamento antes mesmo de sair ligando os veículos. 

A seguir, vamos listar algumas das principais atividades envolvidas na gestão logística do transporte, que servem para qualquer empresa: 

  • Listar, planejar e roteirizar todos os percursos possíveis no transporte de cargas;
  • Gerenciar os documentos e os custos envolvidos no processo de transporte (de fretes e impostos até o pagamento dos motoristas e manutenção dos veículos);
  • Acompanhar o andamento das entregas, cuidando para que estejam dentro do prazo e seguindo padrões de qualidade; 
  • Acompanhar a jornada dos motoristas
  • Controlar a frota de veículos, observando sempre os indicadores de manutenção; 
  • Medir os resultados necessários e revisar as práticas e os processos de gestão sempre que necessário. 
No Brasil, ter um bom sistema de gestão de transportes rodoviários é algo fundamental para qualquer empresa.

Como fazer uma boa gestão de transportes? 

Como você pode ver logo acima, fazer a boa gestão de transportes de uma empresa pode dar bastante trabalho. 

Para isso, é importante que você estabeleça bem quais são as melhores práticas e processos, além de ter uma noção muito boa dos seus objetivos. 

Um bom passo para começar é estabelecer as metas da sua área de transportes; um método bastante popular para isso são usar metas SMART, uma abreviatura em inglês para cinco coisas que toda meta deve ter: 

  • Específica (S, de specific, em inglês): uma meta deve dizer respeito só a ela mesma; 
  • Mensurável (M, de measurable): uma meta deve poder ser medida; 
  • Atingível (A, de attainable): uma meta deve ser realista; 
  • Relevante (R, de relevant): uma meta deve fazer jus à visão da empresa e ter importância, não pode ser uma meta só por ser uma meta; 
  • Temporal (T, de time-based): uma meta deve ser atingida em um período de tempo específico. 

Além disso, é importante que toda empresa também faça uso de um planejamento sólido na hora de pensar sua gestão de transportes. 

Uma boa estratégia também é um passo importante na hora de executar sua gestão de transportes; prever o que deve ser feito em situações adversas ou arriscadas é algo relevante demais para qualquer gestor. 

Uma boa aliada nessas horas é a tecnologia: empresas que investem em programas e recursos para melhorar sua gestão de transportes de carga, por exemplo, costumam ter melhores índices de manutenção, menores custos e clientes mais satisfeitos. 

Falaremos mais adiante sobre as vantagens de se adotar uma gestão eficiente dos transportes e também sobre como a tecnologia pode ser uma aliada. 

Por hora, vale apenas mencionar a sigla TMS, abreviatura para Transport Management System: é o nome dado a muitos programas que podem ajudar sua empresa a melhorar a gestão e a infraestrutura dos transportes. 

Quais são as principais vantagens de uma gestão de transporte eficiente? 

Uma empresa que faz uma gestão de transporte eficiente tem inúmeras vantagens a favor de suas operações. 

A seguir, vamos listar algumas delas, que são bastante diretas de melhorias simples que podem ser executadas por qualquer profissional, seguindo as dicas desse texto: 

  • Maior controle sobre custos por veículo, fixos ou variáveis
  • Antecipação sobre as despesas (e os custos reais) de um frete
  • Queda no número de erros e no desperdício, gerando redução de custos; 
  • Desenvolvimento de planos de manutenção mais eficientes, evitando imprevistos e aumentando a economia com manutenções preventivas. 
  • Melhora na qualidade do serviço prestado e maior satisfação do cliente; 
  • Aumento da produtividade da área de transportes; 
  • Aumento da competitividade em relação à concorrência; 
  • Profissionais mais engajados e mais felizes com o trabalho que desempenham. 

É importante ressaltar que essas vantagens podem acarretar em outros benefícios! 

Já parou pra pensar que, ao reduzir o custo de transportes, sua empresa pode conseguir alcançar novos mercados? 

Ou, que ao se tornar mais competitiva no mercado, é possível ter mais dinheiro em caixa e investir em novos projetos? 

Como a tecnologia pode ajudar a gestão de transportes? 

A tecnologia é uma grande aliada para quem quer melhorar sua gestão de transportes. 

Já citamos nesse texto os Transport Management Systems (TMS), soluções que centralizam diversas atividades diferentes da área de transportes em um só programa, integrando não só os dados, mas também as pessoas envolvidas no transporte. 

Além disso, vale a pena citar três aspectos que a Cobli pode ajudar bastante. 

O primeiro são os serviços de roteirização, pelos quais é possível inserir os pontos de origem e destino das cargas e criar os melhores roteiros possíveis para cada veículo, levando em consideração diferentes aspectos. 

Além disso, serviços de monitoramento veicular podem ajudar bastante os gestores de frota a acompanhar a situação das cargas em tempo real, sabendo se os motoristas estão no local certo ou com algum tipo de atraso. 

Os serviços de telemetria veicular, por sua vez, permitem que os profissionais de transportes verifiquem a condição dos veículos em tempo real, percebendo se há algum problema de desempenho ou se será necessária alguma manutenção em breve. 

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *