organograma-logistica

Organograma de logística: cargos e atribuições + modelo

Se você anda pensando em arrumar um emprego (ou um cargo melhor) no segmento de transportes, é bom dar uma estudada em organograma de logística, viu?

O setor está contratando: segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE), em 2021, a abertura de vagas na área de transportes cresceu 37%.

Só em 2021, foram criadas 13 mil novas oportunidades no setor logístico — 4 mil a mais do que no ano anterior!

Portanto, na hora de disputar uma vaga, é bom saber o que diferencia um diretor de supply chain de um gerente de planejamento, um coordenador de comércio exterior de um analista de logística de assim por diante.

Em outras palavras: é altamente recomendável ter o organograma de logística na cabeça!

Mas não se preocupe se você não sabe direito o que faz um coordenador de PCP ou um gerente de logística! O Blog da Cobli está aqui para te dar uma mãozinha.

Neste texto, vamos descrever um organograma de logística, detalhar quais são os principais cargos de logística e listar quais são as características dos profissionais que se destacam no segmento.

Antes, porém, que entender rapidinho por que o setor logístico está aquecido?

Organograma de logística: por que o mercado está aquecido?

Dá para responder a pergunta enunciada no título acima com uma única palavra: pandemia.

De fato, o coronavírus bagunçou a economia global. No entanto, o boom de compras online no auge do confinamento resultou no aquecimento do setor logístico. É isso o que explica o crescimento na oferta de vagas.

Aliás, o aquecimento foi tamanho (ainda mais após a reabertura das economias), que as cadeias de distribuição quase não deram conta de tanta demanda, o que teve até algumas consequências infelizes, como o aumento da inflação no mundo todo! Mas é melhor focar nas boas notícias, né?

Segundo uma reportagem do jornal “O Globo”, o segmento logístico criou mais de 88 mil vagas só no primeiro ano da pandemia.

A reportagem afirma que, “para lidar com atrasos registrados nos primeiros meses de quarentena, grandes varejistas passaram a fazer investimentos pesados na área, especialmente em mais centros de distribuição, tecnologia e pessoal”.

Para você ter uma ideia da movimentação no setor, no Brasil, o mercado de galpões e condomínios logísticos bateu recordes históricos no segundo trimestre de 2022.

Dados publicados pela CNN em agosto, indicam que a atual taxa de absorção líquida, que é o quanto o mercado alugou de galpões, alcançou o maior patamar da história no período, com 872 mil metros quadrados alugados.

De acordo com a reportagem, “o número representa um aumento de 0,22% em relação ao 2º trimestre de 2021 (recorde anterior), e de mais de 384% em relação ao 2º trimestre de 2019”.

E precisa-se de gente para trabalhar em todos esses galpões, certo?

Por isso é tão importante entender como funciona um organograma de logística. Assim, você sabe direitinho para qual vaga se inscrever!

Organograma de logística: o que é?

Um organograma nada mais é do que a representação visual da estrutura de uma empresa. Trata-se de uma descrição dos cargos e hierarquias internas.

O objetivo de um organograma é indicar o nível de cada profissional, suas funções e a quem ele deve prestar contas. Ou seja: mostrar quem é chefe de quem.

Para montar um organograma de logística, portanto, é necessário identificar quais são os cargos e como eles se relacionam um com o outro, do gestor de supply chain no topo ao analista de frota no chão de fábrica.

Obviamente, para realizar essa tarefa, é fundamental ter na ponta da língua os principais cargos existentes em uma empresa do setor logístico. É sobre isso que vamos falar no próximo tópico! Siga a leitura!

organograma-logistica
No organograma de logística, o gerente de supply chain está no topo e supervisiona todos os processos.

Quais são os cargos da área de logística?

O que faz um gerente de supply chain? Quais são as responsabilidades de um gerente de planejamento? Quanto ganhar um coordenador de PCP?

Antes de fazer um organograma de logística, você precisa saber as respostas dessas (e de outras) perguntas.

Portanto, preste atenção nos próximos parágrafos, nos quais vãos descrever os principais cargos do setor!

Diretor de supply chain

“Supply chain”, você já sabe, é o termo em inglês para “cadeia de produção”

Logo, um diretor de supply chain é o responsável por todo o planejamento logístico.

Entre suas atribuições, estão a supervisão da aquisição e armazenagem de matérias-primas, insumos e maquinário, do transporte de mercadorias (o que inclui a gestão das entregas) e da execução dos serviços oferecidos pela empresa.

Ao supervisionar todos esses processos, o diretor de supply chain deve identificar eventuais gargalos e implementar estratégias para superá-los e elevar a eficiência do negócio.

Por isso, ele deve estar sempre de olho em novas fontes de suprimento, aprimorar a gestão de estoques e de frota, combater desperdícios, dirigir investimentos e controlar o orçamento.

O diretor de supply chain está no topo do organograma de logística. Para assumir esse cargo, é necessário ter um diploma em administração de empresas ou engenharia de produção, além de especializações como MBAs e ser fluente em inglês.

Segundo o Guia Salarial 2022 da Robert Half, um diretor de supply chain ganha, em média, R$ 28 mil por mês.

Gerente de compras

Acima, dissemos que, entre as atribuições do gerente de supply chain está a supervisão da aquisição de matérias-primas, insumos e equipamentos.

No entanto, não é ele quem efetivamente faz essas aquisições. Isso é responsabilidade do gerente de compras, que está logo abaixo dele no organograma de logística.

O gerente de compras deve buscar insumos e equipamentos de qualidade por preços que caibam no orçamento da empresa.

Entre suas obrigações, estão o planejamento de todas as aquisições, a prospecção e avaliação de fornecedores, a conferência da qualidade de matérias-primas, insumos e maquinário adquirido, a administração dos estoques e a gestão dos funcionários do setor de compras, entre outras.

Para melhor cumprir suas atribuições, o gerente de compras precisar estar sempre bem-informado sobre as necessidades da empresa.

Gerentes de compra costumam ter formações em área como administração de empresas, economia, contabilidade ou engenharia de produção.

Devem falar inglês e dominar a tecnologia necessária ao desempenho de suas funções.

O salário de um gerente de compras gira em torno de R$ 20 mil mensais.

Gerente de planejamento

No organograma de logística consta a ainda o cargo de gerente de planejamento, cuja função é controlar todas as etapas do ciclo produtivo da empresa, incluindo o orçamento de cada uma delas.

Uma das metas mais importantes do gerente de planejamento é evitar desperdícios e, sempre que possível, reduzir custos.

Cabe a ele definir previamente os métodos e recursos necessários para a execução de todas as rotinas logísticas, da produção à distribuição.

Para cumprir suas atribuições, o gerente de planejamento deve ser bom em matemática financeira e entender contabilidade.

A maioria dos profissionais da área são formados em administração de empresas ou engenharia de produção e ganham, me média, R$ 17,5 mil por mês.

organograma-logistica
Entre os cargos que compõem o organograma de logística, estão gerente de planejamento e coordenador de comércio exterior.

Gerente de logística

O gerente de logística é o profissional responsável por buscar a máxima eficiência na distribuição de mercadorias.

Ele deve, portanto, planejar como serão transportados os produtos e alocar os recursos necessários para cumprir os prazos acordados com os clientes.

Em empresas do setor de transportes, esse profissional também é conhecido como gestor de frota.

No entanto, em alguns segmentos, também se espera que o gerente de logística coordene a produção e a estocagem das mercadorias, e não apenas o transporte.

Para assumir essa função, recomenda-se a contratação de profissionais com formação em logística ou administração de empresas.

Quem tem pós-graduação na área e fala inglês sai na frente na disputa por vagas que pagam, em média, R$ 14 mil mensais.

Coordenador de comércio exterior

Boa parte das empresas do setor logístico trabalha com exportação e importação de produtos e, consequentemente, possuem, em seu organograma, o cargo de coordenador de comércio exterior.

Esse profissional é responsável por desenvolver e coordenar projetos de importação e exportação (incluindo a aprovação de orçamentos); implementar projetos logísticos; negociar fretes internacionais; coordenar o transporte de mercadorias do e para o exterior e supervisionar a documentação relativa à importação e exportação de produtos.

Trata-se de um cargo que exige bastante conhecimento sobre comércio internacional. Por isso, ele geralmente é ocupado por profissionais formados em comércio exterior ou administração de empresa.

De acordo com o Guia Salarial 2022 da Robert Half, o salário médio de um coordenador de comércio exterior gira em torno de R$ 8 mil mensais.

Coordenador de PCP

A sigla PCP significa Planejamento e Controle de Produção, que nada mais é do que um método de gerenciamento de processos produtivos e otimização de recursos.

A função do coordenador de PCP, portanto, coordenar a aplicação desse método com o objetivo de elevar a eficiência de uma empresa e torná-la mais competitiva.

A principal função de um coordenador de PCP é o monitoramento da produção para atender a demanda, o que envolve a gestão de insumos, o trato com fornecedores (e com o gerente de compras), a avaliação do desempenho das equipes, o controle de qualidade das mercadorias e a elaboração de orçamentos.

Coordenadores de PCP costumam ser diplomados nas áreas de administração de empresas, engenharia de produção e logística. Em média, recebem R$ 14 mil por mês.

Analista de logística

Por fim, na base do nosso organograma, temos o analista de logística.

Ou melhor: os analistas de logística, pois o cargo existe nas categorias júnior, pleno e sênior.

Como o próprio nome já adianta, a principal função dos profissionais da área é a análise de estudos e relatórios com o objetivo de elaborar estratégias que tornem os processos mais eficientes, isto é, mais ágeis e econômicos.

Entre as muitas tarefas do analista de logística estão a elaboração de rotas, a supervisão da administração do estoque e das compras de insumos e o relacionamento com os fornecedores.

Em geral, quem assume tal posição tem curso técnico em logística.

Em média, um analista de logística ganha R$ 4,5 mil por mês.

Pronto! Agora, você já sabe quais são as atribuições dos principais cargos que compõem um organograma de logística.

Quer saber mais sobre o perfil de um líder na área? Leia com atenção o próximo tópico!

Quais as características de um líder de logística?

Antes de nos despedirmos, vamos falar um pouco sobre as características que um verdadeiro líder de logística possui.

Não importa o cargo que você ocupa, se é um analista ou um diretor de supply chain, ter as qualidades de um líder sempre ajuda!

Primeiramente, é fundamental que um profissional de logística tenha formação na área, fale ao menos uma língua estrangeria (de preferência, inglês) e domine a tecnologia necessária à execução do seu trabalho. Ser bom em matemática também ajuda, viu?

Mas há algumas qualidades que não se aprende nos bancos escolares, né?

Como a inteligência emocional necessária para gerir equipes e negociar com clientes e fornecedores.

Se você não é tem tanta facilidade no trato com pessoas, não precisa desistir da sua carreira logística!

Basta ser flexível, proativo e gostar de aprender — outras características bastante apreciadas em um líder!

Acredite, se você tiver os predicados acima, vai subir rapidinho no organograma de logística! Boa sorte!

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.