Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 8 minutos

Ei, você aí: sabe o que faz um analista de frota? 

Para entender melhor as funções desse profissional tão importante para o sucesso logístico de uma empresa foque na palavra “analista”.

O analista de frota é, como o nome indica, alguém cujo trabalho é analisar todo tipo de informação relacionada à frota: as rotas mais frequentes, quantos veículos estão na estrada e quantos estão ociosos, quanto cada um deles tem gastado na oficina e no posto de combustível, se as entregas têm sido realizadas conforme o combinado com os clientes, se é preciso aumentar ou diminuir a frota, etc.

Com base nessas informações, o analista de frota vai concluir se os processos logísticos da empresa estão fluindo bem ou se há algum gargalo que esteja impedindo a produtividade e elevando os custos.

A partir dessas conclusões, o analista de frota vai pensar em como superar os entraves encontrados e bolar estratégias para otimizar os processos de modo a torná-los mais eficientes e menos custosos.

Está acompanhando? Se não, fique tranqüilo. Vamos explicar com calma.

Neste texto, você vai entender quais são as principais funções de um analista de frota, qual a formação e o salário médio desse profissional e o que diferencia o trabalho dele das atribuições de um gestor de frota.

Siga a leitura e confira!

A formação e o salário médio de um analista de frota

Segundo a plataforma Catho, um analista de frota ganha em média R$ 1.990 e cerca de 86% deles têm ensino superior completo.

Já de acordo com o portal VAGAS.com a remuneração mensal de um analista de frota está em torno de R$ 2.600, podendo superar, dependendo da experiência, R$ 3.400.

Grande parte desses profissionais são formados em administração de empresas, porém para que sua função seja desenvolvida com qualidade é de alta necessidade que os analistas de frota também tenham bom conhecimento de logística.

Mesmo com algumas divergências de dados entre os portais, existe pelo menos um ponto importante que um bom analista deve suprir: conhecimento avançado da língua inglesa.

As diferenças entre analista, supervisor, coordenador e gestor de frota

A gestão de uma frota depende do trabalho de muita gente: analistas, gestores, coordenadores, supervisores, etc.

Você sabe o que diferencia todos esses cargos? Em primeiro lugar, é importante lembrar que todos eles trabalham juntos e, com frequência, se envolvem nos mesmos processos.

Em resumo, podemos dizer que o gestor é o chefe de todos e supervisiona o trabalho de todos.

É ele quem responde pelo gerenciamento da frota e deve, em última instância, zelar pela eficiência dos processos. Também é o gestor quem cuida do dinheiro.

Já o analista está mais próximo do chão de fábrica (ou da garagem) e trabalha com a coleta e interpretação de informações da frota.

Ele confere, por exemplo, se os gastos com a manutenção preventiva estão dentro do orçamento, se as rotas previstas estão sendo cumpridas, etc. O analista também identifica problemas a ser corrigidos e elabora relatórios.

O supervisor de frotas acompanha todas as operações de embarque e desembarque de carga e se esforça para que todas as entregas saiam conforme o combinado. Ele também acompanha diariamente o trabalho e o treinamento dos motoristas.

Já o coordenador responde pela administração dos veículos da frota: quais caminhões estão na rua, quais estão na garagem, se tem muito veículo ocioso, entre outras coisas.

o que faz um analista de frota

As principais funções de um analista de frota

Todas as funções desempenhadas por um analista de frota têm o mesmo objetivo: dar uma mão ao gestor de frota, auxiliá-lo a gerenciar e otimizar os processos logísticos.

Confira abaixo, no detalhe, quais são as principais atribuições de um analista de frota:

Controle de gastos com manutenção

Como vimos acima, o trabalho de um analista de frota consiste em se debruçar sobre algumas informações e, a partir delas, pensar em como otimizar os processos logísticos.

Entre essas informações a serem analisadas estão os gastos com a manutenção de todos os veículos que compõem a frota.

O analista deve assegurar que a manutenção preventiva dos veículos está em dia.

A manutenção preventiva envolve tudo aquilo que ajuda a conservar e prolongar a vida útil dos veículos – e evitar gastos ainda maiores no futuro.

O principal desafio do analista é controlar a manutenção de momo a retardar ao máximo a substituição dos veículos e reduzir os gastos na oficina.

Administração e renovação da frota

Por mais que minuciosa que seja a manutenção de um veículo, sempre chega aquela hora em que ele precisa ser aposentado (até por razões de segurança).

Cabe ao analista de frota identificar o momento de substituir um veículo e tomar as providências para que o descarte e a compra de um novo caminhão estejam de acordo com as demandas da empresa e, principalmente, com os limites orçamentários.

Também cabe ao analista observar se empresa conta com uma frota de tamanho adequado para cumprir seus compromissos. 

Se o analista observar que, com alguma frequência, muitos veículos ficam ociosos, não saem da garagem, ele pude sugerir ao gestor a diminuição da frota para economizar.

Se ele perceber que faltam caminhões, que a empresa poderia fazer ainda mais negócios se tivesse uma frota maior, deve informar o gestor dos benefícios da compra de novos veículos.

Veja como o sistema de monitoramento da Cobli pode te ajudar na redução de custos da sua gestão de operação!

Controle de rotas

Uma das atribuições mais importantes do analista de frotas é a roteirização

Você sabe o que é isso? Roteirizar é planejar atentamente um percurso, determinar o trajeto que um veículo deve seguir, da garagem ao armazém ou centro de distribuição do cliente.

No entanto, roteirizar não é só digitar um endereço em um aplicativo. 

a hora de planejar uma rota, é importante levar em conta algumas variáveis: horário em que o cliente prefere receber o pedido, paradas que o motorista é obrigado a fazer durante a jornada de trabalho, períodos em que é mais provável encontrar vias congestionadas, etc.

Parece complicado? Não se você contar com o roteirizador da Cobli.

Com a Cobli, você pode montar uma rota com até 150 endereços e ainda incluir os horários em que as entregas devem ser feitas ou em que certas vias estão bloqueadas para o tráfego de caminhões.

A ferramenta de roteirização da Cobli permite que você opte por pela rota mais curta (em quilômetros), se preferir encurtar distâncias, ou pela rota mais rápida, se o seu objetivo for economizar tempo.

Otimização dos processos e diminuição de erros operacionais

Para otimizar os processos, diminuir os erros e pensar em soluções para alavancar a eficiência é preciso ter informação, certo?

Um analista de frota precisa saber, por exemplo, onde estão os veículos, se as entregas estão sendo feitas conforme o combinado ou se atrasos estão ocorrendo, se os clientes estão satisfeitos.

Para ajudá-lo nessa tarefa não tão fácil, conte com o sistema de gerenciamento de frota da Cobli.

A Cobli oferece um sistema de rastreamento e monitoramento de frotas que permite que você saiba, em tempo real, onde estão os seus veículos e também confira se o motorista está respeitando o limite de velocidade. 

Por meio do nosso sistema, você pode até dar uma previsão de entrega aos seus clientes.

O sistema ainda gera relatórios detalhados que mantêm o analista (ou o gestor) a par das informações mais importantes, justamente aquelas capazes de ajudá-lo a pensar em soluções para superar possíveis entraves e bolar estratégias aumentar a eficiência e diminuir os custos dos processos.

Uma verdadeira mão na roda, não?

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre gestão empresarial por aqui.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demostrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Escreva um Comentário