Pensar em logística internacional não é mais um diferencial e sim uma maneira de sobreviver e atender às demandas do mercado.

Logística internacional: o que é, quais as operações básicas e sua importância

Você já ouviu falar em logística internacional? Este é um braço da administração de uma empresa de transporte de cargas que deve ser olhado atentamente, porque pode trazer resultados muito positivos para a companhia.

Para quem atua ou pretende seguir no ramo do comércio exterior, a importação e exportação de cargas necessita de uma logística internacional eficiente. 

Mas o que isso quer dizer? Como a infraestrutura da logística internacional pode impactar o seu negócio? Qual a importância de ter processos bem estruturados? Confira todas estas respostas e muito mais a seguir!

O que é a logística internacional?

A logística internacional visa justamente tratar o comércio de uma empresa ao redor do mundo, sendo capaz de conectar fabricantes, fornecedores e clientes de qualquer lugar do globo.

Além disso, faz parte desta estratégia um gerenciamento completo da transportadora, o que inclui a análise dos modais, administração de estoques e coordenação de todo o sistema de entregas para assegurar que o produto chegue ao seu destino com alto padrão de qualidade.

E para oferecer serviços cada vez mais eficazes e eficientes, é preciso ter uma infraestrutura de logística capaz de fazer frente à alta demanda de produtos e transporte de cargas entre dois ou mais países.

Isso significa que dentro do plano estratégico da empresa, é necessário considerar as transações de produtos e/ou serviços e toda a logística internacional, já que este é um ponto vital para quem almeja aumentar competitividade de mercado e crescer economicamente falando. 

Por que a logística internacional é importante para uma empresa?

A globalização fez com que empresas tivessem que buscar processos inovadores para não ficarem para trás e isso significa, também, a ampliação de mercado e diversificação de receita.

Para uma empresa que trabalha com importação e exportação, é fundamental entender como funciona a logística internacional e a sua importância dentro do plano estratégico.

Quando a companhia consegue adicionar vendas para o exterior, ela ganha relevância e consegue mostrar a sua marca para o mundo oferecendo seus produtos e serviços.

Já quando trabalhamos com a importação de mercadorias e matéria-prima, é possível agregar valor ao seu trabalho, promovendo algo que muitas empresas não conseguem, porque não trabalham com este segmento.

Adicionado a isso, há uma preocupação com a qualidade da entrega, seja em território nacional ou mundo afora. 

Pense no transporte de carga refrigerada, por exemplo. 

Se o acondicionamento no contêiner não for adequado, a temperatura não estiver no nível correto e o transporte não for realizado com os devidos cuidados, a mercadoria, seja carne, frango ou qualquer outra, tem a sua integridade comprometida e a imagem da empresa acaba sendo prejudicada.

Assim fica mais fácil entender a importância da logística internacional, não é mesmo?

Dentro desta necessidade surgiu a metodologia Just-in-Time, o que na tradução literal quer dizer “na hora certa” e nada mais é do que uma técnica de gestão da cadeia produtiva e logística.

Seu conceito abrange, basicamente, a redução do tempo de produção de uma mercadoria, bem como período que ela fica estocada, promovendo assim, uma maior agilidade de entrega ao cliente.

Isso acontece porque quando há um pedido, a mercadoria é produzida com o material em estoque, sem ter que solicitar matéria-prima e passar por processos extremamente burocráticos e demorados até que o produto seja finalizado e enviado ao seu destino.

Dessa forma, há um fluxo mais fluído de mercadorias, evitando estocagem em excesso e gastos desnecessários. 

A metodologia Just-in-Time prega que tudo tem a sua hora certa para acontecer. Não é necessário produzir em demasia, nem armazenar itens sem pensar.

Como funciona a logística internacional?

De modo geral, a logística internacional tem as mesmas premissas da logística tradicional, ou seja, aquela realizada dentro de um mesmo país.

O objetivo de ambas é oferecer serviços mais otimizados, entregas mais rápidas e assertivas e produtos de alta qualidade com o menor custo possível.

No entanto, a logística internacional pode enfrentar alguns entraves que não são vistos no transporte doméstico.

A distância do local de origem até o país de destino, a legislação, o idioma, os modais de transporte disponíveis e as diferenças culturais são fatores que devem ser levados em consideração e analisados com muita cautela.

E quais são as operações básicas da logística internacional? Veja abaixo os pontos mais importantes!

Legislação nacional e internacional

No Brasil, existe uma legislação específica que regulamenta a administração das atividades aduaneiras, fiscalização da Receita Federal e órgãos de controle, bem como sua tributação.

É preciso compreender quais são as normas tanto do nosso país quanto do local de destino para realizar tais negociações.

Isso inclui a separação de documentos e licenças necessárias, o pagamento de taxas e tributos e a contratação de um seguro de cargas.

A falta de conhecimento destas regras pode resultar em multas e custos inesperados que sobrecarregam o orçamento da companhia.

Quando falamos em logística internacional, é preciso considerar os diferentes tipos de modais para efetuar um transporte mais ágil e eficiente.

A escolha do modal de transporte correto

Não tem como falar de comércio exterior sem mencionar o transporte de cargas, afinal, ele é importantíssimo em serviços de importação e exportação.

O Brasil, por exemplo, é extremamente dependente do transporte rodoviário. Mas como funciona nos outros países?

Existem cinco principais modais de transporte: o aeroviário, o rodoviário, o aquaviário, o ferroviário e o dutoviário. 

Cada um deles tem suas especificações.

O transporte aeroviário, por exemplo, é o mais rápido de todos, mas tem um custo de frete extremamente alto.

Já o transporte rodoviário funciona bem para pequenas e médias distâncias, no entanto, possui uma capacidade de carga mais limitada.

Em contrapartida, o transporte aquaviário tem a vantagem de poder carregar um maior volume de mercadorias, porém requer atenção dobrada quanto às embalagens e transbordo nos portos.

Por fim, temos o transporte ferroviário que configura uma boa escolha para viagens mais longas, mas que também tem menores opções de trajeto, e o dutoviário que independe do clima, porém tem pouca viabilidade no Brasil.

Uma vez escolhido o modal, é preciso se atentar aos tipos de embalagens de cada mercadoria e suas especificidades.

Investimento em tecnologia

O investimento em tecnologia não é importante somente na logística internacional, mas também no transporte doméstico.

A automatização de tarefas eleva a eficiência do trabalho, reduz o tempo gasto com determinadas atividades e evita até mesmo um retrabalho para corrigir algum ponto que ficou pendente ou algum erro.

Existem diversos sistemas logísticos que são extremamente úteis para auxiliar todo este processo, como o rastreamento dos veículos de carga, o monitoramento com análises minuciosas sobre trajetos, gastos com combustível e manutenção.

A tecnologia acaba sendo uma grande aliada de qualquer empresa que busca uma gestão de frota mais organizada e integrada.

Conclusão

A logística internacional não é mais um diferencial para uma empresa e sim uma estratégia de sobrevivência. 

Por isso, ela deve estar presente no plano estratégico da companhia aliada a medidas eficazes para a sua execução.

Esta publicação te ajudou? Confira outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *