Carro elétrico na gestão de frota, representando os pilares esg na prática.

Pilares ESG: o que é, importância e como aplicar na frota

Entender os pilares ESG é essencial na gestão de frota, afinal, nos últimos anos a adoção de práticas ESG tem se tornada cada vez mais relevante para empresas de todos os setores.

E por mais que haja uma comoção em torno do tema, segundo uma pesquisa do Tec Institute em parceria com a MIT Tech Review, cerca de 75% das organizações não possuem nenhuma certificação de sustentabilidade ou ESG.

Claro que certificações podem ser, em alguns casos, mera formalidade. Mas, os consumidores estão olhando para isso, cada vez mais atentos.

Prova disso é que, de acordo com uma pesquisa da MindMiners, encomendada pelo Google, uma em cada quatro pessoas no Brasil já ouviu falar sobre ESG.

E mais: quatro a cada cinco pessoas declaram como importante a atuação de empresas e marcas em ações relacionadas ao meio ambiente, panorama social e governança.

Durante este texto, mostraremos alguns benefícios significativos para a eficiência operacional e gestão de riscos por meio dos pilares ESG na gestão de frotas.

Nesse segmento, a implementação desses pilares podem fortalecer a mobilidade sustentável e alinhar a operação com as expectativas dos stakeholders. Confira!

O que é ESG?

ESG (Environmental, Social and Governance) é uma sigla feita para representar os pilares Ambientais, Sociais e de Governança dentro de uma empresa.

Esses critérios são utilizados para medir a sustentabilidade e o impacto social de uma empresa, além de sua performance financeira. 

O objetivo é incentivar práticas que sejam benéficas para o meio ambiente, a sociedade e a governança corporativa, promovendo um crescimento sustentável e ético.

Empresas que adotam os pilares ESG mostram que são negócios que desejam minimizar o impacto na natureza, ao mesmo tempo em que adotam práticas responsáveis de administração e buscam construir um mundo mais justo.

Também pode ajudar empresas que estejam buscando investidores, já que isso tem sido um dos principais fatores utilizados para decidir se eles vão aportar dinheiro em seu negócio.

Realizar investimentos em ESG é uma das principais tendências de sustentabilidade para os próximos anos.

Quais são os pilares do ESG?

Os pilares ESG formam um conjunto de critérios usados para avaliar o impacto e a sustentabilidade de uma empresa.

Ou seja: para que uma empresa possa ser considerada ESG, ela precisa atuar com assertividade nos três campos.

Abaixo, explicaremos um pouco sobre os três pilares do ESG: Ambiental, Social e Governança.

01. Ambiental (Environmental)

Este pilar ESG se trata diretamente das práticas que uma empresa tem com o meio ambiante, seja direta ou indiretamente. Entre elas, podemos listar:

  • Gestão de recursos naturais: uso eficiente de água, energia e outros recursos naturais;
  • Mudanças climáticas: medidas para reduzir a emissão de gases de efeito estufa e a pegada de carbono;
  • Resíduos e poluição: gerenciamento adequado de resíduos, reciclagem e redução de poluentes;
  • Conservação da biodiversidade: proteção de ecossistemas e espécies naturais.

02. Social (Social)

O segundo pilar ESG foca nas relações da empresa com seus stakeholders, incluindo funcionários, fornecedores, clientes e a comunidade. Entre as práticas, podemos listar:

  • Direitos dos trabalhadores: condições de trabalho justas, segurança no trabalho, igualdade de gênero e diversidade;
  • Engajamento comunitário: contribuições para o desenvolvimento das comunidades locais, atividades filantrópicas e voluntariado corporativo;
  • Proteção de dados e privacidade: garantir a segurança e a privacidade das informações dos clientes e funcionários;
  • Satisfação do cliente: práticas de atendimento ao cliente e qualidade dos produtos e serviços.

03. Governança (Governance)

Por fim, entre os três pilares do ESG, o de Governança aborda a estrutura e os processos corporativos da empresa. Podemos listar algumas das práticas, como:

  • Ética e transparência: práticas de negócios éticas, transparência nas operações e relatórios financeiros;
  • Diretoria e gestão: composição do conselho de administração, independência dos membros, diversidade e competências;
  • Direitos dos acionistas: tratamento justo e equitativo dos acionistas, participação e votação em assembleias;
  • Compliance e regulação: conformidade com leis, regulamentos e normas setoriais.
Gestores de frota colocando em práticas os pilares esg na operação.
Os pilares ESG formam um conjunto de critérios usados para avaliar o impacto e sustentabilidade da empresa.

Como aplicar os pilares do ESG?

Ao ler os pilares do ESG acima, provavelmente, você deve ter entendido como funcionam as boas práticas relacionadas a esta sigla. 

Mas, como aplicar os pilares ESG na gestão de frota?

A aplicabilidade vai envolver a implementação de práticas sustentáveis, dentro do cenário da sua empresa, pensando de maneira responsável em atender aos critérios ambientais, sociais e de governança que rondam todos os processos de uma frota.

Os gestores de frota precisam se atentar a isso.

Veja algumas formas de aplicar os pilares ESG na gestão de frota:

01. Pilar Ambiental na gestão de frota

O pilar Ambiental, dentro da gestão de frota, talvez seja o mais fácil de tangibilizar em ações. Veja algumas:

Redução de emissões

Gestão de recursos

  • Combustíveis alternativos: explore o uso de biocombustível ou combustíveis alternativos, como biodiesel, etanol ou gás natural, que são menos poluentes;
  • Telemetria: use tecnologia de telemetria para monitorar o desempenho dos veículos, identificar comportamentos de direção, como fadiga, e também observar veículos que desperdiçam combustível.

Reciclagem e descarte

  • Reciclagem de componentes: recicle peças e componentes dos veículos, como baterias e pneus, de maneira responsável;
  • Gestão de resíduos: implemente programas de gestão de resíduos para descarte adequado de óleos, fluidos e outros materiais perigosos.

02. Pilar Social na gestão de frota

O pilar Social precisa focar no principal ativo de uma empresa: os funcionários. No caso das frotas, em sua maioria, motoristas. Veja algumas formas de aplicar o pilar Social:

Condições de trabalho

  • Segurança do motorista: garanta que todos os motoristas tenham treinamento adequado em segurança no trânsito e direção defensiva;
  • Bem-estar do motorista: promova o bem-estar dos motoristas com programas de saúde e segurança, horários de trabalho justos e pausas adequadas.

Engajamento comunitário

  • Impacto na comunidade: minimize o impacto negativo da frota nas comunidades locais, como a poluição sonora e a emissão de poluentes;
  • Responsabilidade social: participe de iniciativas comunitárias, como programas de educação no trânsito e campanhas de conscientização ambiental.

Diversidade e inclusão

  • Diversidade na contratação: promova a diversidade e a inclusão na equipe de motoristas e na gestão da frota, garantindo igualdade de oportunidades para todas as pessoas.

03. Pilar Governança na gestão de frota

Para finalizar os pilares ESG, o de Governança foca na sustentabilidade do negócio, pensando no crescimento a longo prazo. Veja algumas boas práticas:

Políticas e conformidade

  • Políticas ESG: desenvolva e implemente políticas claras de ESG para a gestão da frota, garantindo que todas as práticas estejam alinhadas com os objetivos de sustentabilidade da empresa;
  • Conformidade legal: garanta conformidade com todas as leis e regulamentos ambientais, de saúde, segurança e trabalhistas.
  • Transparência e relatórios: produza relatórios com resultados reais e fidedignos, sempre pensando em melhorar indicadores que podem estar ruins;
  • Relatórios de sustentabilidade: inclua dados sobre a gestão da frota em relatórios de sustentabilidade, destacando esforços e resultados em termos de ESG;
  • Monitoramento e auditoria: realize auditorias regulares para monitorar a conformidade com as políticas ESG e identificar áreas de melhoria.

Gestão de Riscos

  • Avaliação de riscos: identifique e gerencie riscos associados à operação da frota, como riscos ambientais, de segurança e reputacionais;
  • Planos de contingência: desenvolva planos de contingência para lidar com incidentes ambientais ou de segurança, garantindo uma resposta rápida e eficaz.

Por que a gestão de frota deve se atentar aos pilares ESG?

A gestão de frota deve se atentar aos pilares do ESG por várias razões que vão além da conformidade regulatória, já que eles impactam positivamente da eficiência operacional à reputação corporativa.

Veja mais motivos para se atentar aos pilares do ESG:

Redução de custos e aumento da eficiência operacional

Ao implementar práticas sustentáveis, a sua empresa pode ter uma significativa redução de custos operacionais, como na economia de combustível, afinal, veículos mais eficientes e práticas de direção ecológicas podem reduzir o consumo de combustível.

Conformidade com regulamentações e redução de riscos

Empresas que adotam os pilares do ESG e buscam estar em conformidade com os critérios, ajudam no impacto de regulamentos ambientais e de segurança, além de evitar multas e sanções.

Reputação e imagem corporativa

Quem pensa em adotar os pilares do ESG deve levar em consideração isso: empresas que demonstram compromisso com essas práticas ão vistas de maneira mais positiva por clientes, investidores e a comunidade em geral.

É uma forma, inclusive, de fidelizar mais clientes, afinal, esses consumidores estão mais inclinados a apoiar empresas responsáveis e éticas.

Engajamento e retenção de funcionários

Os pilares do ESG melhoram o ambiente de trabalho e aumentam a satisfação e retenção dos motoristas e outros funcionários da frota.

Veículo elétrico na gestão de frota, representando os pilares esg.
A adoção de veículos elétricos ou híbridos é uma prática dos pilares ESG na gestão de frota.

Exemplos de empresas que são referência em ESG

Empresas que são referências em ESG se destacam por implementar práticas sustentáveis e responsáveis em suas operações. Listamos 05 empresas explicando como elas atuam:

01. Patagonia

  • Ambiental: a Patagonia é conhecida pelo compromisso com a sustentabilidade ambiental. Utiliza materiais reciclados e orgânicos em seus produtos e promove a reparação e reutilização de roupas. A empresa também doa 1% de suas vendas anuais para causas ambientais. O CEO, inclusive, é uma personalidade antenada ao tema e, recentemente, fez um alerta sobre a urgência na ação em relação ao clima;
  • Social: a empresa é ativa em campanhas de justiça social e incentiva seus funcionários a se envolverem em atividades comunitárias e ambientais, inclusive oferecendo tempo pago para voluntariado;
  • Governança: a Patagonia tem uma governança transparente e é uma das principais defensoras de práticas empresariais éticas e responsáveis.

02. Unilever

  • Ambiental: a Unilever tem um plano de sustentabilidade abrangente, conhecido como Unilever Sustainable Living Plan, que busca reduzir pela metade o impacto ambiental de seus produtos até 2030. Isso inclui a redução de emissões de carbono, uso de água e geração de resíduos;
  • Social: a Unilever trabalha para melhorar as condições de vida em toda a sua cadeia de suprimentos, incluindo iniciativas de saúde, nutrição e bem-estar para comunidades locais. Em 2024, a Unilever ampliou o uso de energia verde para apoiar na meta de zerar emissões até 2039;
  • Governança: a empresa tem políticas rigorosas de governança corporativa e conformidade, promovendo a transparência e a ética nos negócios.

03. Itaú Unibanco

  • Ambiental: o Itaú Unibanco é referência em práticas sustentáveis no setor financeiro. A empresa implementa iniciativas para reduzir o consumo de energia e água em suas operações e promove produtos financeiros verdes;
  • Social: o banco tem programas de inclusão financeira, educação e desenvolvimento comunitário. Também trabalha para garantir um ambiente de trabalho diverso e inclusivo;
  • Governança: o Itaú adota práticas robustas de governança, com foco na transparência e na responsabilidade corporativa. 

04. Microsoft

  • Ambiental: a Microsoft tem metas ambiciosas de sustentabilidade, incluindo ser carbono negativo até 2030 e remover todo o carbono que já emitiu diretamente desde sua fundação até 2050;
  • Social: a empresa promove a inclusão digital, capacitação de trabalhadores e possui diversas iniciativas voltadas para a diversidade e inclusão no local de trabalho;
  • Governança: a Microsoft é conhecida por sua governança corporativa forte, com foco na ética, transparência e responsabilidade para com todos os stakeholders.

Esta publicação te ajudou? Confira essa e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota no blog da Cobli!

Sobre o autor

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *