Você pretende usar o conteúdo abaixo para
Agradecemos sua resposta!

Tempo de leitura: 16 minutos

A logística integrada vem para suprir as necessidades de consumidores cada vez mais exigentes e de empresas que perseguem a maior competitividade.

Para encontrar seu espaço em um mercado concorrido, as empresas precisam garantir métodos que reduzam a dependência de um contexto externo favorável e, assim, fazer mais negócios. 

Uma boa forma de conseguir isso é utilizar um sistema de logística integrada, conectando todas as pontas da cadeia de produção ou do serviço.

Isso permite que os processos de distribuição se tornem mais ágeis e que seus custos sejam reduzidos.

Neste texto, você vai entender como a logística integrada funciona, de que forma pode ser aplicada, seus principais benefícios e, ainda, como a tecnologia pode te auxiliar nesse sentido. 

O que é a logística integrada?

Logística integrada se refere à integração de toda a cadeia logística, da origem das matérias primas até a casa do consumidor final. 

Para isso, um sistema inteligente é uma das mais importantes ferramentas. 

Com ele, a empresa é capaz de controlar fluxos e atividades, envolvendo não só seus colaboradores, mas também fornecedores e parceiros. 

Normalmente, essa atividade é desempenhada por um setor específico da empresa, que utiliza ferramentas como rastreadores, roteirizadores e softwares de gestão. 

O setor pode planejar e supervisionar todos os passos da operação, atuando também nos casos em que ajustes se mostrem necessários.

Essas são, essencialmente, as características da logística integrada. 

Mas há muito mais para conhecer a respeito desta operação fundamental da empresa, como iremos destacar na sequência. 

Qual a importância da logística integrada?

Como veremos mais à frente, a logística integrada utiliza bastante a tecnologia em todas as suas etapas.

Este alto investimento em ferramentas de última geração, de certa forma, reflete a importância ganhada pelos processos integrados de logística. 

Em função do crescimento do transporte multimodal (aquele que integra diferentes tipos de transportes), é necessária a integração de processos e metodologias que possam compor uma cadeia de suprimentos

Há estudos que comprovam a eficácia do transporte multimodal como alternativa para escoamento da produção, como este, publicado no Congresso Nacional de Excelência em Gestão de 2016.

É mais uma evidência de que a logística integrada é uma realidade e uma estratégia presente nas empresas com bons resultados no segmento de transportes.

Como a logística integrada gera valor?

Reduzir o tempo de entrega de mercadorias e de insumos e, assim, os custos de produção e distribuição, deve ser a meta de toda empresa de transportes, certo?

Por isso, quando elas conseguem atingir tais objetivos, geram valor não apenas para elas, mas para a sociedade.

Pode parecer contraditório, mas é a partir do sucesso individual, medido pela satisfação dos clientes, que a logística integrada gera valor.

A logística integrada é dividida em três grandes áreas

Como a logística integrada funciona? E como pode ser dividida?

A logística integrada é dividida em três grandes áreas: administração de materiais, movimentação de materiais e distribuição física. 

Confira como cada uma funciona separadamente:

Administração de materiais

A administração de materiais é responsável pela gestão das matérias-primas utilizadas pela empresa em seus processos de produção. 

Nesse segmento, é preciso negociar com os fornecedores não só o preço, mas também a qualidade dos produtos. 

Essa é uma área muito importante para a redução de custos, já que descontos negociados na compra de materiais podem, por exemplo, ajudar a deixar os preços finais mais competitivos. 

Também é conhecida como fluxo de materiais e, por isso, sistemas de roteirização e rastreamento veicular são essenciais para a boa performance nessa área.

Movimentação de materiais

Já a especialidade de movimentação de materiais cuida tanto do abastecimento da linha de montagem e produção como da distribuição dos produtos até o estoque. 

Não por acaso, também é chamada de “circulação das matérias-primas”. 

Nesse contexto, seus profissionais trabalham para garantir a perfeita adequação dos processos de produção e distribuição de mercadorias. 

Afinal, produtos com defeito podem atrapalhar o fluxo logístico, devido às devoluções e readequações de processos que provocam. 

Da mesma forma, uma produção mal coordenada desde a montagem  pode gerar dificuldades no fluxo de um armazém ou central de distribuição.

Por isso, os profissionais de movimentação de materiais são responsáveis por supervisionar a embalagem das mercadorias a serem distribuídas e também por ajustar produção e demanda.

Nesta área, o conceito “just in time” (desenvolvido pela montadora Toyota) é sempre o mais referenciado.

Por ele, um sistema requisita peças apenas quando é necessário, reduzindo gastos com estoques e compra de insumos. 

Por isso, a tecnologia é, via de regra, parceira das empresas deste setor por meio de softwares de gestão  gerenciamento de estoques (WMS)

Distribuição física

Agora, a área da distribuição física é provavelmente a mais conhecida.

Isso porque ela é responsável por fazer os produtos saírem de armazéns e centros de distribuição e chegarem até o consumidor final. 

Sua eficiência é vital para garantir a satisfação do cliente, seja ao impactar no custo final ou por possibilitar redução no tempo de entrega. 

Na logística integrada, utiliza-se centros de distribuição otimizados

Qual a efetividade de uma boa área de logística integrada? 

A logística integrada será considerada bem-sucedida se conseguir conquistar seus principais objetivos. 

O principal deles é reduzir o tempo total da produção, que começa a ser contado do recebimento dos materiais e termina na chegada ao consumidor. 

Para isso, é preciso sistematizar os processos e ter informações confiáveis. 

É por essa razão que a logística integrada também impacta no sucesso de outros setores da empresa. 

Também são indicadores positivos dessa área: a diminuição de custos dos processos, a redução do desperdício na produção e a queda no tempo para a organização e movimentação das mercadorias. 

Ela se mostra efetiva, portanto, quando aumenta os ganhos da parte ligada à cadeia de suprimentos e da empresa como um todo. 

Quais são os principais benefícios da logística integrada

Se uma área de logística integrada consegue reduzir o desperdício e também o tempo gasto para a produção, significa que é possível produzir mais na mesma quantidade de tempo utilizada anteriormente. 

Na maioria dos casos, isso significa aumento de rendimento e, também, redução nos custos operacionais. 

Se os processos estão mais ágeis e, ao mesmo tempo, há maior lucro, a companhia também tem vantagem competitiva com relação a seus rivais no mercado. 

Ao produzir mais, ela consegue satisfazer os outros atores de sua cadeia de produção, como fornecedores e clientes.

Afinal, eles são os principais beneficiados se o resultado é positivo. 

Mas os benefícios vão ainda além.

Confira, na sequência, outras vantagens sua empresa agrega quando conta com rotinas integradas na cadeia de suprimentos.

Centros de distribuição otimizados

Considerando que o transporte multimodal está cada vez mais em alta, o papel dos centros de distribuição (CD) se torna ainda mais importante.

É a partir deles que as transportadoras agregam valor à cadeia de suprimentos. Por isso, a articulação otimizada desses CDs aos outros elos da supply chain é muito importante.

Afinal, o objetivo de todo CD é agilizar a entrega e distribuição de mercadorias.

Nesse contexto, processos integrados de logística ajudam a monitorar as operações em tempo real e, dessa forma, os centros de distribuição passam a ser melhor utilizados.

Menos gastos com fornecedores

O barateamento dos produtos no ponto de venda também depende dos custos de sua fabricação.

Tais custos, por sua vez, estão relacionados aos que os fornecedores de bens primários e matérias-primas cobram.

A logística integrada ajuda a encontrar fornecedores com melhores condições de disponibilidade,  seja pelo tempo de entrega ou pelo preço.

Afinal, com todos os processos de fabricação e distribuição unificados, sua empresa ganha a capacidade de identificar com maior precisão os parceiros mais qualificados. 

Além disso, uma possível redução de custos nas matérias-primas, permitem que um desconto seja repassado nas mercadorias, barateando o valor para o consumidor final. 

Uso consciente do tempo

Depois de perdido, nenhum tempo pode ser recuperado e gestores de frotas sabem muito bem o valor disso.

Dessa forma, precisam de soluções que otimizem a capacidade dos seus veículos e colaboradores, porém sem colocar em risco a segurança e performance deles.

Por isso que exercer o controle de frotas é, também, gerir o uso do tempo.

Um veículo que não cumpre o roteiro traçado no período previsto gera prejuízos porque deixa de fazer mais entregas.

Assim, ao integrar os processos logísticos, uma empresa conseguirá controlar melhor suas atividades…, já que o tempo passa a ser monitorado ao vivo.

Outra forma de se otimizar o uso do tempo é por meio dos dados gerados com o rastreamento de automóveis e com a telemetria veicular, por medirem a performance da frota e o comportamento dos seus condutores.

Com isso, você ganha inteligência de negócios e muito mais poder de decisão a respeito de rotas, estratégias e medidas de controle.

Menos “surpresas” no meio do caminho

As multas são um problema recorrente em sua empresa?

Talvez isso aconteça porque seus processos não seguem os bons princípios de logística integrada.

Sinistros, atrasos e avarias também podem acontecer quando as operações não estão bem coordenadas.

Integrar os processos logísticos, nesse aspecto, significa evitar se pego de surpresa por problemas em meio às operações.

Por exemplo, um veículo parado no meio da rua por falha mecânica, certamente deixou de ser monitorado nas rotinas de manutenção programada.

Este é outro ponto que passa a ser acompanhado de perto por métodos integrados de gestão, quando aplicados à logística.

O que acha da ideia?

Operações mais ágeis

Já que estamos tratando do fator tempo, nada mais justo que destacar uma outra vantagem da logística integrada: maior agilidade nas entregas.

Nesse caso,, as “pontas soltas” deixam de existir, já que todas as atividades inerentes à gestão de frotas são incorporadas.

Manutenções, revisões, controle de multas, de centros de distribuição, de expedições, entre outros, passam a ser acompanhados simultaneamente.

O resultado disso é que a empresa ganha uma capacidade de fazer mais entregas em menos tempo.

Assim, clientes são melhor atendidos e sabemos que, nesse caso, as chances de eles serem fidelizados e até de indicarem sua empresa são bem maiores.

Reputação ainda mais sólida

Uma rápida pesquisa em sites de avaliação de consumidores revela que muitas das queixas se relacionam com problemas na entrega.

Mercadorias danificadas, atrasos, mau atendimento ou negligência das empresas também estão entre os tópicos recorrentes..

Reclamações não resolvidas e avaliações ruins podem afastar potenciais consumidores e até estragar a relação já consolidada com seus clientes.

Por isso, um bom ponto de partida para evitar esse cenário é investir em logística integrada e, dessa forma, minimizar as reclamações com entregas mais rápidas e melhor atendimento.

logística integrada é um processo que vai de supply chain a TI

Como aplicar a logística integrada na prática

A aplicação da logística integrada é um processo que pede a participação de profissionais de diversas áreas.

Do gestor de supply chain ao especialista em TI, é o trabalho em equipe que deve pautar as ações e estratégias de integração na cadeia de suprimentos.

Junto a isso, é fundamental contar com recursos que permitam ampliar o controle sobre as operações.

Um sistema de gestão de frotas, nesse aspecto, é a melhor escolha.

Futuro da logística integrada: 6 tendências para o setor

Levando em consideração a relação entre logística integrada e tecnologia, é natural que certas tendências sejam identificadas.

Assim, vale a pena ficar de olho nelas e colocar em prática conforme a necessidade.

Essa estratégia pode posicionar sua empresa em vantagem perante a concorrência.

E já que é assim, vamos conferir o que o futuro da logística integrada nos reserva.

1. Uso de drones

Você sabe o que aconteceu em 22 de maio de 2019? 

Nessa data, foi realizada aquela que se convencionou chamar de “a primeira entrega feita por um drone no Brasil”. 

O cenário foi a cidade de Petrópolis (RJ), protagonizada por uma conhecida rede de drogarias – e você pode ver neste vídeo.

Essa é uma amostra de que a utilização de drones como recurso logístico veio para ficar.

Embora seja uma tecnologia que demanda algum investimento, por outro lado, ela elimina diversos custos que podem compensar, como mão de obra e combustíveis.

Por isso, se for viável, não deixe de considerar o uso desses aparelhos em suas entregas.

2. Transporte autônomo

Outra tecnologia de alto valor agregado que está ganhando força é o transporte autônomo, feito por veículos que se movimentam sem um condutor humano.

Nesse segmento, a montadora norte-americana Tesla vem se destacando nos últimos anos como a grande incentivadora dos projetos.

Embora ainda haja muito o que se desenvolver e aprimorar, a tendência é que carros que “se dirigem” ganhem cada vez mais espaço.

3. Incremento na automação

Na linha dos drones e veículos autônomos, a automação desponta como uma forte tendência no segmento de logística integrada para os próximos anos.

Mas com uma diferença: sai muito mais barato investir em automação.

É o que acontece, por exemplo, quando se conta com um sistema de gestão de frotas.

Tarefas como medição de consumo de combustível, relatórios e avaliações de motoristas, com esse recurso, passam a ser realizadas pelo software.

4. Inteligência artificial

Uma característica dos mais modernos sistemas de gestão de frotas é serem dotados de inteligência artificial.

Dessa forma, eles agregam ainda mais valor às suas operações, já que coletam dados que não poderiam ser obtidos de outra maneira.

Mas não apenas isso: a inteligência artificial permite ao sistemas evoluir na relação com o usuário, oferecendo a ele respostas cada vez mais personalizadas, sem a interferência humana.

Na prática, significa que você terá nesse tipo de tecnologia uma solução para qualificar as entregas e a própria tomada de decisão na empresa.

5. Entregas antecipadas

O termo entrega antecipada se relaciona com outra tendência em logística integrada: a antecipação ao próprio pedido de um cliente.

Pode até parecer exercício de futurologia, mas não é difícil entender.

Quando a empresa conta com recursos de ponta e inteligência artificial, ela se torna capaz de antecipar uma entrega sem depender da realização de pedidos.

Ela ganha tempo ao prever quando e como uma entrega será feita, enquanto o cliente tem a certeza de que seus pedidos serão atendidos com máxima presteza.

6. Logística reversa

Esta é uma tendência marcante, sobretudo, nas compras online.

Boa parte da população já resolve suas necessidades de consumo pela internet.

Com a pandemia do coronavírus, o número de vendas por esse canal cresceu mais de 100% no país.

Como reflexo, até mesmo setores que costumeiramente não trabalham com pedidos online, tiveram que se adaptar a um novo modelo.

Vale, inclusive, para negócios B2B, entre empresas.

Só que a legislação brasileira prevê que toda venda pela internet dá ao comprador o direito de arrependimento, com devolução do item, havendo ou não erro ou defeito no que foi entregue.

E o caminho de volta do produto – do cliente para o fornecedor – atende a um processo conhecido como logística reversa, que também demanda muita integração.

Afinal, desde a notificação de devolução até o recolhimento do item e seu recebimento em um centro de distribuição, são várias as etapas, envolvendo diferentes setores da empresa.

Agora, pense com a gente: com cada vez mais pessoas comprando online, nada mais natural que as demandas de logística reversa cresçam, concorda?

A questão é: como a sua empresa está preparada?

Conclusão

Uma boa logística diminui riscos, aumentando a segurança, reduzindo o desperdício de estoque e a quebra na produção.

Também é útil porque otimiza a gestão para todas as áreas da empresa em uma benéfica reação em cadeia.

Coloque essa ideia em prática e a consequência disso será resultados melhores em todos os sentidos. 

Esta publicação te ajudou? Acesse nosso site e confira também outros materiais sobre logística e gestão de frota em nosso blog.

Monitoramento de frota - Logística integrada: o que é, benefícios e como fazer na prática
Melhore a gestão da sua frota com a Cobli

   Clique aqui para tirar suas dúvidas ou solicitar um teste grátis do nosso sistema de rastreamento e monitoramento de frotas.

Escreva um Comentário