Post atualizado em

O dia a dia para quem trabalha com veículos e equipes de campo é bastante complexo. Planejar a operação dos veículos, acompanhar a execução desse planejamento, atender a clientes, controlar custos e lidar com multas e acidentes estão dentre os maiores desafios. Isso sem contar com o fato de que a maioria das empresas no Brasil não tem a informação de onde os veículos estão em tempo real. É aí que entra o rastreador veicular.

Esse serviço serve justamente para ajudar os gestores a solucionarem esses problemas de forma bem prática, dando muito mais visibilidade da operação para eles. Vamos entender como funciona?

O que é um rastreador veicular?

Um rastreador veicular é basicamente um equipamento que permite acompanhar, em tempo real, o trajeto de um veículo. Além da localização exata, as tecnologias de rastreamento podem fornecer um punhado de outras informações, tais como: velocidade do veículo, se ele está ligado ou desligado, paradas realizadas  e, em alguns casos mais avançados, até se o motorista está pisando muito forte no acelerador ou fazendo curvas bruscas.

Existem basicamente dois tipos de rastreadores veiculares: os que são instalados no sistema elétrico do veículo e aqueles que podem ser diretamente conectados na entrada OBD (On Board Diagnostics) do veículo. A vantagem dessa segunda tecnologia é que não é preciso fazer instalação — o OBD pode ser inserido pelo próprio gestor, ou seja, não é preciso um  profissional especializado.

Muitos veículos pesados ainda usam a tecnologia de rastreador instalado no sistema elétrico do veículo. No entanto, o OBD está cada vez mais difundido entre os modelos leves, tais como carros, caminhonetes, camionetas, motos etc.

Como o rastreador funciona?

O rastreador possui um sistema de posicionamento (geralmente um GPS – Global Positioning System), que permite saber sua posição a todo momento. Essa informação é enviada para a empresa que presta o serviço de rastreamento, por meio de um chip de dados ou via satélite. Esses dados voltam para o cliente  via um sistema online, para que ele possa conferir onde seus veículos estão. Muitos desses sistemas possuem também uma série de outras funcionalidades que ajudam o gestor a tomar melhores decisões, tais como roteirização, controle de manutenção, informações sobre como o motorista está dirigindo e etc.

O sinal do rastreador veicular, depois de passar pela central, também pode ser enviado para um aplicativo de celular – que permite ao gestor e aos motoristas receberem as informações necessárias em qualquer lugar. 

Para utilizar um rastreador OBD, é preciso plugá-lo em uma entrada específica, cuja localização varia de veículo para veículo – ela pode ficar abaixo do volante ou dentro do porta-luvas, no caso de um carro, por exemplo. O processo de configuração é automático, após rodar poucas quadras tudo já estará funcionando perfeitamente. 

Para que posso utilizar um rastreador no meu veículo? E quais são as vantagens?

 O rastreador veicular informa a localização do veículo em tempo real. Isso possibilita melhorias na gestão da operação em diversas áreas. Vamos examinar quatro áreas críticas que podem ser melhoradas com os rastreadores: 

Melhoria do serviço para o cliente final

As informações fornecidas pelos rastreadores deixam a prestação de contas aos clientes mais transparente, objetiva e completa. Muitas vezes, boa parte do dia a dia de um gestor é ocupada por atender ligações de clientes reclamando que a entrega ou serviço não chegou, em seguida, ligar para o motorista para saber seu status e, finalmente, ligar de volta para o cliente com uma resposta.

Com um rastreador veicular, essa parte do trabalho se torna mais automática, já que o gestor consegue ter uma visão de todos os veículos em tempo real. Em alguns casos, ele consegue até compartilhar uma tela com a localização  exata do veículo com o cliente, para tranquilizá-lo sobre quando a entrega ou serviço irá chegar. 

Alocação de novos serviços

Outro ponto muito importante que o  rastreador veicular permite saber é qual o veículo certo para realizar uma nova ordem de serviço.  Isso é imprescindível para o sucesso de atendimentos com carros de emergência, como ambulâncias, ou até caminhonetes de manutenção corretiva de energia elétrica: eles precisam saber exatamente quem está mais próximo da ocorrência para poder escolher o veículo adequado e minimizar o tempo de deslocamento.

Redução de custos

Com um rastreador veicular, é também possível saber com clareza se o veículo está fazendo paradas indevidas no meio do expediente. Com isso, é possível economizar combustível e tempo das equipes, que ganham produtividade.

Além disso, é também possível saber se os veículos estão gastando a quantidade apropriada de combustível. Se, por exemplo, um carro gastar 20 litros para um percurso de 100km, sabe-se que há algo de estranho.  Com isso, o gestor pode investigar mais a fundo qual é o problema.

Muitas empresas de seguro também oferecem descontos para quem utiliza rastreadores veiculares. A economia pode chegar a 25-35% do preço do seguro. 

Segurança

Historicamente, esse é o motivo mais comum pelo qual as empresas instalam rastreadores: proteger os seus veículos e motoristas. O rastreador veicular se torna um ótimo aliado caso aconteça algum imprevisto, como o roubo.

Alguns rastreadores permitem até intervenções remotas, como bloqueio da bomba de combustível se alguma movimentação estranha foi detectada, como um desvio de rota inesperado ou uma parada longa sem nenhuma razão aparente. Mas explicamos aqui porque essa prática pode ser prejudicial.

Embora esse motivo não perca relevância, com o passar do tempo mais e mais gestores têm visto também os outros benefícios explicados anteriormente, além da segurança. 

Como o rastreador sabe onde o veículo está? E como ele se comunica com os sistemas?

Para saber onde o veículo está, o rastreador veicular usa o GPS, que nada mais é do que um sistema que transmite informações para satélites localizados na órbita terrestre. Esses satélites emitem sinais para os receptores, que respondem emitindo um pulso. Além disso, eles possuem relógios extremamente precisos, que conferem o tempo que passou entre a emissão do sinal para a Terra e a chegada do pulso de volta. Esse intervalo de tempo permite ao sistema calcular, com precisão de metros, a localização do veículos.

Não confunda com rastreador satelital

Ao falar sobre rastreador satelital, não estamos discutindo se ele possui ou não um GPS — inclusive, a grande maioria dos rastreadores possuem um, embora poucos desses sejam rastreadores satelitais.

Na verdade, o termo rastreador satelital é usado para dizer que o envio das informações para a empresa de rastreamento é feito via satélite em vez de usar um chip de dados. Em alguns casos, essa pode ser uma opção interessante em regiões com sinal ruim, onde o chip de dados possa falhar. Porém é uma opção muito mais cara.

Por que a frequência de atualização do rastreador é tão importante?

Um ponto crucial no funcionamento do rastreador é a frequência de atualização. Ou seja: de quanto em quanto tempo o rastreador envia as informações do veículo para o sistema online. Como dissemos anteriormente, o gestor de frota é afetado diariamente pela dúvida de onde seu veículo está.

Com uma atualização mais rápida, fica muito mais fácil responder essa questão. Por exemplo: um sistema atualizado a cada 5 segundos, oferece alta precisão de onde o veículo está. Já um atualizado a cada 3 minutos gera uma demora muito maior para ter certeza de que o veículo está onde o sistema diz — ou até se o sistema não perdeu o sinal em algum momento.

Além disso, existe um motivo ainda mais importante por trás disso: conseguir registrar adequadamente o trajeto realizado pelos veículos. O sistema que registra a posição do veículo a cada 5 segundos consegue ter alta precisão de todos os pontos por onde o veículo passou. Já o que registra de 3 em 3 minutos, pode não saber como o veículo foi de um ponto até o próximo.

Em um cenário como esse, se um veículo sai de uma rua e chega a outra a 1 km de distância dentro de 3 minutos, como o gestor saberia qual caminho foi feito?

Em quais veículos posso instalar um rastreador?

Em geral, um rastreador veicular serve para praticamente qualquer veículo: desde carretas, caminhões enormes e  frotas de ônibus, assim como carros comuns e até motocicletas. O rastreador veicular acaba sendo uma mão na roda (com perdão do trocadilho) para qualquer tipo de entrega e serviço. 

Mas, no sentido mais amplo, seria possível instalar um rastreador veicular até em outros tipos de veículos que não utilizem ruas e estradas. Algumas empresas conseguem instalar rastreadores veiculares em trens, barcos, balsas, tratores, por exemplo.

O caso especial das motos 

Há duas maneiras de instalar um rastreador em uma motocicleta: em circuito pós-chave ou acionamento automático. Quando a instalação é em circuito pós-chave, o rastreador liga após o motorista dar partida. Ou seja: é a ignição, e não o movimento, que aciona o aparelho. Esse tipo de instalação preserva mais a bateria do rastreador e é mais comum em motos maiores (acima de 250 cc). Esse modelo também permite atualizações mais rápidas da localização do veículo (no caso da Cobli, esse registro é feito a cada cinco segundos).

Quando a instalação é por circuito automático, o rastreador começa a funcionar quando a moto se movimenta, mesmo desligada. Essa forma é menos precisa, pois qualquer movimentação no veículo pode dar a entender que a moto está andando.

Quanto custa um rastreador? Qual o melhor?

Há diversos tipos de rastreadores disponíveis no mercado. Os preços e a qualidade, tanto do rastreador veicular, como da empresa prestando o serviço variam bastante. A maioria das empresas – como é o caso da Cobli – não vendem o aparelho, mas sim cobram uma mensalidade por seu uso e auxílio no rastreamento. Desse modo, o cliente não é onerado com o pagamento de um equipamento que possa vir não querer mais tarde.

Por isso, recomendamos analisar alguns fatores que são fundamentais na escolha:

  • Tempo de atualização: de quanto em quanto tempo o rastreador atualiza a posição do veículo?
  • Facilidade de começar a usar: quanto tempo demora para o rastreador chegar e qual a dificuldade de instalação? Um rastreador OBD geralmente facilita a vida do cliente
  • Sistema por trás do rastreamento: o sistema possui algo além do rastreamento? As melhores empresas possuem um sistema completo que vai além do simples  rastreamento e certamente vão lançar novas funcionalidades constantemente
  • Equipe de pós vendas ou sucesso do cliente: a empresa que fornece o dispositivo possui uma equipe qualificada para ajudar a sua empresa utilizar o rastreamento veicular da melhor forma?
  • Outros: é também importante saber se o rastreador é homologado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), se ele é à prova d’água e como funciona a sua bateria interna

Se você ainda ficou com alguma dúvida sobre rastreadores, fale conosco pelo (11) 4810-2200 ou pelo euquero@cobli.co! A Cobli é a nova geração de tecnologia para rastreadores, com os dados de localização mais precisos e o pulso mais rápido do mercado (de 5 em 5 segundos), contando com uma equipe com mais de 100 pessoas e crescendo. Nosso rastreador é livre de instalação e o sistema é bastante intuitivo, sendo sempre atualizado e possuindo diversas outras funcionalidades além do rastreamento. Entre em contato com um de nossos especialistas que você vai entender a qualidade do nosso time e porque somos diferentes.

Rastreamento de Frota
badge primary e1563977884304 - Como o rastreador veicular pode melhorar a gestão da empresa
Cobli

euquero@cobli.co
(11) 4810-2200

Escreva um Comentário