O que é logística verde e como colocá-la em prática na empresa

Se você atua no setor de logística, provavelmente já deve ter pensado no impacto que a área pode causar no meio ambiente.

Você não está sozinho: cada vez mais, as empresas têm discutido a chamada logística verde, que busca reduzir os danos que o setor pode gerar à natureza – e só de ler isso você já pensou em fumaça de caminhão, não é mesmo?

Caminhões também podem fazer parte de programas de logística verde.

Mais do que apenas um conjunto de ideias, a logística verde foi feita para ser colocada em prática, ajudando o setor a se tornar mais sustentável.

Não é só algo que foi feito para obedecer a lei, mas que também pode ajudar as empresas a se tornarem mais eficientes e competitivas no mercado.

Neste texto, vamos falar mais sobre o que é logística verde, também chamada de logística ambiental, e suas principais características.

Abordaremos também sobre os principais desafios e a importância da logística verde para as companhias. Vem com a gente!

O que é logística verde?

O termo logística verde, traduzido do inglês green logistics, é um conjunto de medidas, ações e políticas sustentáveis.

Em português, ele também pode ser chamado de logística ambiental ou, ainda, de ecologística.

Sua principal meta é reestruturar os processos logísticos para que eles causem menor dano ao meio ambiente, incluindo as áreas de produção, armazenamento, transporte e o retorno dos resíduos produzidos.

Não é algo simples, como você pode imaginar, visto que existem inúmeros tipos e categorias de medidas para diminuir o impacto da logística na natureza.

Uma dessas categorias, por exemplo, é a redução de carbono das operações logísticas, bem como a redução da poluição do ar, da água e até mesmo a poluição sonora – de novo, aqui, você já pensou em quanto barulho faz um caminhão?

Além disso, a logística verde também visa a reutilização de contêineres e a reciclagem de embalagens, melhorando a cadeia de suprimentos e tornando-a mais sustentável, reduzindo seu impacto ambiental.

Quais ações podem ser tomadas em prol da logística verde?

Como já dissemos nesse texto, algumas práticas tradicionais do universo da logística acabam causando diversos impactos ao meio ambiente.

Um exemplo óbvio é o uso de combustíveis fósseis, bastante usados por caminhões; mas no entanto, existem diversas atitudes que podem ajudar as empresas a serem mais sustentáveis.

Algumas dessas iniciativas vêm do Programa de Logística Verde Brasil, também conhecido pela sigla PLVB. São elas:

  • A reciclagem e reutilização de produtos que seriam descartados;
  • A melhora na eficiência de rotas para diminuir o tempo de transporte;
  • O rastreio e retorno dos resíduos para a cadeia produtiva por meio de coletas, como na logística reversa;
  • A compensação ambiental, seja por créditos de carbono ou retorno de embalagens;
  • O gerenciamento de frotas para diminuir a poluição e evitar acidentes que afetem o solo, rios, ar e outros recursos naturais.

Quais são os principais desafios da logística verde?

Se você é um gestor de frotas ou atua na área de logística, já deve saber e até imaginar os principais desafios se quiser adotar políticas de respeito ao meio ambiente.

Em todo caso, estamos aqui para ajudar. Por isso, listamos alguns desses desafios:

  • Dependência de combustíveis fósseis: uma vez que hoje ainda não há soluções eficientes (como caminhões elétricos) para o transporte de cargas;
  • A enorme presença de entregas de última milha nas grandes cidades, que têm menor eficiência e aumentam a quantidade de viagens;
  • Falta de infraestrutura e de regulamentação: sem elas, é difícil para o setor estabelecer parâmetros capazes de satisfazer as necessidades de todos os lados;
  • Necessidade de investimentos pelas empresas: em um setor de margens apertadas, é difícil ter recursos para modernizar a frota ou processos atuais;
  • Invisibilidade da logística perante consumidores: como a atividade costuma ser bastante ignorada, é fácil que usuários finais exijam entregas cada vez mais rápidas, sem pensar nas consequências que isso tem, seja em custos ou no impacto para o planeta.

Qual a diferença entre a logística reversa e a logística verde?

Se você está prestando atenção neste texto, já deve ter entendido que a logística verde compreende uma série de medidas, práticas e políticas para reduzir o impacto da atividade na natureza.

Uma das formas de fazer isso acontecer é utilizando a logística reversa, que compreende uma série de atividades para fazer os resíduos retornarem até a cadeia produtiva, para, assim, serem reciclados ou reaproveitados.

Pode parecer algo muito difícil e complicado, mas na verdade é uma prática bem antiga – que atire a primeira pedra quem nunca comprou uma garrafa de cerveja ou refrigerante retornável.

Pois é: a garrafa que chega ao consumidor com líquido é retornada para a indústria após o consumo, onde será higienizada e reaproveitada.

Pode parecer um trabalhão, mas é muito mais simples – e afeta menos o ambiente – do que produzir uma nova garrafa.

Com essa explicação, é fácil perceber que as duas ideias são bastante complementares, mas, no entanto, a logística verde é um conjunto de atitudes muito maior que a logística reversa.

Além disso, dependendo do setor em que você está inserido, praticar a logística reversa não é só um ato de boa vontade, mas sim algo necessário para obedecer a lei.

Leia mais aqui sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos!

Como colocar a logística verde em prática na minha empresa?

Você chegou até aqui no texto e está interessado em colocar a logística verde em prática. Mas como?

Nos parágrafos a seguir, vamos sugerir algumas ideias que podem ajudar sua empresa a ser mais sustentável e ecológica.

Usar o fator ambiental na hora de fazer compras e escolher fornecedores

Já falamos neste texto que empresas que praticam a logística verde podem ser mais competitivas por poderem ser escolhidas pelos parceiros ideais.

E o mesmo vale para você na hora de escolher seus fornecedores: um exemplo é optar por aqueles que usam menos plástico e mais recursos recicláveis na confecção de embalagens.

Outra ideia é a de buscar optar por veículos menos poluidores e mais eficientes na hora de renovar a frota.

Além disso, escolher fornecedores mais próximos pode ajudar sua empresa a tornar sua cadeia de suprimentos mais eficiente, consumindo menos recursos.

Uma última ideia que pode fazer diferença é buscar parceiros que tenham a certificação ISO 14001, concedida às empresas que tem uma boa gestão ambiental.

Otimizar a gestão das frotas de transporte

Se sua empresa possui veículos que utilizam combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, pode parecer difícil ter uma dinâmica sustentável na área de logística.

Mas mesmo quem utiliza veículos poluentes pode adotar políticas para melhorar isso, como roteirização, rastreamento veicular e telemetria veicular.

Juntas, essas três ferramentas podem ajudar veículos a fazerem rotas mais eficientes, saber se está na hora de corrigir problemas que os façam poluir menos e até mesmo gastar menos combustível.

A eficiência aqui, não é só energética, mas também cabe no bolso – e pode até ser repassada para os clientes com fretes mais baratos.

Contar com um armazém que siga os padrões de construção e gestão sustentável

Cada vez mais, as empresas têm renovado e construído armazéns, para dar conta da demanda acentuada do setor logístico.

Se este é seu caso, pode ser uma boa ideia construir armazéns modernos, com materiais renováveis e ecológicos.

Um exemplo são os imóveis logísticos 4.0, cujo layout e construção já são pensados em torno da sustentabilidade.

Um exemplo é a organização interna das cargas: quanto menor for a necessidade de deslocamentos internos, mais eficiente é o armazém – e portanto, mais sustentável.

Além disso, é interessante pensar na forma como cada armazém consome água e energia, utilizando luz e instalações de maneira correta.

Disponibilizar medidas de redução e reciclagem dos resíduos gerados no armazém

Toda empresa que está de olho na logística verde deve cuidar para gerenciar seus resíduos com critérios sustentáveis.

Entre os exemplos, podemos citar:

  • A classificação de resíduos de acordo com os materiais que podem ser reciclados;
  • Redução do uso de papel no armazém, especialmente com a adoção de softwares de gerenciamento (como o Warehouse Management System);
  • Controle da gestão de resíduos especiais para que sua reciclagem seja adequada.

Melhorar os processos de gestão de estoque e de logística reversa

Uma das palavras de ordem da logística verde é eficiência – e, logo, você deve estar imaginando, é muito importante reduzir os desperdícios dentro dos processos.

Existem várias medidas que podem ser tomadas nesse sentido; entre elas, podemos citar:

  • Redução dos deslocamentos internos dentro do armazém, com gestão de localização e planejamento das tarefas;
  • Prevenção de danos no estoque, evitando o desperdício de mercadorias;
  • Implementação de robôs e sistemas automatizados.
  • Instalação de sistemas que ajudem no trato de mercadorias perecíveis e perigosas, para controlar validades e evitar acidentes ou imprevistos;
  • Criação de processos de controle de qualidade em torno de produtos devolvidos, para aproveitar melhor a logística reversa.

Por que logística verde é importante?

Prestar atenção na logística verde é algo muito importante para qualquer empresa que atue no setor.

Primeiro, porque muitas regulamentações e normas governamentais já pedem que as empresas se adequem a esse novo jeito de pensar – entre elas, podemos citar:

  • Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938/81);
  • Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605/98);
  • Lei dos Agrotóxicos (Lei 7.802/89);
  • Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) (Lei 12.305/10);
  • Zoneamento Industrial (Lei 6.803/80); entre outras.

Obedecer à lei, no entanto, não deve ser a única razão pela qual as empresas deveriam ficar de olho na logística verde.

No Brasil, existem diversas leis que fazem os gestores de frota terem de se preocupar com a logística verde, como a Política Nacional dos Resíduos Sólidos.

Cada vez mais, as empresas de modo geral são julgadas pela sua forma de olhar para o meio ambiente – e isso inclui a captação de investimentos e a escolha dos consumidores.

Empresas de logística que estiverem adequadas às regras mais verdes podem ter vantagens competitivas no mercado, sendo escolhidas pelos melhores parceiros comerciais.

Além disso, essas empresas também podem se dar ao luxo de cobrar um pouco mais caro para fazer a coisa certa, tendo maiores taxas de rentabilidade.

E ainda, ao adotarem práticas mais verdes, as empresas de logística também estão tendo uma vantagem competitiva para o futuro, no qual as companhias todas terão de ser sustentáveis.

Isso para não falar em benefícios diretos, como a economia energética – afinal, uma empresa que economiza nesse assunto não está só sendo mais sustentável, mas também, gastando menos no final do dia.

Esperamos que ao final desse texto, você já esteja convencido em dar o primeiro passo para adotar mais práticas de logística verde no seu dia a dia. Que tal?

Esta publicação te ajudou? Confira mais sobre logística verde, desenvolvimento sustentável e outras explicações sobre questões de logística e gestão de frota em nosso blog.

Fale com nossos especialistas!

Estamos disponíveis para tirar dúvidas e demonstrar o sistema de rastreamento e monitoramento de frotas da Cobli em ação.

Teste grátis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.